Fundos de Investimentos

Quem passa os olhos nos resultados dos dez fundos de ações relacionados na lista dos mais rentáveis do ano custa a acreditar que os dados sejam lavra do mesmo mercado de ações em que seu principal indicador, o Índice Bovespa (Ibovespa), acumula uma desvalorização de 0,20%, de janeiro até 31 de agosto, mesmo período adotado para a comparação dos fundos. Se a contabilização for feita até o fechamento desta quinta-feira, 16, a queda é de 4,39%.

O ranking exclusivo da Mais Retorno é feito a partir de dados que os gestores fornecem à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e são considerados os fundos abertos ao público em geral, com patrimônio a partir de R$ 17 milhões e número de cotistas igual ou superior a 60 e em operação há, pelo menos, um ano.

O Trígono Delphos Income FIC FIA, o campeão, rendeu 61,10% e o décimo dessa lista de campeões de melhor desempenho no ano, até agosto, foi o Agora Arrojada Index FIA, com 26,44%. Os resultados impressionam não apenas porque destoam do Ibovespa, mas porque o cenário político e econômico tem sido bastante desafiador para o mercado de ações.

Outro fator surpreendente também é que o investidor tem acesso a esses fundos em condições facilitadas, como o valor mínimo de aplicação de apenas R$ 100. Esse valor mais baixo é exigido por três fundos: o Trend Bolsa Americana Alavancado FIA (XP), que rendeu 46,77%; o RBR Vitreo Real Estate Global FIA IE, 29,82%, e Agora Arrojada Index FIA, 26,44%. Os dados indicam que o investidor pode destinar seu dinheiro aos produtos mais rentáveis na bolsa de valores com valor inicial baixo.

A exigência mais elevada chega a R$ 10 mil, colocada por dois fundos da lista: o Organon FIC FIA, que rendeu 58,09% no período, e o Simétrica BR FIA, 42,86%, dos quais 7,96% apenas em agosto, mês em que o Ibovespa recuou 2,48%.  O segundo valor inicial mais alto, de R$ 5 mil, é o do Hayp FIA, que rendeu 57,82%. Ainda assim, níveis relativamente acessíveis a muita gente.

Fundos de ações small caps no topo do ranking

A Trígono Capital é a gestora campeã de fundos de ações mais rentáveis no ano, com quatro produtos no topo da lista dos 10 de melhor desempenho, com diferentes estratégias, explica Fábio Orsatto Bebber, da inteligência de negócios da gestora. Micro e small caps, empresas com boas perspectivas de distribuição de bons dividendos e empresas com casos de sucesso são os principais focos dos fundos.

A estratégia do campeão Trígono Delphos Income FIC FIA tem foco em empresas distribuidoras de bons dividendos. O Trígono Flagship 60 Small Caps FIC FIA, uma extensão do Trígono Flagship Small Caps FIC FIA (fechado para captação), ambos com a mesma estratégia, tem foco em ações de empresas micro e small caps, cotadas abaixo de R$ 10 bilhões pelo valor de mercado ou que negociam abaixo de R$ 10 milhões por dia.

“Todos têm rendimentos parecidos porque há uma sobreposição de empresas”, esclarece Bebber.  Ações de determinada empresa podem fazer parte da carteira de diversos fundos da gestora.

O único fundo carteira livre do quarteto da gestora Trígono Capital é o FIA Trígono Verbier, que tem a liberdade de investir em ações de qualquer empresa, “mas a estratégia é a da concentração”, explica Bebber. Ela consiste na escolha de ações de empresas com os principais cases de sucesso para a carteira.

Ele sintetiza o critério singular de seleção da gestora afirmando que a escolha recai sobre ações de empresas de menor capitalização que estão fora do holofote de análise tradicional do mercado. Um critério que “explica o resultado diferente do apresentado por ações de empresas que adotam os índices do mercado”. 

A gestão de fundos da Trígono Capital tem como características a alocação de recursos apenas em ações no mercado à vista, sem alavancagem e derivativos, concentração de portfólios em teses de alta convicção, com carteira diversificada, mas seletiva e desapego a benchmarks.

Estratégia simples na Simétrica

Outro fundo de ações que brilhou em agosto, com rendimento de 7,96% no mês, e continua brilhando no ano é o Simétrica BR FIA, um produto voltado a uma estratégia simples, como define Sandro Fernandes, gestor da Simétrica Investimentos.

Ele atribui o sucesso do fundo ao acerto na escolha das ações, em um “processo que começa pela análise macroeconômica, de setores que podem beneficiar-se do cenário e empresas que podem capturar as oportunidades”, oferecidas por esses setores e empresas.

A observação atenta de alguns momentos e de mudanças, na empresa e na sociedade, também podem proporcionar oportunidades de ganho, comenta Fernandes, baseado em experiência própria na gestão do fundo. Segundo ele, empresas pouco ou nada amigáveis ao meio ambiente que abraçam os princípios do ESG passam a ser vistas com bons olhos, porque está na moda. “Tem o case, do business legal, e isso já gerou oportunidades”, comenta. “As lógicas precisam ser simples e boas.”

Fernandes reforça essa ideia em seu trabalho de gestão ao afirmar que “é preciso tentar fazer tudo de maneira mais simples possível”, sem recorrer a alavancagem, derivativos, operações de day-trade e a posições short (vendidas). “O Simétrica só trabalha com posições compradas.”

Conheça mais os fundos de ações campeões em estudo preparado pelo especialista Douglas Roveri, da SVN.

1 – TRÍGONO DELPHOS INCOME FIC FIA – Estratégia tem foco em ações de empresas com histórico consistente de distribuição de dividendos e/ou pagamento de juros sobe capital próprio. Investe também em ações de empresas com potencial para proporcionar ganho de capital, com valorização de longo prazo.

Condições: aplicação mínima inicial e movimentações seguintes a partir de R$ 250; saldo mínimo remanescente, R$ 100; taxa de administração, 2% ao ano; taxa de performance, 20% sobre o que exceder o Índice de Dividendos (IDIV); pagamento de resgate 32 dias após o pedido.

2 – TRíGONO FLAGSHIP 60 SMALL CAPS FIC FIA – Fundo investe em empresas com valor de mercado abaixo de R$ 10 bilhões e/ou liquidez diária inferior a R$ 10 milhões, em busca de melhor relação risco/retorno. Procura oportunidade de investimento ainda em empresas que podem evoluir em governança.

Condições: aplicação mínima inicial e movimentações seguintes a partir de R$ 250; saldo mínimo remanescente, R$ 100; taxa de administração, 2% ao ano; taxa de performance, 20% sobre o que exceder o Índice de Small Caps (SMLL); pagamento de resgate 62 dias após a solicitação.

3 – TRÍGONO FLAGSHIP SMALL CAPS FIC FIA – Fundo original que antecedeu ao Trígono Flagship 60 Small Caps FIC FIA, atual veículo de captação de recursos. O número 60 indica o prazo em que o dinheiro é liberado ao cotista após o pedido de resgate, que no fundo original era de 30 dias.

Condições: aplicação mínima inicial e movimentações seguintes a partir de R$ 250; saldo mínimo remanescente, R$ 100; taxa de administração, 2% ao ano; taxa de performance, 20% sobre o que exceder o Índice de Small Caps (SMLL); pagamento de resgate 32 dias após o pedido.

4 – FIA TRÍGONO VERBIER – Único fundo carteira livre de ações da gestora, o produto tem como estratégia tentar proporcionar aos cotistas ganhos de capital de médio e longo prazo com investimento no mercado de ações. O objetivo é alcançar uma rentabilidade superior ao Ibovespa (índice Bovespa), ainda que não tenha esse índice como referência de desempenho.

Condições: aplicação mínima inicial e movimentações seguintes a partir de R$ 250; saldo mínimo remanescente R$ 100; taxa de administração 2% ao ano; taxa de performance, 20% sobre o que exceder o Índice Bovespa; pagamento de resgate 32 dias após a solicitação.

