Empresa

O Mercado Livre anunciou nesta quarta-feira, 25, a aquisição da Kangu, empresa de logística que atua no Brasil, Colômbia e México. Segundo a empresa, em comunicado, a compra está em linha com a estratégia de aumentar seu investimento em logística para trazer ainda mais rapidez para suas entregas.

Foto: Mercado Livre/Divulgação
Compra da Kangu tem como objetivo reforçar sua malha logística e aumentar a agilidade na entrega de encomendas - Foto: Reprodução

Segundo a plataforma, atualmente mais de 40 mil vendedores utilizam a rede Kangu nos três países. A empresa de logística possui mais de 5.000 pontos de coleta e entrega, sendo mais da metade deles localizados no Brasil.

A Kangu atende a uma ampla variedade de empresas, incluindo o Mercado Livre, conectando vendedores de e-commerce à sua rede de parceiros de bairro, como pet shops, papelarias e outras lojas locais.

“O negócio aumentará a eficiência operacional e a capilaridade do Mercado Livre, pois manteremos nosso foco em entregar aos clientes brasileiros o mais rápido possível”, disse Renato Pereira, diretor de Desenvolvimento Corporativo do Mercado Livre.

“Durante a pandemia, quando os volumes de pedidos aumentaram, a rede auxiliar da Kangu desempenhou um papel importante no aumento da eficiência da entrega”, acrescentou Pereira.

Além do crescimento do e-commerce, a aquisição faz parte da expansão do Mercado Livre, principalmente no Brasil, e ajudará no crescimento de sua malha logística.

Entregas

Atualmente, a empresa oferece entregas no dia seguinte em 2,1 mil cidades brasileiras e no mesmo dia em dezenas de localidades.

“Além das sinergias logísticas, a Kangu vai aumentar a sustentabilidade operacional com alternativas que reduzem o tráfego de veículos e as emissões e aumentam nosso impacto social, gerando renda para as pequenas lojas que compõem sua rede”, afirmou Leandro Bassoi, vice-presidente de Logística para a América Latina da empresa.

Em 2020, as receitas da Kangu cresceram 100 vezes ao ano. Além de seus pontos de coleta e entrega, o modelo de negócios da empresa inclui serviços de transporte com suporte de parceiros externos e logística reversa.

Cross-docking

“Nos últimos anos, a parceria com o Mercado Livre impulsionou um rápido crescimento em nossa operação e continuaremos crescendo para melhor atender nossos clientes atuais e futuros”, disse Marcelo Guarnieri, fundador e co-CEO da Kangu.

“Já operamos 2,6 mil pontos e cinco de cross-docking próprio só no Brasil. Esperamos que isso suba para 3,5 mil pontos e 13 locais de cross-docking até dezembro”, complementou.

Estrutura

Segundo o Mercado Livre, a Kangu permanecerá independente e continuará a ser administrado por seus co-presidentes. A transação está sujeita à aprovação dos reguladores de concorrência.

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais