termos

Cadeias de Valor

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:28/05/2020 às 16:00 - Atualizado 2 anos atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que são cadeias de valor?

Cadeias de valor são um conjunto de ações e estratégias implantadas dentro de uma empresa e que têm por objetivo ter resultados mais efetivos em seus processos de fabricação, administração e vendas. Tais ações contribuem para a competitividade da organização no mercado em que ela atua, bem como para o aumento da lucratividade.

O conjunto de iniciativas acabam entregando mais valor ao cliente, que consequentemente aceita pagar mais por ele no longo prazo. Este efeito também impacta na satisfação e fidelização por parte do público, que passa a valorizar mais a marca e o produto ou serviço oferecido por ela.

Para que servem as cadeias de valor?

As cadeias de valor servem como ferramenta de planejamento e de análise de resultados. Um fluxograma das atividades consideradas essenciais para o negócio vai indicar o que pode ser melhorado e, posteriormente, revisado.

Digamos que uma fábrica queira ter mais competitividade no setor em que atua. Ela vai melhorar seus processos para identificar quais são os mais importantes, quais têm grande fatia dos custos e se eles podem ser reduzidos.

A empresa também poderá avaliar quais processos ou itens da produção podem agregar valor ao negócio. Seria o caso de usar uma matéria-prima de fonte renovável, por exemplo, que pode aumentar a qualidade do produto e ter o reconhecimento do público consumidor como uma iniciativa sustentável.

Cadeias de valor de Porter

O criador do conceito das cadeias de valor é o professor e escritor estadunidense Michael Porter. De acordo com o seu modelo, as atividades de uma empresa podem ser divididas em duas categorias para serem avaliadas:

  • Primárias: consistem nas tarefas de logística interna e externa, operações, marketing e vendas, serviços e pós-vendas;
  • De apoio: envolvem atividades de infraestrutura, gestão de recursos humanos, desenvolvimento de tecnologia e aquisições.

Um ponto importante no conceito das cadeias de valor é que estas atividades não devem ser analisadas de maneira isolada. Elas precisam ser aperfeiçoadas como um todo, considerando a ligação entre um processo e outro.

Segundo Porter, é necessário identificar quais as sub-atividades das duas categorias que agregam mais valor ao que é entregue pela companhia. A tarefa seguinte é justamente buscar oportunidades que aumentem esse valor, incrementando a sua força.

Tais melhorias envolvem, por exemplo, negociações com fornecedores, mudanças no fluxo de produção ou na abordagem com o cliente e no atendimento pós-venda.

Qual a importância das cadeias de valor?

Aplicar o conceito de Porter em uma empresa é trabalhar para que ela tenha uma vantagem competitiva sustentável, com pilares reforçados. As ações deixam de atender demandas internas ou externas isoladas para melhorar o negócio como um todo.

A vantagem de utilizar essa estratégia é que a organização pode:

  • identificar gargalos que comprometem a produção, tanto em tempo quanto em dinheiro;
  • reduzir custos de operação;
  • promover qualidade no ambiente de trabalho aos funcionários;
  • melhorar a qualidade dos produtos e serviços entregues;
  • ampliar sua fatia no mercado;
  • ganhar mais competitividade.

Da mesma forma que as cadeias de valor devem trabalhar em todos os processos, sua implantação deve ser abraçada por todos os departamentos também. A cultura da empresa também precisa ser trabalhada, para que os colaboradores enxerguem valor e contribuam para que todos tenham resultados mais efetivos.

Sobre o autor
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre
Câmbio Fixo

Câmbio Fixo

O que é o câmbio fixo? Câmbio fixo é o nome dado ao regime cambial adotado pelos países que, utilizando uma moeda estrangeira como referência, mantêm...

  CONTINUAR LENDO