Última modificação em 27 de abril de 2021

O que é bear flattening?

O bear flattening sinaliza uma situação em que a curva de rendimentos dos títulos está se achatando. Isso significa que, a curto prazo, as taxas de juros sobre os títulos sobem mais rapidamente do que as de longo prazo. Logo, as duas começam a convergir, o que se resulta em uma curva de rendimentos mais plana quando ela é plotada em um gráfico.

Esse movimento pode ser considerado como um indicador bearish. Os investidores acreditam que as taxas de juros de curto prazo mais elevadas podem produzir um maior retorno do que as que são de curto prazo.

O bear flattening, então, se refere à essa convergência da taxa de juros ao longo da curva de rendimentos à medida em que as taxas de juros de curto prazo sobem um pouco mais rápido do que as de longo prazo. Isso pode ser visto também como um prenúncio de uma contração na economia.

O que o bear flattening sinaliza?

De modo geral, um bear flattening junto a uma curva de achatamento sinaliza uma economia baixista — parte disso em detrimento aos bancos — à medida em que seus custos de captação aumentam. Além disso, taxas de juros mais altas nos títulos de curto prazo, geralmente, tendem a produzir retornos um pouco mais elevados que as ações.

O aumento das taxas, então, deprime os preços dos títulos de curto prazo, o que aumenta seus rendimentos rapidamente nesse prazo mais curto em relação aos títulos de longo prazo. Nesse clima econômico específico, os investidores geralmente vendem as suas ações para reinvestir os rendimentos no mercado de títulos.

Em um ambiente em que as taxas de juros são consideradas normais, a curva se inclina para cima e da esquerda para a direita. Esse movimento indica uma curva de rendimentos normal, na qual os títulos de vencimentos de curto prazo produzem rendimentos um pouco mais baixos que os títulos com vencimentos a longo prazo.

Como o bear flattening funciona?

Um bear flattening faz com que a curva de rendimento fique mais aplainada à medida em que as taxas de curto prazo começam a subir em antecipação a uma política monetária mais restritiva.

A curva de rendimentos, por sua vez, é uma representação em gráfico que traça os rendimentos de títulos de qualidade semelhante em relação aos seus vencimentos. A variação ocorre do mais curto ao mais longo e os ciclos de maturação variam de 3 meses a 30 anos.

A ponta curta da curva de rendimentos com base nas taxas de juros de curto prazo é totalmente influenciada pelas mudanças esperadas na política do Sistema de Reserva Federal (FED) dos Estados Unidos. De uma forma bem pontual, a curva sobe quando se espera que o FED aumente as taxas e cai quando as taxas de juros provavelmente serão reduzidas.

Qual a diferença entre o bear flattening e o bull flattening?

Um achatamento na curva pode ser chamado de bear flattening ou de bull flattening. A diferença entre os dois é que o segundo é observado quando as taxas de longo prazo estão diminuindo a uma taxa muito mais rápida que as taxas de curto prazo.

A mudança na curva de juros, muitas vezes, precede a redução das taxas de juros de curto prazo do FED. Isso sinaliza que eles querem estimular a economia e, por isso, é considerado como um fator positivo para todos os mercados de ações.

Por outro lado, quando as taxas de curto prazo estão subindo de forma mais rápida do que as de longo prazo, um nivelador de baixa logo as segue e esse movimento é visto como um fator negativo para o mercado de ações. Normalmente, as taxas de curto prazo aumentam quando o mercado espera que o FED comece a apertar para conter as crescentes da inflação.

Termo do dia

Modelo Multiestágio de Maturidade

O que é Modelo Multiestágio de Maturidade? O Modelo Multiestágio de Maturidade é um referencial para o crescimento organizacional. O termo original é Capability Maturity Model…