Logo Mais Retorno

Siga nossas redes

  • Instagram Mais Retorno
  • Youtube Mais Retorno
  • Twitter Mais Retorno
  • Facebook Mais Retorno
  • Tiktok Mais Retorno
  • Linkedin Mais Retorno
Tesouro IPCA
Economia

Mais importante que número do PIB é observar ‘qualidade’, diz SPE

Secretaria acredita que os resultados podem ser revisados para cima

Data de publicação:02/12/2021 às 12:58 -
Atualizado 2 anos atrás
Compartilhe:

Após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) trazer números que confirmam que o Brasil entrou em recessão técnica após dois trimestres seguidos de retração no Produto Interno Bruto (PIB), a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia divulgou nota técnica argumentando que "mais importante que o número" é a "qualidade" do crescimento.

Os dados mostram queda de 0,1% no PIB do terceiro trimestre, após um recuo de 0,4% no segundo trimestre (dado revisado para pior nesta quinta-feira). Ainda assim, a SPE alega que os resultados poderão ser revisados para cima no futuro.

XP Investimentos: resultados do IBC-Br apontam crescimento para o PIB do 1º trimestre de 2021
Cédulas de real, a moeda oficial brasileira | Foto: Reprodução

Para o órgão chefiado por Adolfo Sachsida, mesmo com a retração na margem, o crescimento de 4,0% em relação ao terceiro trimestre do ano passado mostra a continuidade da recuperação da economia em relação à crise de 2020. "É fundamental distinguir o que é política econômica de fatores climáticos adversos e pontuais da natureza, deve-se ressaltar que se observa a maior crise hídrica em 90 anos de história", argumenta a SPE.

A nota técnica chama a atenção para a retração de 8,0% no PIB da agropecuária no terceiro trimestre, com um impacto negativo de 0,5% na atividade total em relação ao trimestre anterior. "Se fosse zerada a variação da agropecuária na margem, o PIB cresceria na ordem de 0,3% a 0,4% no trimestre", considera o documento.

A SPE destaca também o bom desempenho do setor de serviços, condizente com a melhora no mercado de trabalho e o aumento da mobilidade. O órgão avalia ainda que, pelo lado da demanda, há elevação da absorção interna, puxada principalmente pelo maior crescimento do consumo das famílias. "Os indicadores coincidentes e o carregamento estatístico mostram que a atividade continuará crescendo a taxas elevadas no final do ano", completa a nota.

Apesar de um novo desempenho negativo da economia brasileira, a SPE destacou que a taxa de poupança chegou a 18,6% do PIB no terceiro trimestre deste ano, retornando ao mesmo nível do terceiro trimestre de 2014. Já a taxa de investimento alcançou 19,4% do PIB, mesmo patamar do começo da década passada.

"Se até 2013 o investimento era em grande parte financiado com recursos públicos, hoje o investimento é financiado majoritariamente pelo setor privado: os recursos, através de decisões do setor privado, vão para onde é mais eficiente e não mais para onde o Estado determina. A redução de direcionamento de crédito é fundamental para retomada do investimento", acrescenta o documento.

Por fim, o órgão ainda ressalta que o IBGE pode rever para cima o resultado do terceiro trimestre de 2021, assim como já ocorreu com o resultado de 2020, por exemplo. "O crescimento da agropecuária em 2020 foi revisado de 2,0% para 3,8%, da indústria de -3,5% para -3,4% e de serviços, de -4,5% para -4,3%", lembra a SPE. / Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. Alguns cálculos e bases de dados podem não ser perfeitamente aplicáveis a cenários reais, seja por simplificações, arredondamentos ou aproximações, seja por não aplicação de todas as variáveis envolvidas no investimento real como todos os custos, timming e disponibilidade do investimento em diferentes janelas temporais. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados