Economia

O número de pessoas desempregadas no País (14,1 milhões) caiu 4,6% (menos 676 mil pessoas) no trimestre encerrado em julho, ante os três meses anteriores. Os dados são da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta quinta-feira, 30.

Foto: Reprodução
Número de desempregados no Brasil caiu 4,6% no trimestre encerrado em julho, segundo IBGE - Foto: Reporodução

Em relação ao mesmo trimestre móvel do ano passado, o volume de desemprego aumentou 7,3% (mais 955 mil pessoas).

Já a população empregada – 89,0 milhões de pessoas cresceu 3,6% (mais 3,1 milhões) ante o trimestre anterior e 8,6% sobre os meses de maio, junho e julho de 2020.

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 13,7% nesse período, ficando no piso das estimativas levantadas pelos analistas, que eram de 13,7% a 14,5%, com mediana de 13,9%.

De acordo com a pesquisa, o nível da ocupação – percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar – estimado em 50,2% cresceu 1,7 ponto porcentual em relação ao trimestre anterior (48,5%) e 3,1% ante igual trimestre do ano passado (47,1%).

Carteira assinada

O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado foi de 30,6 milhões de pessoas, avanço de 2,5% (1,0 milhão de pessoas) em relação ao trimestre anterior e 4,2% (1,2 milhão) sobre o mesmo período do ano passado.

Já o número de empregados sem carteira assinada (10,3 milhões) subiu 6,0% (587 mil) no trimestre e 19,0% (1,6 milhão) no ano.

Recorde

De acordo com o IBGE, o número de trabalhadores por conta própria (25,2 milhões) é recorde da série histórica, com altas de 4,7% ante o trimestre anterior e de 17,6% na comparação anual.

A taxa de informalidade no período somou 40,8% da população ocupada – 36,3 milhões de trabalhadores. No trimestre anterior, a taxa havia sido de 39,8% e na mesma base de comparação e 2020, de 37,4%.

Rendimento

Segundo a PNAD, o rendimento real habitual (R$ 2.508) caiu 2,9% frente aos três meses anteriores e 8,8% frente a igual período de 2020. A massa de rendimento real habitual (R$ 218 bilhões) ficou estável em ambas as comparações.

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais