O que é valor presente?

O valor presente é um termo utilizado para indicar, como o próprio nome sugere, quanto um montante vale atualmente.

Embora seja, à primeira vista, um conceito bastante simples, ele é essencial para o cálculo de outros termos, como o valor futuro e a margem sobre investimento (MOI).

Como o valor presente funciona?

A percepção sobre quanto um bem vale (inclusive, a própria moeda) se altera com o passar do tempo.

O meio externo e as motivações pessoais, bem como a disponibilidade do recurso, são capazes de aumentar ou diminuir a relevância que um item tem dentro de uma negociação.

O estabelecimento do valor presente visa, justamente, indicar qual é a visão conjunta acerca desse capital, em relação ao contexto atual e às expectativas futuras.

Qual é a diferença entre valor presente e valor futuro?

O valor futuro indica quanto um capital investido valerá no momento de resgate da aplicação, com base na soma do valor presente com o rendimento do investimento.

Em outras palavras, o valor futuro é o resultado do bolo “valor presente” fermentado pela taxa de juros.

Como o valor presente é formado?

No caso da formação do valor presente, o famoso ditado “o hoje é o amanhã de ontem” cai como uma luva.

Isso porque todas as variáveis que influenciam atualmente a definição do valor futuro, também o fizeram no passado.

Por exemplo, se a inflação age sobre a taxa de juros e esta, por conseguinte, altera o valor futuro, a inflação é um dos fatores que contribuíram, no decorrer dos anos passados, para a formação do valor presente atual.

Esse processo é mais facilmente observado na composição dos preços das ações, que evoluem a cada dia.

Resumindo: conforme o valor futuro se concretiza, ele se transforma automaticamente em valor presente.

Para que serve o valor presente?

Se engana quem pensa que o valor presente é apenas aquela sequência de números em um extrato.

Para o universo das empresas e dos investimentos, o seu significado é muito maior.

Para as empresas

No meio empresarial, por exemplo, o valor presente das ações é uma das medidas que indicam o valor intrínseco de uma companhia – ou seja, o quanto ela vale, efetivamente.

O seu cálculo é feito a partir da fórmula VP = VF/ (1 + i)t, onde:

  • VP é o Valor Presente.
  • VF é o Valor Futuro.
  • I é a taxa de juros vigente.
  • T é o tempo entre o primeiro e segundo elemento.

Dessa maneira, o valor presente cresce ou diminui de forma inversamente proporcional à taxa de juros.

Para os investidores

Antes de destrinchar essa área especificamente, é importante pontuar que, embora nos refiramos aqui apenas ao valor presente do investimento integral em dinheiro, é possível aplicar o mesmo conceito às cotas individuais do ativo.

Ou seja, se você investiu r$1.000,00 em ações a r$10,00 cada uma, o uso do valor presente pode ser feito tanto sobre o investimento total (r$1.000,00), quanto sobre uma única ação (r$10,00).

No caso de quem investe, o cálculo mais importante está atrelado ao Valor Presente Líquido (VPL).

Como um dos métodos mais utilizados para se medir a viabilidade dos investimentos, o VPL visa calcular qual é o valor presente de uma série de pagamentos futuros.

Com isso, identifica se investir o capital será realmente capaz de aumentar o seu valor – afinal, esse é o objetivo de toda aplicação, certo?!

Mas espere! A importância do valor presente nas projeções feitas pelos investidores não para por aí.

A margem sobre investimento (MOI) também o utiliza.

Como meio de predizer quanto do capital será multiplicado no período de maturação, a margem sobre investimento usa o valor presente como comparativo ao valor futuro, veja:

  • Margem sobre investimento = Valor futuro / Valor presente

Dessa forma, se o valor futuro for de r$10.000,00, por exemplo, e o valor presente for de R$8.000,00, significa que o patrimônio foi multiplicado em 1,25 vezes.

A margem sobre investimento, por sua vez, é de 25%.