Economia

Que os Estados Unidos possuem a maior economia global, provavelmente você já sabe. No entanto, há uma curiosidade importante do mercado financeiro: por lá, não existe apenas uma bolsa de valores. Esse é um cenário raro, mas não exclusivo do país norte-americano.

A China, por exemplo, também possui mais de uma bolsa agrupando as suas empresas de capital aberto. Veja, entretanto, que esse ambiente de diversidade é mais comum em grandes economias. No Brasil, até existem boatos sobre o fim do monopólio da B3, que é a empresa proprietária da nossa bolsa de valores. Não há, entretanto, no curto prazo, uma perspectiva de mudança.

E o que representa essa diversidade de bolsas de valores nos Estados Unidos? O que muda para o investidor? Vamos explorar mais sobre esse tema no artigo de hoje.

Quais são as bolsas de valores dos Estados Unidos?

Atualmente, os Estados Unidos possuem duas bolsas de valores relevantes. Elas são conhecidas popularmente apenas pelas abreviações NYSE e NASDAQ. É bem possível que você mesmo já tenha escutado sobre elas ou ao menos uma referência aos seus respectivos índices acionários no nosso noticiário.

Antes de nos aprofundarmos sobre características específicas do mercado de capitais americano, vamos conhecer um pouco sobre essas duas bolsas e quais as principais diferenças entre elas.

NYSE

NYSE é uma abreviação para New York Stock Exchange, que é o nome da bolsa de valores de Nova York. A sua sede fica na famosa rua de Wall Street, um dos maiores centros financeiros do nosso planeta. Ela tem como característica ser uma das mais antigas do mundo na categoria, sendo fundada no ano de 1792. Por esse motivo, a NYSE também concentra algumas das companhias mais tradicionais do planeta. Vale destacar que, afinal, são séculos de existência e, por boa parte desse tempo, essa era a única opção para uma empresa lançar suas ações.

Outro ponto interessante é que um dos primeiros índices do mercado acionário, o NYSE Composite, foi originado justamente na New York Stock Exchange. Veja algumas das empresas listadas na bolsa de NYSE:

  • Bank of America
  • Berkshire Hathaway
  • Coca-Cola
  • ConocoPhillips
  • Disney
  • General Electric
  • Johnson & Johnson
  • JP Morgan
  • Mc Donald's
  • Oracle

NASDAQ

Já NASDAQ, que é uma abreviação para National Association of Securities Dealers Automated Quotations, é a segunda principal bolsa de valores dos Estados Unidos e tem uma história bem mais recente, com fundação em 1971. Não por acaso, considerando que a NYSE já concentrava boa parte das companhias americanas, essa nova bolsa acabou concentrando empresas do segmento de tecnologia.

Essa concentração, contudo, não representa exclusividade. Existem empresas do setor que optam por abrir seu capital na Bolsa de Valores de Nova York também. A National Association of Securities Dealers Automated Quotations também abriga dois índices extremamente relevantes para o mercado financeiro. São eles: o NASDAQ Composite (responsável pelo desempenho do setor de tecnologia) e o NASDAQ-100 (responsável por monitorar as cem principais empresas "não financeiras" dessa bolsa de valores). Veja alguns exemplos de empresas listadas na NASDAQ:

  • Adobe
  • Amazon
  • Apple
  • Facebook
  • Google
  • Intel
  • Microsoft
  • Netflix
  • Nvidia
  • Starbucks

Quais são as principais características das bolsas americanas?

Como vimos, existem algumas diferenças entre as bolsas americanas de NYSE e NASDAQ. No entanto, há muita coisa em comum entre elas na medida em que estão localizadas na principal potência econômica do planeta. A primeira delas é a variedade de companhias para investir.

Além de ser um mercado de capitais mais robusto do que outras economias emergentes, o que já garante um ótimo volume de empresas listadas na bolsa, muitas organizações estrangeiras optam por abrir capital no mercado americano. Outro ponto atrativo é a liquidez. Pelos fatores destacados anteriormente, há muito dinheiro sendo negociado no mercado americano em cada pregão.

Há empresas que, sozinhas, movimentam diariamente mais capital do que a bolsa brasileira inteira, por exemplo. Por fim, podemos mencionar ainda o fato de que os investimentos realizados na NYSE ou na NASDAQ são feitos em dólar, que é a principal moeda global. Trata-se de uma forma de investidores estrangeiros diversificarem o seu risco cambial.

NYSE e NASDAQ: uma chuva de IPOs

O ambiente proporcionado por duas das principais bolsas de valores globais acabam por atrair empreendedores que desejam abrir seu capital. Ter uma companhia listada nos Estados Unidos, afinal, faz com que eles estejam expostos a alguns dos mais relevantes investidores do nosso planeta. Desta forma, NYSE e NASDAQ representam dois dos ambientes que mais recebem IPOs (Initial Public Offering) no mundo.

Caso não esteja habituado com o termo, esse é o nome dado ao processo de abertura de capital em uma bolsa de valores. Nele, há todo um trabalho de estudo e de precificação dos ativos da companhia para que sejam lançados aos investidores. Apenas para que você tenha uma dimensão desse cenário, apenas durante o mês de julho de 2021, foram mais de cinquenta IPOs programados nas bolsas americanas. Alguns ainda estavam em andamento durante a produção deste artigo, mas não deixa de ser um número extremamente relevante.

Para efeito de comparação, neste mesmo período, foram apenas cinco IPOs no Brasil: Smart Fit, Companhia Brasileira de Alumínios, Multilaser, 3tentos Agroindustrial e Desktop Sigmanet. Ainda havia projeção para a abertura de capital de outras empresas nacionais como Privalia, Unifique e Traders Club, por exemplo. Muito abaixo, contudo, do volume movimentado pelas duas bolsas americanas. No ano, a B3 não teve a mesma quantidade de novas empresas do que NYSE e NASDAQ receberam apenas em julho. Uma demonstração clara da força que o mercado de capitais americano tem sobre os demais ambientes globais.

Empresas brasileiras também fazem IPOs nas bolsas americanas

Conforme adiantamos, não são apenas as empresas americanas que lançam suas ações nas bolsas locais. Existem muitas companhias estrangeiras que optam por seguir com o seu IPO nos Estados Unidos. E isso inclui algumas marcas brasileiras. Veja abaixo alguns exemplos:

  • Afya Educacional
  • PagSeguro
  • Stone
  • Vinci Partners
  • XP Investimentos

Há ainda casos de outras companhias que possuem capital aberto no Brasil, mas que também estão listadas nas bolsas americanas, diversificando suas fontes de captação de recursos. Ambev, Azul, CSN, Petrobrás e Vale são alguns exemplos. Isso acontece porque as empresas querem se aproveitar dos benefícios do mercado americano, como a maior liquidez ou mesmo a variedade de ativos — algo que naturalmente atrai um maior volume de investidores.

Ter os ativos negociados em dólares e a menor burocracia no lançamento dos papéis são outras vantagens. Podemos esperar, inclusive, cada vez mais companhias nacionais realizando o seu IPO no mercado americano. Há quem espere, muito em breve, a abertura de capital do Nubank nos Estados Unidos.

O anúncio de que Warren Buffett investiu na fintech reforçou essa expectativa. Contudo, não há nada oficial até agora. O fato é que, ao longo dos próximos anos, NYSE e NASDAQ certamente irão receber muitos pedidos de IPOs. Portanto, se você é um investidor que gosta de comprar ações de empresas recém-listadas, convém ficar de olho nessas duas bolsas de valores globais.

Imagem do autor

Formado em Administração pela PUC-SP. Trabalhou em empresas do segmento financeiro (Itaú BBA) e varejo (BRMALLS) até 2016, quando iniciou a jornada de produção de conteúdo para a internet com foco em finanças.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais