Última modificação em 10 de maio de 2021

O que é dinheiro digital?

Dinheiro digital é qualquer meio de pagamento que exista exclusivamente no formato eletrônico. A maior diferença é que ele não é tangível como uma moeda ou uma nota de R$ 5, por exemplo. Ele é contabilizado e transferido completamente por meio de computadores ou eletrônicos do tipo.

Uma das formas desse tipo de dinheiro mais bem-sucedida em 2021 é a criptomoeda Bitcoin. Tanto ela quanto qualquer outra moeda digital pode ser trocada por meio de cartões crédito, tecnologias incluídas em smartphones ou criptomoedas online. Existem alguns casos em que ele pode ser transferido para dinheiro físico, o que possibilita que seja retirado em caixas eletrônicos normalmente.

Qual é a história do dinheiro digital e como ele funciona?

Por mais que pareça algo que surgiu recentemente, o dinheiro digital foi concebido praticamente assim que a internet surgiu. Várias empresas de caixa digital surgiram já na década de 1990 e a primeira delas — e a mais conhecida — foi a DigiCash.

No entanto, a maioria dessas iniciativas precisou declarar falência logo depois de iniciarem suas atividades. O principal motivo foi porque o comércio eletrônico mal havia sido integrado à internet e, por isso, poucas empresas aceitaram as primeiras moedas digitais. Somente com a criação do PayPal que as transações financeiras digitais começaram a ser bem aceitas pela sua facilidade de uso.

Hoje em dia, as empresas de serviços financeiros facilitam as transferências de dinheiro digital e promovem transações online de forma descomplicada até mesmo entre estranhos e em longas distâncias. Sem ele, muitos sites de varejo online operariam com uma eficiência muito menor.

Quais são os benefícios do dinheiro digital?

Um dos maiores benefícios da moeda digital é o fato de que não é necessário ir ao banco pessoalmente ou usar dinheiro físico nas transações. Isso porque com ela, é possível fazer transações bancárias de forma online ou por meio de um smartphone.

Outra vantagem é que ele torna as transações mais baratas. Isso porque toda a infraestrutura necessária para gerenciar as que são feitas com o dinheiro físico ou com cartões encarece essas operações e o custo operacional de uma transação digital é bem menor.

Por conta do dinheiro digital não precisa respeitar fronteiras geográficas, o custo para a transferência entre países é praticamente o mesmo para as que são feitas dentro de um mesmo país. Esse é outro benefício que só esse tipo de moeda pode oferecer.

Quais são alguns exemplos de dinheiro digital?

O exemplo mais comum de dinheiro digital é o que é emitido pelas instituições bancárias que elas detêm eletronicamente — seja para investir ou negociar. Esse tipo de moeda tem uma movimentação muito maior, visto que os bancos têm requisitos de liquidez, o que significa que precisam ter uma certa quantia de dinheiro físico no local, mas esse requisito não se aplica para o digital.

A maioria das instituições bancárias tem departamentos que lidam com somas que chegam à casa dos milhões — e até a bilhões — sem nunca ter visto nenhum dinheiro físico. Só isso já demonstra a força e o poder que o dinheiro digital tem — e continuará tendo nos próximos anos.

Outro exemplo de dinheiro digital é a criptomoeda. O Crypto, como é conhecido, é um dos tipos dessa moeda que existe dentro da rede blockchain — que é considerada por muitos como mais segura do que qualquer outra, já que não existe nela a supervisão de autoridades financeiras.

A criptomoeda é tanto extraída quanto comercializada no formato de carteiras digitais até que o seu proprietário esteja pronto para resgatá-la ou simplesmente gastá-la. Os exemplos mais comuns dessa moeda são o Ripple, Ethereum, o Litecoin e a Bitcoin — que está muito em alta ultimamente.

Termo do dia

Black & Scholes

O que é Black & Scholes Os economistas Fischer Black e Myron Scholes foram os responsáveis pelo modelo de precificação de opções conhecido como Black &…