Open Nav Logo Mais Retorno

Valor Contábil

O que é Valor Contábil?

O termo Valor Contábil é definido pela somatória dos ativos e passivos de uma empresa, como maquinários, insumos e patrimônios tangíveis e intangíveis. Os valores originais dos bens são declarados no balanço geral da empresa e normalmente são corrigidos anualmente.

Para se definir o valor contábil de um ativo ou passivo, deve-se considerar o valor original de compra e subtrair o seu valor de depreciação, amortização ou exaustão acumulada.


Depreciação, amortização e exaustão acumulada

Os bens de uma empresa, sejam eles tangíveis ou intangíveis, podem sofrer de três processos de perda de valor, sendo eles Depreciação, Amortização e Exaustão acumulada. Entenda:

Depreciação

Os bens tangíveis, como máquinas e equipamentos, edifícios, móveis e veículos, de uma empresa sofrem do processo de depreciação, considerando-se o valor de aquisição original, declarado no livro-razão. O valor do ativo geralmente é determinado pela Secretaria de Fazenda do Estado ou órgãos regulatórios.

Considerando o valor de compra do bem, considera-se o valor do ativo na data atual e então se verifica qual foi o valor da sua depreciação.

Amortização

É utilizada para bens intangíveis, como marcas e patentes, softwares, direitos autorais, tecnologias e assim por diante. O processo de amortização consiste no reconhecimento da perda do valor desses ativos com o passar do tempo. O processo se dá mensalmente.

Exaustão Acumulada

O processo de Exaustão Acumulada se dá com bens naturais, como florestas e recursos minerais. Calcula-se o percentual de redução do tamanho da reserva dos recursos naturais no momento inicial da exploração até o momento do cálculo.

Valor de Mercado e Valor Contábil

Embora em alguns casos o Valor de Mercado e Valor Contábil sejam próximos, não se deve confundi-los. O Valor de Mercado de um veículo, por exemplo, é definido pela oferta e demanda e qualidade do mesmo.

O Valor Contábil é definido por meio de órgãos regulatórios e divulgados em páginas oficiais. No caso de automóveis, por exemplo, utiliza-se a Tabela FIPE como base de preço, entretanto dependendo da qualidade, estado de conservação e quilometragem, o veículo pode ser vendido abaixo ou acima do estabelecido pela tabela oficial.

Da mesma forma, o valor de mercado de uma ação nem sempre vai corresponder ao valor contábil da empresa. Afinal, os investidores compram e vende as ações

Como calcular o Valor Contábil?

Como visto acima, cada um dos tipos de ativos precisam ser calculados de formas diferentes, considerando sua depreciação, amortização e exaustão acumulada. Veja a seguir maiores detalhes desse cálculo:

Tangíveis

Quando se trata de tangíveis, deve-se considerar, primeiramente, a taxa de depreciação do bem. Utilizamos o valor de aquisição do ativo, registrado no livro-razão, o valor contábil definido pelo órgão responsável e realizamos a subtração.

Deve-se dividir o valor encontrado pela quantidade de anos para encontrar o valor de depreciação linear do ativo. Dessa forma, realiza-se o cálculo de subtração do valor inicial pela depreciação registrada considerando a quantidade de anos que se passaram.

O método de depreciação linear é utilizado quando a perda de valor do ativo reduz igualmente a cada ano de acordo com a sua expectativa de vida útil.

Intangíveis

O cálculo de amortização, utilizado para bens intangíveis como patentes, marcas, softwares etc., é feito calculando inicialmente a vida útil do ativo.

Considere um software comprado e seu valor de aquisição. Em seguida, considere qual a vida útil desse programa, considerando que o fabricante poderá, por exemplo, lançar novas versões.

Esse é o prazo de vida útil determinado do bem adquirido. Divida o valor pago pelo ativo pelo tempo de vida útil dele, encontrando o valor que deverá ser amortizado de acordo com o tempo restante.

Deve-se ainda subtrair o valor de compra pelo valor de amortização considerando o tempo utilizado do bem para encontrar o valor residual do ativo.

Recursos Naturais

No caso de Exaustão acumulada, o cálculo é feito da mesma forma que da depreciação.

Considera-se o custo inicial para a exploração dos recursos, seja por meio de concessão, privatização ou PPP e em seguida se subtrai pela valor da porcentagem restante dos recursos após o tempo de exploração.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados