Última modificação em 27 de novembro de 2020

O que é Collar?

No mercado de opções, o collar é uma estratégia utilizada por investidores para protegerem suas posições em momentos nos quais há oscilações negativas no mercado.

Além de funcionar como prevenção de perdas, essa estratégia também permite ao investidor obter ganhos caso haja valorização do mercado.

Em virtude dessas características, o collar é o que chamamos de "operação casada". Isso porque ele envolve três componentes ao mesmo tempo: o ativo negociado, a venda de uma opção de compra - ou call  - e a compra de uma opção de venda - ou put.

O mais interessante nessa estratégia é que, ainda que o investidor possa ter apenas um ganho limitado, ele sabe de forma precisa quanto pode perder na operação no caso de uma baixa do mercado - até o momento de vencimento.

Parece confuso? Vamos entender melhor como funciona a estratégia de collar a seguir!

Como funciona a estratégia de Collar?

Assim como foi dito anteriormente, o collar é uma operação casada. Isso significa que o investidor que opta por usar essa estratégia irá lançar para venda uma call, cujo strike irá determinar o limite de perdas, e comprar uma put.

Essa última irá definir o limite de perdas aceitável.

Para ilustrar melhor essa estratégia, de modo a evidenciar suas vantagens e riscos, vamos analisar um exemplo com números:

Vamos supor que você adquiriu um lote com 1000 ações XYZW1 por R$10 cada. Você decide usar o collar e então compra a mesma quantidade de ações (1000) em opções put por R$12.

Além disso, vende suas opções de call com strike de R$13. Suponhamos, ainda, que o vencimento da operação seja em 30 dias.

O que acontece, então? São três os cenários possíveis:

Cenário 1: ao lançar uma call com strike de R$13, você acredita que o preço das ações ficará abaixo disso. Nesse collar, se as ações de fato ficarem abaixo de R$13, o comprador não achará vantajoso exercer a opção.

Resultado: você leva o lucro da venda da opção e não precisa se livrar das ações.

Cenário 2: como você comprou as opções de put por R$12 poderá vendê-las por esse valor.

Então, caso o mercado esteja em baixa e as ações valendo R$9, a pessoa que lançou a put terá que comprar os ativos novamente pelo valor R$12.

Resultado: você recebe o lucro da compra.

Cenário 3: se o mercado sofrer valorização, sua opção será exercida e você terá que entregar suas ações por R$13. Mesmo se o valor da ação estiver acima de R$13, você ainda estará lucrando. No entanto, você perde suas opções de put.

Quais as vantagens e desvantagens do Collar?

A primeira vantagem em utilizar a estratégia de collar já foi mencionada e explicitada pelo exemplo: há um limite de perdas e ganhos, trazendo alguma segurança no processo.

Isso é relevante porque, ao entrar na operação, o investidor que opta pela estratégia de collar está ciente do quanto pode perder e ganhar. Ainda que esse ganho possa, em alguns casos, não ser tão significativo, ainda é um ganho.

Uma desvantagem do collar é que sempre que sua opção for exercida, você terá de entregar as ações e perderá as opções de put.

Para quem o Collar é recomendado?

A essa altura você deve ter percebido que a estratégia de collar demanda a construção de uma estratégia complexa e detalhada. Isso implica que, em geral, é utilizado por investidores mais experientes.

Por envolver riscos de perdas altas, esse tipo de estratégia é mais indicada para investidores de perfil arrojado, que tenham uma boa reserva de emergência entre outras garantias de patrimônio.

Termo do dia

Endomarketing

Você com certeza conhece o marketing, mas e o endomarketing? Descubra o que é e como ele se relaciona com o mercado financeiro!