Última modificação em 24 de maio de 2021

O que é cobertura de juros bruta?

A cobertura de juros bruta é um dos indicadores que podem ser utilizados pelos investidores na análise do nível de endividamento de uma empresa. É, em suma, uma ferramenta de avaliação para encontrar boas companhias para investir.

Neste caso específico, como o próprio nome sugere, a análise está sobre as despesas brutas de uma companhia, avaliando os eventuais impactos das suas dívidas sobre o fluxo de caixa da empresa.

O objetivo é entender os riscos do negócio. Se o endividamento é normal no contexto empresarial para investir na própria operação, níveis muito exagerados na alavancagem podem trazer problemas de longo prazo.

Como funciona a cobertura de juros bruta?

Para esse objetivo, a cobertura de juros bruta pode ser avaliada por meio de um índice que avalia o impacto do endividamento em relação ao caixa operacional gerado pelas atividades do negócio.

Esse cálculo pode ser feito por meio da seguinte fórmula matemática:

Cobertura de juros bruta = EBITDA/ Despesa Financeira Bruta

O EBITDA, caso você ainda não conheça essa sigla, é uma abreviação para Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization. Em tradução livre para o português, trata-se do "Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização". Por aqui, usamos a sigla LAJIDA.

O objetivo dessa ferramenta está em avaliar a geração de caixa da empresa em um determinado resultado. Isso porque o Lucro Líquido, que é muito observado pelos investidores, pode apresentar efeitos não recorrentes de despesas financeiras que influenciam o resultado. Desta forma, a análise de dívida acaba sendo colocada em risco, pois esses efeitos possuem a tendência de não se repetir.

Já ao olhar para o EBITDA, você tem o resultado da geração de caixa com as atividades para as quais a empresa foi criada. Isto é, quanto ela entrega de capital para que a companhia possa honrar seus compromissos, pagar fornecedores e seguir atuando.

É por esse motivo que a cobertura de juros bruta faz o uso de outro comparativo, permitindo assim um resultado mais próximo da realidade sobre o endividamento da companhia.

Como analisar a cobertura de juros bruta?

O intuito da cobertura de juros bruta, como vimos ao longo do artigo, está em avaliar o grau de endividamento de um negócio. No entanto, como podemos chegar a uma conclusão sobre esse indicador?

Em resumo, quanto maior, melhor. Isso significa que o caixa operacional gerado é mais do que suficiente para garantir o pagamento dos juros assumidos para o uso de capital de terceiros — principalmente fornecedores e instituições financeiras. Esse cenário pode demonstrar que há condição de honrar com os pagamentos sem comprometer o fluxo de caixa.

Idealmente, o indicador deve ser igual ou superior a cinco. Isso representaria uma proporção em que o fluxo de caixa gerado pela empresa é ao menos cinco vezes maior do que o seu endividamento, gerando uma posição mais confortável. Se o resultado for igual a dois, pode ser encarado como um sinal de alerta, já que não há muita sobra de caixa.

Já para um índice de cobertura de juros bruta inferior a um, a situação pode ser considerada mais complexa. Isso porque, neste caso, o cenário indica que a geração de caixa da empresa não é suficiente sequer para pagar suas dívidas (imagine então realizar os demais processos).

Apesar disso, é importante sinalizar que se trata apenas de um indicador. Desta forma, não deve ser utilizado como maneira isolada para a tomada de decisão sobre o investimento em uma companhia. O ideal é realizar sempre uma análise mais abrangente, levando em consideração outros critérios fundamentalistas, assim como dados qualitativos sobre a empresa.

Termo do dia

Propriedade Privada

O que é a propriedade privada? Propriedade privada é o nome dado à qualidade específica de um bem – a de ser posse de uma pessoa,…