Última modificação em 8 de abril de 2021

O que é emissor?

Segundo definição técnica de um dicionário, o emissor é aquele quem emite ou envia algo. No mercado financeiro, claro, ele corresponde às organizações e entidades responsáveis pelo compartilhamento dos ativos financeiros.

São justamente os emissores que permitem que existam as negociações. Se não há qualquer emissão de título, cotas ou ações, por exemplo, simplesmente também não seria possível seguir com os investimentos. Eles são, portanto, figuras centrais para dar sentido à economia global.

Para que tudo fique mais claro, vamos ver na sequência deste texto quem são os responsáveis pela emissão de cada categoria de ativo e como isso impacta na relação dos seus investimentos.

Quem é o emissor dos títulos públicos?

Vamos começar pela emissão de títulos públicos que, em resumo, são enviados ao mercado pelo Governo Federal. Eles possuem como objetivo a captação de recursos para as atividades básicas como pagamento de contas ou investimentos em infraestrutura. Neste modelo, você emprestaria o seu dinheiro para o próprio Governo Federal, sendo uma maneira indireta de investir em melhorias sociais para a nossa população.

Uma característica deste cenário é a segurança. O país é um dos credores com melhor perfil de crédito, algo que reduz consideravelmente a chance de calote (embora, claro, não elimine essa possibilidade).

Quem é o emissor dos títulos bancários?

No caso dos títulos bancários, a responsabilidade de emissão dos títulos é dos próprios bancos. Eles oferecem, portanto, ativos para que os seus clientes invistam o seu dinheiro, permitindo que as instituições financeiras disponham de recursos para suas atividades diárias.

Para aumentar a segurança oferecida aos investidores, os bancos criaram o Fundo Garantidor de Crédito (FGC), uma entidade provada responsável por assegurar o pagamento em caso de problemas com o banco em si. É aplicável, contudo, apenas aos produtos bancários.

Quem é o emissor de debêntures?

Fechando a renda fixa, temos ainda as debêntures, que é o nome dado aos títulos de dívida emitido pelas empresas do setor privado. Aqui, o nível de risco do emissor depende diretamente de qual é a companhia envolvida no investimento.

Importante mencionar que, ao contrário dos demais títulos que mencionamos no artigo, aqui há maior risco de crédito e menor proteção ao investidor. Por outro lado, a remuneração tende a ser mais atrativa.

Quem é o emissor de ações?

Já olhando para o mercado acionário, o responsável pela emissão das ações é a própria empresa que visa captar recursos. Ela concede, neste formato, uma pequena participação no seu negócio ao investidor em troca do recebimento de capital (o investimento).

Importante mencionar que, apesar de ser a grande responsável por iniciar o processo, uma empresa sempre conta com algum tipo de ajuda para o compartilhamento dos seus ativos. Geralmente, esse intermediário é um banco de investimentos, o qual também ajuda a entender a precificação do mercado para os papéis da organização.

Você, enquanto investidor, também precisa de uma conta em uma corretora para poder comprar e vender as ações. Trata-se de um dos ativos prediletos para quem atua na renda variável.

Quem é o emissor de cotas?

Por fim, ainda temos as cotas disponíveis para investimentos no mercado financeiro. De um modo geral, elas se aplicam ao universo dos fundos de investimentos.

Essa categoria ainda pode se dividir em diversos segmentos. Há modalidades de investimentos em renda fixa, ações, câmbio, juros e até mesmo fundos especializados no mercado imobiliário.

Os fundos de investimento, portanto, permitem que você tenha fácil acesso a diversos ativos e monte uma ótima carteira. Para participar deste modelo, é necessário comprar cotas dos fundos, algo que exige a emissão das mesmas por parte da administração.

Termo do dia

Stock Picking

Stock picking consiste na técnica de adquirir ações de empresas que se valorizarão acima da média do mercado. Entenda!