Mercado Financeiro

Dólar recua a R$ 5,55 com alta do petróleo e Bolsa e queda ante emergentes

Dólar se desvaloriza diante das moedas de outros países emergentes

Data de publicação:25/10/2021 às 05:49 - Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O dólar à vista fechou cotado a R$ 5,556 nesta segunda-feira, com queda de 1,27%. O economista-chefe da J.F. Trust, Eduardo Velho, afirma que o mercado está saindo do câmbio e migrando para a Bolsa, principalmente para Petrobras, cujas ações subiram mais de 6%, diante das perspectivas de novos aumentos de combustíveis em meio à alta dos preços do petróleo e espera do balanço trimestral da petroleira nesta semana.

Para ele, o ajuste de baixa frente o real acompanha a queda predominante do dólar ante moedas emergentes nesta manhã no exterior em meio a um leve apetite por ativos de risco, que apoia ganhos das bolsas americanas.

Foto: acervo
Mercado espera que aumento dos gastos fora do texto sejam compensados nos próximos governos

O economista avalia que o abandono do teto de gastos pelo governo já foi precificado e agora, o mercado avalia em quanto pode ficar o extrateto, mas espera que em algum momento o excesso de gasto atual pode ser corrigido no próximo governo. "Os próximos governos tendem a tomar medidas para conter a tendência de piora das contas públicas", acredita.

Ele destaca a queda também hoje do risco Brasil, que ajuda no alívio da taxa de câmbio. O CDS do Brasil de cinco anos estava em leve queda a 222 pontos-base por volta das 11 horas, após subir 6% na sexta-feira a 224 pontos-base ante quinta.

Na sexta-feira, o CDS de cinco anos acumulava alta de quase 10% em outubro e de cerca de 59% neste ano até 22 de outubro, enfatizou.

Para Velho, no entanto, um Copom mais agressivo nesta quarta-feira, com elevação de 150 pontos-base da Selic, pode não ser suficiente para voltar a atrair investidores estrangeiros ao País, porque os "gringos" não olham apenas o juro real, mas os fundamentos fiscais e políticos também, que continuam nebulosos./Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
Mais RetornoA Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!