O que é o inventário?

O inventário é, por definição, o ato de relacionar, registrar, catalogar e enumerar. Considerando tal informação, fica fácil entender que o inventário nada mais é do que um documento (em forma de listagem) que apresenta todos os elementos de patrimônio que pertencem a uma pessoa (física ou jurídica).

Ou seja, tudo o que é de seu direito e todo o valor monetário correspondente a isso está inserido no levantamento.

O inventário pode ser expedido por empresas e profissionais autorizados e está especialmente ligado à saúde financeira das organizações e ao processo de divisão de bens e heranças familiares.

De modo geral, nos aprofundaremos mais nos inventários ligados às empresas neste artigo. No entanto, caso você esteja buscando por informações pertinentes à partilha de bens, sugerimos que leia os textos completos que desenvolvemos a respeito de heranças e herdeiros. Boa leitura!


Como funciona o inventário?

Como dito, o inventário possui como principal função apresentar uma relação de todos os bens e/ou aplicações em recursos, através de análises e descrições sobre cada um dos elementos patrimoniais.

Os elementos patrimoniais são qualquer recurso ou bens que pertençam à pessoa em questão. Nas empresas, isso significa que, desde os seus equipamentos até seus acordos comerciais, tudo o que permite um giro de capital pode ser considerado como elemento patrimonial.

Para facilitar, os elementos patrimoniais são divididos em dois grupos: os ativos e os passivos.

Enquanto os elementos ativos correspondem a todo tipo de montante que a empresa/pessoa tem a receber, passivos se destinam a todas as obrigações (dívidas) contraídas por ela.

Através dessa diferenciação, é possível obter uma espécie de relatório efetivo sobre as movimentações financeiras, permitindo estabelecer o controle sobre a entrada e saída de recursos. Sem contar que é uma maneira eficaz de observar o histórico da organização e aplicar mudanças nos processos internos.

As empresas podem escolher por dois tipos de inventário, sendo os ordinários ou os extraordinários. Enquanto os inventários ordinários são atualizados periodicamente, a fim de manter regularidade e controle sobre as movimentações da empresa, os inventários extraordinários são expedidos apenas em situações pontuais, como o fim de sociedade (saída de um dos sócios da instituição).

Como fazer um inventário?

Para o desenvolvimento de um inventário podemos considerar as seguintes fases:

Quais são os modelos existentes de inventário?

Quando falamos de modelos de inventário nos referimos aos tipos de “configuração” possíveis para esse documento.

Elas envolvem desde a quantidade de informações coletadas até a distribuição das mesmas no decorrer do documento. Veja:

Coleta de informações

Disposição

Os inventários que apresentam maior efetividade são, na maioria das vezes, os gerais e os classificados.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Disclaimer

O que é o disclaimer? Disclaimer, ressalva, aviso legal ou termo de responsabilidade são quatro termos comumente usados sob o ponto de vista jurídica para designar…