Mercado Financeiro

Conheça a Cogna (COGN3) e veja se vale a pena investir

Fundada em 1966, a Cogna (COGN3) é considerada a maior empresa do ramo de educação do mundo segundo a Value Today. É a antiga Kroton Educacional,…

Data de publicação:24/06/2021 às 04:38 - Atualizado 4 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

Fundada em 1966, a Cogna (COGN3) é considerada a maior empresa do ramo de educação do mundo segundo a Value Today. É a antiga Kroton Educacional, que sempre se destacou nos ensinos educacionais de todos os níveis.

Oferece serviços que englobam desde a pré-escola, ensinos primário e secundário, vestibular, cursos preparatórios, bem como educação superior e pós graduação, entre muitas outras opções. Por este motivo, atualmente conta com mais de 2,4 milhões de alunos distribuídos em suas redes de ensino presenciais e à distância.

Possui ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo, dentro do segmento de Novo Mercado, que indica os maiores níveis de governança corporativa do Brasil. Se você deseja saber mais sobre a Cogna (COGN3) e se vale a pena investir nela, continue conosco!

Tenha uma boa leitura!

Quem é a Cogna (COGN3)

Atuando no ramo de educação há mais de 50 anos, a Cogna (COGN3) é considerada uma das principais organizações educacionais de todo o mundo. Aqui no Brasil, segundo os últimos dados (2019), a empresa possui 158 unidades de ensino superior distribuídas em 116 cidades, além de 1.510 polos para EAD.

Era anteriormente chamada de Kroton Educacional, quando em 2019 recebeu uma reestruturação completa que a dividiu em 4 unidades diferentes de negócio. São eles:

  • Kroton - empresa de ensino superior na modalidade B2C;
  • Platos - serviços de educação no formato B2B;
  • Saber - empresa de ensino básico na modalidade B2C;
  • Vasta Educação / Somos Educação - responsável pelo B2B para o ensino básico.

Com capital aberto desde 2007, tem suas ações negociadas na Bolsa de Valores através do código COGN3. Além disso, também dispõe de ADRs (American Depositary Receipts) no mercado de balcão (OTCQX) de Nova York, através do código COGNY.

História da Cogna (COGN3)

A história da Cogna (COGN3) começou em 1966, em Belo Horizonte, quando 5 amigos decidiram abrir um curso pré-vestibular chamado Pitágoras. Já nos anos 90, nasceu a Rede Pitágoras que em pouco tempo já contava com 106 escolas associadas.

Em 2007 a empresa abriu IPO na antiga BM&FBovespa (hoje B3), com o nome Kroton Educacional (KROT11). Em 2010, o Grupo IUNI Educacional foi adquirido ampliando sua área de atuação já que o grupo promovia graduações e pós-graduações.

Em 2013 ocorreu o maior investimento da companhia: se fundiu ao concorrente Anhanguera, se tornando assim a maior rede educacional do mundo no que se refere à valor de mercado e alunos. Em 2018 a empresa comprou a SOMOS, maior plataforma de Educação Básica do país.

Em 2019, depois de uma super repaginação, a companhia se dividiu em 4 marcas e passou a se chamar Cogna (COGN3). Dentre as instituições da holding estão: Kroton, Vasta, Saber e Platos.

Estrutura organizacional da Cogna (COGN3)

A Cogna (COGN3) possui em seu Estatuto Social a determinação de que sua diretoria seja composta por no mínimo 4 e no máximo 12 membros que tenham sido eleitos. Estes membros também podem ser destituídos a qualquer momento pelo Conselho de Administração (que veremos no próximo item).

Veja como se dá o quadro de diretores:

Gestão administrativa da Cogna (COGN3)

A gestão administrativa da Cogna (COGN3) pode ser distribuída entre três grupos fundamentais para o andamento da Companhia: o Conselho de Administração; os Comitês Consultivos e o Conselho Fiscal.

Veja abaixo os nomes responsáveis por cada área.

Conselho de Administração

Comitês Consultivos

Conselho Fiscal

Negócios e áreas de atuação da Cogna (COGN3)

Além do setor Educacional onde oferece ensinos para todas as idades e áreas de atuação, a Cogna (COGN3) também realiza atividades que envolvem a distribuição, incluindo atacado e varejo, a importação e exportação de revistas e livros didáticos.

Outro ponto importante é o licenciamento de produtos pedagógicos, artigos dentre outras publicações. Ao todo, são 21 estabelecimentos que recebem a marca Pitágoras; 10 com a marca Unic; 10 com a marca UNIME, Ceama, Unirondon, Fais, Fama e União; 5 com a marca Unopar; totalizando sua atuação em 10 estados brasileiros.

Além disso, a companhia também possui 804 escolas associadas no país, além de 5 estabelecimentos educacionais parceiros no Japão e uma no Canadá.

Concorrentes da Cogna (COGN3)

Mesmo sendo o maior conjunto educacional do mundo, a Cogna (COGN3) possui concorrentes fortes, ainda mais depois do início da pandemia. Devido ao encerramento das aulas presenciais e o afastamento dos alunos das escolas, as empresas tiveram que inovar para continuarem em alta.

