Renda Variável

Em fevereiro de 2021, a Vivo (Telefônica) apresentou os resultados obtidos pela empresa referente às operações do quarto trimestre de 2020. Com um lucro líquido de mais de R$ 1,2 bilhões, a companhia exibiu um crescimento significativo relacionado às suas operações, sobretudo em razão do seu propósito de estabelecer conexões de qualidade e excelência no atendimento ao cliente.

Neste artigo vamos analisar os principais resultados da Vivo, como as ações da empresa são negociadas e se de fato vale a pena investir. Ficou interessado? Então, continue sua leitura!

Quem é a Vivo?

A Telefônica Brasil S.A, popularmente chamada de Vivo, é uma das principais companhias de telecomunicação do Brasil e tem sua presença marcada por fortes atuações no mercado de telefonia fixa, móvel, banda larga, ultra banda larga, TV por assinatura, entre outros.

Com mais de 95 milhões de acessos por ano, a empresa ocupa um market share móvel de 33,6%, marca superior em 7,8% em relação ao segundo colocado. Além disso, a empresa oferece serviços de cobertura 4.5G para mais de 1870 cidades brasileiras. Atualmente a companhia está listada na bolsa de valores brasileira e tem suas ações negociadas sob o código VIVT3.

Gestão administrativa

Os principais instrumentos de governança da companhia são compostos pela Assembleia Geral de Acionistas, pelo Conselho de Administração e Fiscal. O Conselho de Administração é formado por 12 membros — que são eleitos pela Assembleia Geral de Acionistas — e têm um mandato com duração de três anos.

Já o conselho Fiscal é composto por três membros efetivos e três suplentes, todos eleitos para um mandato de um ano, sendo permitida a reeleição, conforme estabelecido pela Assembleia Geral de Acionistas.

Vale lembrar que o Conselho de Administração conta ainda com uma Diretoria Estatutária, além de ser auxiliado por quatro comitês não estatutários de auditoria e controle, nomeações, vencimentos e governança corporativa, além dos comitês de atenção comercial e estratégia.

São membros do Conselho de Administração:

Fonte: site da empresa

Resultados da Vivo em 4t20

A Vivo apresentou lucro líquido de R4 1,2 bilhões no 4t20, sendo este um crescimento de quase 7% frente ao 3t20, além de um acréscimo de 1,5% em comparação ao período homólogo. O EBITDA total foi de aproximadamente 4,8 bilhões no 4t20, sendo a margem EBITDA de 43,6%.

No trimestre, a margem bruta foi de 46,9%, ante 48,7% do 3t20 e 49% do 4t19. Por outro lado, a margem líquida atingiu a marca de 11,6% no último trimestre do ano passado, enquanto o trimestre anterior foi de 11,2%.

Já no que se refere aos ativos totais, o saldo registrado no período foi de R$ 108,7 bilhões, o que corresponde a um acréscimo de 0,4% frente ao saldo obtido pelo trimestre do ano anterior. Com isso, o patrimônio líquido da companhia foi de R$ 69,5 bilhões no 4t20, uma diferença negativa de 1,3% em relação ao saldo do 4t19.

Operacional

No quarto trimestre de 2020 a receita operacional líquida da Telefônica foi de R$ 11,19 bilhões, sobre a receita líquida móvel e fixa. No trimestre, o número de acessos móveis atingiu 78.532 usuários, além de 16.519 acessos fixos. A empresa fechou ainda o market share total de 33,6%, ocupando assim o seu posto mais alto da última década.

A Vivo atingiu também 44.870 mil acessos em dezembro de 2020, representando um crescimento de quase 4% em relação à 2019 no mercado pós-pago. Por outro lado, o pré-pago contou com uma base de clientes de 33.663 mil acessos, ou seja, um crescimento de 7,2%.

Financeiro

Em comparação ao 4t19, a Telefônica atingiu um decréscimo de 1,6%, já que no seu último balanço de 2020 a receita líquida de vendas divulgada atingiu apenas R$ 11,1 bilhões. Em contrapartida, houve um crescimento de 10,3% no custo dos serviços prestados, especialmente quando comparado ao período homólogo.

O EBITDA da Vivo foi de R$ 4,8 bilhões no 4t20, o que configura uma queda de 1,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Com isso, a margem EBITDA foi de cerca de 43% no 4t20 — queda de 0,1% se comparado ao último trimestre de 2019.

Dessa forma, a empresa fechou o ano de 2020 com um prejuízo de R$ 287 milhões, apesar de ter também registrado uma redução de 8% referentes aos gastos gerais e administrativos divulgados no 4t19.

Como investir na vivo?

Agora que você já conhece os principais resultados financeiros da empresa, se deseja investir na companhia, saiba que pode ser feito de forma extremamente simples por qualquer pessoa — mesmo que não tenha experiência neste tipo de mercado.

O primeiro passo, portanto, passa diretamente pela abertura de conta em uma corretora de valores da sua confiança. Em seguida, basta transferir os recursos necessários para fazer o aporte nos papéis da empresa.

Embora se trate de um procedimento simples, é importante destacar que este tipo de ação exige muito cuidado por parte dos investidores iniciantes, tendo em vista que no mercado de renda variável os ativos são extremamente voláteis, isto é, as ações se valorizam, bem como registram uma desvalorização acentuada, gerando prejuízos para as pessoas menos preparadas para correr riscos.

Nesse contexto, é indispensável entender como funciona o mercado antes mesmo de começar a pesquisar sobre as ações da Vivo.

Vale a pena?

A Telefônica é uma empresa que lidera o setor de telecomunicações. Além disso, possui um portfólio de produtos de alta qualidade, bem como um bom número de clientes em todas as regiões do Brasil. Como pudemos observar, seus demonstrativos financeiros indicam a consolidação de resultados com um saldo bastante positivo.

Outro diferencial da Vivo é sua capacidade de gerar fluxo de caixa livre e isso se dá ao fato de uma grande combinação de lucro e investimentos minimizados. Outro detalhe importante é que a mudança na regulamentação de telecomunicações no país também pode beneficiar a empresa.

Em contrapartida, é preciso estar atento a alguns pontos importantes, já que a companhia aplica tarifas normalmente acima das praticadas pela sua concorrência. Logo, caso haja uma aposta mais agressiva por parte dos concorrentes, poderia gerar uma maior preocupação nos resultados da empresa, já que reduziria sua competitividade no mercado de telecomunicações.

Portanto, para entender melhor se vale ou não a pena investir na Vivo é essencial realizar uma boa análise fundamentalista para estabelecer melhor os principais benefícios de se investir na companhia.

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Empresa
Renda Variável
Renda Variável
Renda Variável
Veja mais Ver mais