O que é valor de mercado?

O valor de mercado é o resultado da multiplicação do valor atual da ação de uma companhia pelo número de ações existentes.

Embora o cálculo seja, aparentemente, tão simples, o que ele exprime tem um peso enorme: o prestígio de uma organização, frente a tantas variáveis que influenciam positiva e negativamente o preço das ações.

Por esse motivo o termo “valor de mercado” é tão pronunciado em jornais e programas de televisão, geralmente ligado a notícias de grande impacto que o derrubam ou elevam em um curto período de tempo.

Mas atenção! O valor de mercado não deve ser confundido com outros tipos de valor, como o valor patrimonial.

Embora ambos sejam ferramentas muito importantes para a análise que o mundo exterior faz da companhia, eles se baseiam em dados diferentes e propósitos distintos.

Como o valor de mercado é calculado?

O valor de mercado de uma empresa é obtido a partir de um cálculo simples de multiplicação:

  • Valor de uma ação x Número de ações existentes = Valor de mercado.

Para ilustrar, imagine que uma companhia possua 1000 ações em circulação.

Atualmente, cada ação está sendo negociada a R$10,00, na Bolsa de Valores.

Assim sendo, o valor de mercado dessa empresa é de R$10.000,00.

É claro que os números reais, principalmente de grandes organizações, é exorbitantemente maior.

O valor de mercado das maiores empresas do Brasil e do mundo hoje (Itaú e Amazon), chegou aos incríveis 342 bilhões de reais e 797 bilhões de dólares, respectivamente, em Janeiro de 2019.

Mas tenha o montante usado em nosso cálculo apenas como um exemplo de como a construção do valor de mercado é feita, ok?

Quais são os fatores que influenciam o valor de mercado?

Assim como o preço de negociação de uma ação oscila diariamente, o valor de mercado (ancorado nesse elemento) também oscila.

Os elementos que determinam o valor de mercado de uma empresa são os mesmos que determinam os preços unitários, como:

As variáveis macroeconômicas: a taxa de juros, a inflação, o crescimento ou diminuição do PIB… Em suma, todos os acontecimentos que influenciam a economia como um todo, de origem social, política ou financeira;

As variáveis setoriais: a representatividade do setor, o desempenho dos concorrentes, as tendências de faturamento e consumo, entre outros aspectos ligados à área de atuação da companhia;

As variáveis do mercado: aqui, a relação entre oferta e demanda e as expectativas dos investidores, como aquelas vivenciadas em bear markets e bull markets, são alguns dos fatores influenciadores do valor de mercado.

Um bom caso de como a oscilação dos preços pode impactar o valor de mercado é o vivido pela Microsoft nos últimos meses.

A empresa atingiu a marca de US$ 848 bilhões em Novembro de 2018, desbancando a Apple e se tornando a empresa de maior valor de mercado do mundo.

No entanto, já em Janeiro de 2019, o seu valor de mercado estava em US$ 784 bilhões, o que permitiu que a Amazon (como já citamos) alcançasse o topo da lista.

Qual é a diferença entre o valor de mercado e os outros cálculos do tipo?

Desde que as primeiras organizações empresariais surgiram, são desenvolvidas maneiras de se avaliar o seu porte financeiro e o desempenho das ações.

Cada uma delas utiliza uma faceta diferente das operações econômicas e contábeis para a medição.

Aqui no Mais Retorno já falamos sobre o valor futuro, o valor de face, o valor presente, entre muitos outros termos semelhantes ligados a valoração dos investimentos.

Não tem desculpa para se manter desinformado: basta acessar os artigos e encontrar informações completas sobre a sua composição.

Mas no que tange ao valor de mercado, existe um termo específico que, pela semelhança, costuma ser alvo de muitos equívocos: o valor de firma (ou Enterprise Value).

Ele representa o patrimônio líquido da empresa, calculado a partir da diferença entre os seus ativos e os passivos.

E, como podemos perceber, não tem nenhuma ligação com o valor de mercado.