Dentre as principais marcas adversárias, estão a Ser Educacional (SEER3) e a YDUQS (YDUQ3) (marca dona da Estácio). No segundo trimestre do ano passado, enquanto a Cogna teve uma queda de 12% em suas ações, a Yduqs teve um aumento de 3,2% em sua receita.

No primeiro trimestre deste ano, o saldo foi positivo para todas. Yduqs anunciou uma alta de 5,58%, Cogna 3,85%. e Ser Educacional valoriza 3,41%.

Evolução das ações da Cogna (COGN3)

No primeiro trimestre de 2021, a Cogna (COGN3) registrou forte queda no lucro líquido, de significativos de 86,1% se comparado ao mesmo período do ano passado. De R$ 46,8 milhões, passou a R$ 6,4 milhões no indicador fundamentalista.

Quanto à margem líquida ajustada, essa também teve queda, foram 2,4 p.p. passando de 2,9% para 0,5% no 1T21. No entanto, nos últimos dias a empresa tem apresentado uma reação positiva, como você pode ver no gráfico abaixo.

Gráfico de ações da Cogna (COGN3)

Dividendos da Cogna (COGN3)

A Cogna (COGN3) costuma pagar seus dividendos por ações a cada trimestre, sendo uma média de 3 a 4 pagamentos anuais referente a distribuição de seus lucros.

Veja abaixo o gráfico referente ao histórico de dividendos por ação:

Fonte: site da companhia

Como investir na Cogna (COGN3)

Para investir na Cogna (COGN3) você precisa ter uma conta em uma corretora de valores para que tenha acesso a área de negociações. Para isso, siga o passo a passo:

  1. Pesquise por uma corretora de valores que seja da sua confiança;
  2. Clique em abrir sua conta e envie todos os documentos necessários para aprovação;
  3. Após aprovado, preencha todos os dados para finalizar a abertura de conta;
  4. Faça uma transferência do valor a ser investido + taxas da sua conta corrente para a conta da corretora;
  5. Acesse a Home Broker - a área de negociações da Bolsa de Valores dentro da corretora;
  6. Pesquise pelo código COGN3;
  7. Selecione o ativo e preencha todos os campos obrigatórios para a compra, como: quantidade de papéis que deseja comprar e o preço pago por cada um;
  8. Confira se todos os dados estão corretos;
  9. Insira a sua assinatura eletrônica e clique em executar a ordem;
  10. Sua ordem ficará exposta na aba “Ordens”, onde você poderá acompanhar o andamento da mesma.

E na COGNY?

COGNY é o código dos ADRs (American Depositary Receipts) da Cogna, negociados no mercado de balcão (OTCQX) de Nova York. Os ADRs servem para que americanos possam investir em ações do mundo inteiro sem precisar abrir conta em corretora estrangeira.

Funcionam como os nossos BDRs, que servem para que brasileiros possam investir no exterior sem precisar sair do Brasil. É uma modalidade específica para clientes que já possuam dinheiro nos Estados Unidos.

Dessa forma, se você for brasileiro residente no Brasil, é preferível investir diretamente nas ações da Cogna (COGN3) aqui no Brasil, através do passo a passo que elencamos acima.

Vale a pena investir na Cogna (COGN3)

Existem alguns fatores muito importantes a se levar em consideração para decidir se vale ou não a pena investir em Cogna (COGN3). O primeiro deles é analisar o seu perfil de investidor. Vamos ver um pouco mais sobre isso abaixo:

Perfil de investidor

O seu perfil de investidor é o primeiro passo para analisar se vale a pena ou não investir em determinado investimento. Isso porque o mercado de ações oferece alguns riscos, e você precisa estar disposto a encará-los para que valha a pena o negócio.

Para isso, analise se o seu perfil é conservador, moderado ou arrojado. Sendo conservador, este não será um investimento bom para você, já que envolve riscos. Mas se for moderado ou arrojado, você já poderá pensar em investir neste papel e passar para o próximo item.

Análise Fundamentalista

Para saber se uma ação é boa ou não, busque analisar os seguintes fundamentos:

Você pode saber mais sobre os indicadores fundamentalistas aqui no nosso portal.

Preço da Ação

Depois de analisar o seu perfil de investidor e os aspectos fundamentalistas da empresa, é hora de analisar o preço do ativo. Você não deseja pagar mais do que realmente vale uma empresa, correto?

Por este motivo, a análise de preço é fundamental. Observe o histórico de cotações e não compre quando o ativo estiver muito caro. É sempre bom aguardar por um momento mais oportuno, quando aquele papel que você sabe que tem valor está com preço baixo.

Para isso, não esqueça: valor é diferente de preço! É ideal que a empresa tenha valor alto, mas esteja sendo cotada a um preço baixo. Como se fosse um produto em promoção.

Sobre o autor
Mais Retorno
Mais RetornoA Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Balança Corrente

Balança Corrente

O que é Balança Corrente? A Balança Corrente é uma das contas da contabilidade nacional formada pela soma de outras três balanças, que são: Balança Comercial;...

  CONTINUAR LENDO