Renda Variável

A Oi é uma empresa brasileira do setor de telecomunicações em processo de recuperação judicial. De acordo com o último trimestre de 2020, a companhia apresentou um lucro líquido de mais de 1,7 bilhões de reais, o que contribuiu para a minimização do prejuízo apresentado no ano anterior.

No 4t20, o lucro líquido atribuído aos acionistas controladores foi de quase 1,8 bilhões no período, revertendo uma marca negativa de 2,26 bilhões registrados entre outubro e dezembro de 2019. Em função dessa recuperação, os papéis da empresa — encontrados através do ticker OIBR3 e OIBR4 — negociados na bolsa de valores também tiveram uma valorização de 5% e 6,36%, respectivamente.

Confira neste artigo os principais resultados da companhia e veja também como as ações da Oi são negociadas e se vale a pena investir nela.

Quem é a Oi?

A Oi teve os seus primeiros passos dados ainda em 1998 após a privatização da Telebrás. Contudo, a companhia de telecomunicações foi oficialmente instituída apenas em 2002. Anteriormente chamada de Telemar, a concessionária de serviços de telecomunicações se trata de uma das principais operadoras de telefonia móvel do país, sendo a maior operadora de telefonia fixa e a terceira maior empresa de telecomunicações da América do Sul.

Sua trajetória foi marcada por alguns momentos importantes, sobretudo após a aquisição da Brasil Telecom em 2009, já que essa incorporação resultou em uma grande expansão no setor de telefonia fixa do país. Em 2017, por exemplo, a empresa que oferece também serviços de internet banda larga e TV por assinatura atingiu a marca de mais de 59 milhões de clientes.

Ao lado de empresas como a Vivo, Tim e Claro, a Oi é uma das operadoras brasileiras com maior destaque, além de também participar ativamente dos serviços de telecomunicações em outros países do continente africano, como Angola, Cabo Verde, Moçambique e Quênia.

Gestão administrativa

A Oi é uma subsidiária do Grupo Oi, fundado em 2013 após a fusão da companhia brasileira e a Portugal Telecom (Altice Portugal). Apesar de não contar com um controlador que detenha 100% das ações da empresa, cerca de 14,83% delas são representadas por grandes acionistas como a Brookfield (5,77%), Bratel S.A (5,28%), Solus (3,62%) e VIC DTVM (0,16%).

Os principais instrumentos de governança da companhia são: Conselho de Administração, Conselho Fiscal, Comitês e Diretoria Executiva — além de órgãos de auditoria interna e externa. O Conselho de Administração é formado por 11 membros eleitos pela Assembleia Geral Ordinária.

O mandato do Conselho formado por diretores é de 2 anos, com a possibilidade de reeleição. Dentre suas principais atribuições, destaca-se o estabelecimento de estratégias para que a companhia possa atingir seus objetivos organizacionais.

Resultados da Oi em 4t20

Em março de 2021, a Oi divulgou seus resultados alcançados no quarto trimestre de 2020. No período, a empresa apresentou uma receita líquida consolidada de 4,7 bilhões de reais, o que representa um acréscimo de 1,5% em relação ao 3t20 — muito embora tenha tido um desempenho 2,8% inferior ao período homólogo.

Já em relação à receita líquida de operações no Brasil, houve um crescimento de 1,5% em comparação ao 3t20, mas, também se registrou uma queda de 2,9% em relação aos meses de outubro a dezembro de 2019. Com os serviços de operações, isto é, desconsiderando a receita de venda de aparelhos, o ganho líquido total do trimestre foi de 4,6 bilhões de reais, sendo cerca de 1,4% a mais que o terceiro trimestre de 2020.

Operacional

No 4t20, a receita líquida da companhia atingiu 4,7 bilhões de reais, cerca de 1,5% maior em relação ao trimestre anterior e -2,8% em comparação ao 4t19 — considerando os resultados obtidos pela companhia em outros países, isto é, em suas operações internacionais. No Brasil, a receita operacional consolidada é composta pelos serviços de mobilidade pessoal, residencial, mercado B2B e outros serviços.

Em resumo, as receitas do último trimestre de 2020 se deram da seguinte forma:

Financeiro

Como já destacamos, a Oi apresentou uma queda de 2,8% na receita líquida de vendas da empresa em comparação com o mesmo período de 2019 ao atingir o faturamento de 4,7 bilhões de reais. Além disso, a empresa teve um EBITDA consolidado de 1,4 bilhões, o que representa um incremento de 5,5% em comparação ao último trimestre de 2019 e de 2% em relação ao 3t20.

Sendo assim, entre outubro e dezembro de 2020, a margem EBITDA da companhia totalizou 34,9%, ante 26,4% em relação ao 4t19 e 31,6% no 3t20. No acumulado do ano, a margem foi de 34,1%.

A Oi ainda registrou uma queda considerável no resultado financeiro apresentado no último relatório de 2020, isso porque, a companhia teve um prejuízo de mais de R$ 1,5 bilhão no 4t20, o que representa uma retração de 27,1% em comparação ao período homólogo.

De acordo com a empresa, essa redução no trimestre se dá em função da contabilização de receitas líquidas cambiais, por conta da desvalorização do dólar, entre outros fatores.

Como investir de forma segura?

O primeiro passo para fazer um investimento seguro em qualquer empresa listada na bolsa de valores é abrir uma conta em uma corretora de valores, já que por meio dela se pode escolher os melhores ativos da Oi (OIBR3 ou OIBR4). Vale ainda lembrar que é preciso verificar se a instituição escolhida é credenciada tanto pelo Banco Central quanto pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a B3.

Em seguida, basta fazer a transferência de dinheiro para a corretora escolhida para fazer o aporte que deseja nas ações escolhidas. Nesse caso, o procedimento é bastante simples, já que a transferência se trata de um serviço bancário comum entre contas digitais, por exemplo.

Ótimo. Agora que você já abriu uma conta e transferiu os recursos, chegou a hora de escolher entre as ações da empresa. A OIBR3 se trata de uma ação ordinária, isto é, garante a participação em decisões da companhia através de votos nas assembleias gerais.

Por outro lado, a OIBR4 é uma ação preferencial, ou seja, dão preferência aos acionistas para o recebimento de dividendos, por exemplo. Logo, para definir a melhor estratégia é preciso levar em consideração os seus objetivos enquanto investidor.

Vale a pena?

Para saber se de fato vale a pena investir em ações de uma empresa, é preciso fazer uma análise detalhada sobre ela. Entretanto, essa decisão passa diretamente também pelo objetivo dos investidores, bem como riscos e expectativas de valorização do ativo ao longo do tempo.

Isso porque, embora seja uma tarefa mais complexa, analisar os dados disponíveis no mercado, bem como adequar suas metas e objetivos é um passo importante para definir em qual papel investir.

Vale destacar que em 2016 a empresa entrou com um processo de recuperação judicial com uma dívida de 64 bilhões de reais. De lá para cá, a empresa tem levantado recursos e investido em novos projetos, contribuindo para amortização da dívida bilionária.

Diante deste contexto, em relação às demais empresas do mercado, a Oi de fato apresenta um risco maior de investimento, apesar das ações adotadas para reestruturação da companhia nos últimos anos. Sendo assim, é fundamental analisar todo o contexto histórico da companhia para realizar aportes com tendência de ganho no futuro e minimizar eventuais prejuízos.

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Renda Variável
Renda Variável
Mercado Financeiro
Renda Variável
Veja mais Ver mais