Empresa

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou aos seus acionistas nesta sexta-feira, 10, que a CSN Cimentos, que concentra as operações de fabricação e comercialização de cimento do grupo, fechou a compra de 100% das ações de emissão da concorrente suiça Lafarge Holcim pelo valor de US$ 1 bilhão e aumenta sua posição no mercado.

A Holcim é considerada a terceira maior produtora de cimentos, ficando atrás somente da Votorantim e Intercement.

Foto: Rüdiger Nehmzow
Holcim é considerada a terceira maior produtora de cimentos do País - Foto: Rüdiger Nehmzow

Segundo a CSN, em comunicado divulgado ao mercado, a aquisição adiciona uma capacidade produtiva à CSN Cimentos de 10,3 milhões de toneladas de cimento por ano, por meio de plantas de cimentos localizadas no Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, além de reservas de calcário de alta qualidade e unidades de concreto e agregados.

A CSN destacou ainda que espera a ocorrência de sinergias relevantes entre as duas empresas sob o ponto de vista operacional, logístico, de gestão e comercial, “com espaço para a evolução de mix de produtos e expansão da base de clientes”.

A companhia complementou, em documento, que esse movimento “se insere na estratégia de expansão da CSN Cimentos em meio à recuperação do consumo de cimento no Brasil, demonstrando a capacidade da empresa de assumir um papel de destaque do setor”.

Com o fechamento da operação, que ainda requer o aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a CSN Cimentos passará a ter uma capacidade total de 16,3 milhões de tonelada de cimento por ano “e a presença cada vez mais abrangente no território nacional como um produtor relevante e de baixo custo”.

Elizabeth Cimentos

Esse não é o primeiro movimento de aquisição da CSN por meio de sua subsidiária CSN Cimentos. Em junho, a empresa comprou a Elizabeth Cimentos por R$ 1,08 bilhão.

A compra acrescentou uma capacidade de 1,3 milhão de toneladas por ano para a CSN Cimentos, somando uma produção total de 6 milhões.

Imagem do autor

Repórter do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais