Última modificação em 15 de março de 2021

O que é Cap?

O Cap é um limite de taxa de juros que ocorre em um produto de crédito que tenha a taxa variável. Ele é a taxa mais alta possível que um mutuário pode ter que pagar e, além disso, a maior que um credor pode ganhar. Os seus termos em relação a essas taxas serão descritos em um prospecto de investimento ou em um contrato de empréstimo.

Outro ponto de destaque do Cap é que ele pode ser considerado como um aspecto importante dos termos em um produto em que o crédito é variável. Sendo assim, muitos investidores escolhem os produtos com esse tipo de taxa para poder aproveitar as mudanças nas taxas referentes aos juros do mercado.

Um Cap também pode auxiliar no estabelecimento de um limite para os juros que um mutuário deverá pagar e quanto um credor poderá ganhar. Os tipos mais comuns de produtos de taxas de juros limitadas nessas transações podem incluir os títulos de taxa flutuante ou hipotecas de taxa ajustável (as ARMs, em inglês).

Como um Cap funciona?

O Cap funciona como uma proteção ao consumidor que limita o valor que uma taxa de juros pode alterar ao longo do prazo do empréstimo — ou em um intervalo de ajuste. Se o limite por período for, por exemplo, 1% e a taxa atual for de 7%, a taxa de juros recém-ajustada não poderá ser inferior a 6% sequer superior a 8%.

Em alguns casos, os credores podem querer estruturar uma oferta de títulos de taxa variável que conte com um teto de taxa de juros — que, nesse caso, servirá para beneficiar o emissor do título, já que ajuda no limite do seu custo de capital quando as taxas de juros sobem. Para investidores, por sua vez, o limite de taxa limitará o retorno de um título a um nível específico.

Geralmente, produtos de títulos que contam com taxas flutuantes não são afetados pelos mecanismos padrão de precificação de mercado quando as taxas aumentam. Isso acontece porque seus níveis de taxa de juros não são fixos. Se um título tiver um teto de taxa de juros, porém, o Cap pode afetar o preço do mercado secundário adversamente quando for atingido, o que diminui o valor de negociação.

Qual é a diferença entre Cap e Floor?

Todo produto de taxa de juros variável pode apresentar um teto em um piso (ou um Cap e um Floor). O primeiro limitará os juros que um emissor de títulos ou devedor paga em um ambiente de taxas crescentes e, assim, define um nível máximo de retorno para o investidor ou o credor da situação.

Já o Floor (ou piso) define o nível básico de juros que um mutuário deve pagar e que um credor ou investidor pode esperar ganhar. Isso os beneficia em um ambiente de taxas decrescentes. No entanto, limitar o nível dessa base de juros exige que o mutuário pague uma taxa de juros mínima especificada — mesmo nos casos em que a taxa de mercado em exercício no momento é mais baixa.

Como seria um exemplo de Cap e suas vantagens?

Vamos supor que um mutuário que paga determinada taxa de um empréstimo pode se proteger contra um aumento das taxas ao comprar um teto de 2.5%. Caso a taxa de juros exceda esse limite, o pagamento não poderá ultrapassá-lo durante um determinado período do pagamento.

Sendo assim, esse limite específico oferece uma das suas maiores vantagens, que é a flexibilidade. Isso porque ele permite que os compradores ajustem seus limites com base na sua visão pessoal de taxa de juros, requisitos de fluxo de caixa e de cobertura.

Outro benefício do Cap, para finalizar, é a sua certeza. Quem o utiliza pode gerenciar sua exposição à taxa de juros ao travar uma taxa de exercício como forma de proteção contra o saldo não liquidado até a taxa de exercício acordada previamente.

Termo do dia

ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial

O que é ISE? O ISE – sigla correspondente a “Índice de Sustentabilidade Empresarial” – é um recurso utilizado para mensurar qual o nível de sustentabilidade que as…