5 – ORGANON FIC FIA – Estratégia do fundo é a busca de investimentos de alto retorno e boa margem de segurança, sem a preocupação de superar qualquer índice do mercado acionário, como Ibovespa ou IBX. Agnóstico a fatores macroeconômicos, o fundo analisa primeiro a empresa, o setor e só depois a economia como um todo. O maior controle de risco, para esse produto, não é a diversificação, mas o preço pago pelos ativos.

Condições: aplicação mínima inicial, R$ 10 mil; movimentações seguintes, R$ 10 mil; saldo mínimo remanescente, R$ 5 mil; taxa de administração, 1,8% ao ano; taxa de performance, 15% sobre o rendimento que exceder a variação do IPCA e mais 5% ao ano; resgate em 32 após a solicitação.

6 - HAYP FIA – Fundo de ações com característica fundamentalista e com foco no médio e longo prazo, tem como estratégia a análise de demonstrativos financeiros e as perspectivas da empresa e seu setor.

Condições: aplicação mínima inicial, R$ 5 mil; movimentações seguintes, R$ 300; taxa de administração, 2% ao ano; taxa de performance, 20% sobre o que superar o Índice Bovespa; pagamento de resgate 5 dias após a solicitação.

7 - TREND BOLSA AMERICANA ALAVANCADO FIA (XP) – Fundo tem foco em investimento no exterior. Acessa o mercado de ações dos EUA com exposição a duas vezes o risco do S&P 500. O fundo investe 75% do patrimônio líquido em ETFs (fundos listados em bolsa) que seguem o S&P 500, como o SPXI ou o IVVB, e os 25% restantes são alocados em títulos públicos pós-fixados (LFTs – Letras Financeiras do Tesouro). O fundo mantém ainda mais 125% do patrimônio exposto ao S&P 500 via contratos futuros de S&P 500. Sem exposição cambial, o hedge contra a variação cambial sobre o S&P 500 (nos ETFs) é feito com posições vendidas em dólar em contratos futuros.

Condições: aplicação mínima R$ 100; taxa de administração, 0,5% ao ano; resgate em dois dias úteis após a solicitação.

8 – SIMÉTRICA BR FIA – Fundo de ações que procura crescimento patrimonial dos cotistas no médio e longo prazo, com uma carteira de ações escolhidas em um processo de seleção fundamentalista.

Condições: aplicação mínima inicial, R$ 10 mil; movimentações seguintes, R$ 5 mil; taxa de administração, 2% até 2,3% ao ano; taxa de performance, 20% sobre o que superar o Índice Bovespa; resgate em 12 dias após a solicitação.

9 - RBR VITREO REAL STATE GLOBAL FIA IE – Fundo é a primeira estratégia de investimentos do País de gestão ativa em REITs (Real Estate Investiment Trusts), desenhado em uma parceria RBR e Vitreo. REITs são companhias que detêm e, em muitos casos, operam ativos imobiliários nos EUA. Destinado a investidores qualificados, com patrimônio acima de R$ 1milhão, o fundo investe diretamente nos REITs, uma opção com hedge cambial, sem exposição ao câmbio, no segmento imobiliário dos EUA, com foco no longo prazo.

Condições: aplicação mínima inicial, R$ 100; taxa de administração, 1,5% ao ano; taxa de performance, 20% sobre rendimento que exceder 5%; resgate em 15 dias após a solicitação.

10 – ÁGORA ARROJADA INDEX FIA – O fundo tem no portfólio cinco ações de companhias com grande potencial de valorização, de acordo com a análise do Research da Ágora baseada em critérios fundamentalistas, seguindo a carteira recomendada da Ágora Arrojada. O fundo tem a maior volatilidade dentre os fundos da família Index.

Condições: aplicação mínima inicial, R$ 100; taxa de administração, 0,5% ao ano; pagamento de resgate no dia útil seguinte ao do pedido.

Imagem do autor

Colaborador do Portal Mais Retorno.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais