termos

ETF Zumbi (Zombie ETF)

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:30/11/2021 às 14:44 - Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é ETF Zumbi (Zombie ETF)?

Um ETF Zumbi - ou Zombie ETF, como é dito em inglês - se trata de um fundo que está sendo pouco negociado ou não apresenta rendimentos satisfatórios, com grande risco de ser encerrado pelo seu emissor.

Para que você compreenda melhor é preciso que saiba o que é, de fato, um ETF. Vamos lá!

O que são ETFs?

Um ETF (Exchange Traded Fund) é um tipo de fundo de investimento baseado em algum tipo de índice específico. Por essa razão, também pode ser chamado de fundo de índice. A diferença entre um ETF e um fundo padrão, é que este primeiro é negociado na Bolsa de Valores como se fossem ações.

A ideia de um fundo de investimentos tradicional é que, todos os meses, investidores depositem determinada quantia financeira e juntos formem um patrimônio líquido. Esse patrimônio é administrado por um gestor, que seleciona os melhores títulos para aplicação.

Existem fundos de diversas modalidades, tais como fundos imobiliários, onde o gestor aplica o patrimônio líquido em títulos relacionados ao setor, fundos de renda fixa, fundos de ações, fundos multimercado, assim por diante.

O ETF é mais um dos diversos tipos! Nele, o gestor aplica o patrimônio em ações que rendem de acordo com algum índice específico - temos artigos sobre alguns deles, vale a pena dar uma olhada!

O rendimento da aplicação é dividido entre todos os investidores, ou seja, cada um deles é detentor de uma cota do fundo. A quantia exata para cada um será equivalente ao que foi investido inicialmente - pode ser que um ganhe mais, outro ganhe menos.

Qual é o problema acerca de um ETF Zumbi (Zombie ETF)?

Agora que você está mais familiarizado, fica mais mais fácil de compreender quando dizemos que um ETF Zumbi (Zombie ETF) é um fundo de índice que não está sendo rentável para seus cotistas.

O nome faz uma analogia ao tipo de criatura cinematográfica que tanto vemos por aí em filmes, séries e até desenhos, os zumbis. São criaturas que estão vivas mas ao mesmo tempo estão mortas, assim como o fundo, que está ativo mas não está rendendo nada, sabe? Ou seja, existe mas já não tem utilidade.

O grande problema acerca de um ETF Zumbi é que, mesmo sem apresentar lucratividade ou qualquer tipo de evolução, ele ainda exige os mesmos custos de manutenção e administração que qualquer outro fundo.

Em outras palavras, os investidores desse fundo pagam por uma administração que não acontece. Além de formarem um patrimônio que não é aplicado - ou é, mas sem qualquer resultado positivo - ainda arcam com os descontos exigidos por esse serviço terceirizado.

Já deu para notar que um Zombie ETF só traz prejuízo, não é?! O prejuízo se estende também ao emissor do fundo, ou seja, da empresa responsável pela sua administração, principalmente no que diz respeito ao quesito credibilidade.

O emissor de um ETF Zumbi levará tempo para conquistar a confiança de novos investidores, além da possibilidade de enfrentarem processos judiciais por não terem honrado com o compromisso de administrar o patrimônio de seus clientes.

Para resolver o problema, o mais indicado é que se encerre o ETF.

Ah! Vale dizer que os motivos citados anteriormente são a causa mais comum de um Zombie ETF, mas não é a única. Um fundo pode ficar sem utilidade devido a grande quantidade de fundos que são criados a cada dia no mesmo setor.

Isso significa que a alta competitividade entre emissores de fundos pode ser um problema, fazendo com que tenham poucos investidores e a rentabilidade não seja capaz de suprir os custos de manutenção do ETF, dando-lhe mais prejuízos do que resultados.

Sobre o autor
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Monoinquilino

Monoinquilino

Você já ouviu falar de monoinquilino ou fundo mono? Neste artigo você entenderá o que é e se vale a pena investir nele!

  CONTINUAR LENDO