Economia

Confiança do consumidor recua 1,4 ponto em novembro ante outubro, destaca FGV

Aumento da incerteza econômica, com o avanço da inflação, política monetária restritiva e maior endividamento das famílias de baixa renda ajudaram na queda do indicador

Data de publicação:24/11/2021 às 12:14 - Atualizado 14 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

A confiança do consumidor recuou 1,4 ponto em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 24, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) ficou em 74,9 pontos, o menor valor desde abril (72,5 pontos). O resultado ocorre após uma breve alta do indicador em outubro. Em médias móveis trimestrais, o índice caiu 2,3 pontos, para 75,5 pontos.

Foto: Envato
Aumento da incerteza econômica por conta da inflação elevada e maior endividamento das famílias de baixa renda ajudaram a reduzir a confiança do consumidor em novembro, aponta a FGV - Foto: Envato

"Apesar do avanço da vacinação, suas consequências favoráveis na redução de casos e mortes e flexibilização das medidas restritivas, o aumento da incerteza econômica diante de uma inflação elevada, política monetária restritiva e maior endividamento das famílias de baixa renda tornam a situação ainda desconfortável e as perspectivas ainda cheias de ameaças", diz a nota divulgada pela FGV.

Em novembro, a piora foi puxada tanto na avaliação da situação corrente quanto das expectativas. O Índice de Situação Atual (ISA) diminuiu 2,1 pontos, para 66,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) caiu 1,0 ponto, para 81,4 pontos.

Entre os quesitos que compõem o ISA, a piora da avaliação foi liderada pela deterioração da situação econômica local e das finanças das famílias. Entre os quesitos que compõem o IE, pesaram as perspectivas sobre a situação financeira familiar, cujo indicador recuou 3,5 pontos, para 80,0 pontos, eliminando a recuperação acumulada no mês anterior.

"O indicador que mede as expectativas sobre a situação econômica subiu 1,8 ponto, para 100,3 pontos. Mas, mesmo com melhores perspectivas financeiras familiares, o ímpeto de compras para os próximos meses continuou caindo pelo terceiro mês consecutivo, 1,1 ponto para 66,4 pontos", diz a nota divulgada pela entidade.

Piora em todos os grupos

A análise por faixa de renda revela piora da confiança para todos os grupos, com exceção das famílias com renda entre R$ 4.800,01 e R$ 9.600,00. A faixa de renda entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800,00 registrou o pior desempenho com queda de 6,7 pontos para 66,3 pontos, o que elimina o avanço registrado no mês anterior.

A Sondagem do Consumidor coletou informações de 1.510 domicílios entre os dias 1º e 22 de novembro. / com Agência Estado

Sobre o autor
Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Corrupção

Corrupção

O que é Corrupção? O termo corrupção tem sido muito utilizado desde os primórdios da humanidade. Certamente, é um termo com amplas interpretações. A corrupção pode...

  CONTINUAR LENDO