Open Nav Logo Mais Retorno

IGP-M

Avalie este post

O que é IGP-M?

O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) é um índice que representa em parte, a inflação. Diferente do que acontece com o IPCA, o IGP-M é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Atualmente, em questão de mercado, o IGP-M é um índice mais utilizado pela área imobiliária. A utilização do IGP-M envolve a correção dos valores de aluguel, por exemplo.

Já houve um tempo em que o IPCA e o IGP-M ficavam próximos (os resultados dos índices), coisa que hoje já não acontece mais.

Enquanto o IPCA apresentou crescimentos em torno de 3% a 4% ao ano, o IGP-M em 2018 fechou acima dos 7% ao ano, depois de apresentar deflação 2017 (decresceu).

Como funciona o IGP-M?

O IGP-M leva em consideração, em seu cálculo os seguintes critérios:

  • O Índice de Preços por Atacado (IPA), que tem peso de 60% do índice;
  • O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30%;
  • O Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), representando 10%;

Podemos concluir então que o IGP-M é a soma de vários índices (para ser mais preciso 3 índices) em um só.

O IGP-M já foi utilizado como forma de remuneração no Tesouro Direto (a antiga NTN-C). Porém, atualmente não existem mais letras que possuem tal índice (para serem vendidas pela plataforma de negociação).

Uma das principais funções do IGP-M é funcionar com índice de correção para valores de aluguel, energia elétrica e demais contas relacionadas.

Para que serve o IGP-M?

O IGP-M também está relacionado à inflação, como ocorre com o IPCA, mas o seu cálculo é diferente e, portanto, pode trazer resultados bem diferentes.

Vale lembrar que o IGP-M tem o seu índice liberado antes do IPCA. Para o mês de dezembro, por exemplo, o IGP-M é lançado ao público ainda em dezembro. Já o IPCA, só saí nos primeiros 10 dias do mês subsequente (janeiro).

Resumindo, o IGP-M é uma métrica diferente do IPCA. Os dois índices servem para medir a inflação, mas cada um com um cálculo distinto.

Às vezes, os resultados podem ser bem semelhantes, porém nos últimos anos os dois índices se apresentaram bem diferentes um do outro.

Corretoras imobiliárias utilizam o IGP-M como forma de correção dos aluguéis de seus clientes. Ao término de um ano, geralmente aqueles imóveis alugados sofrem alguma correção em seus aluguéis.

Essa correção pode ser feita utilizando o IGP-M mais alguma taxa de juro ou somente o IGP-M.

Vale lembrar que um dos índices que possui certo peso dentro do cálculo do IGP-M é o INCC, índice utilizado na construção civil.

Inclusive no mercado de investimentos, o IGP-M é utilizado em larga escala. Temos vários tipos de ativos que oferecem em seus rendimentos atrelados a correção do IGP-M.

LCIs e debêntures são bons exemplos de ativos que podem oferecer correção pelo IGP-M. Sem falar nos fundos imobiliários, CRIs e demais ativos ligados à área imobiliária.

Porque utilizar o IGP-M?

Na comparação direta com o IPCA, o IGP-M possui mais volatilidade, sendo que o índice tem tendências de conseguir registrar taxas maiores do que o IPCA no longo prazo.

Uma das razões para chegar a essa conclusão está ligada ao cálculo do IGP-M em comparação direta ao IPCA.

Como visto anteriormente, no IGP-M o índice é composto por outros três índices, sendo que cada um possui suas próprias características.

Sem falar que um dos índices é o INCC referente à construção civil. Por isso, dentro do cálculo do IGP-M, querendo ou não, temos valores de setores bem diferentes.

O IGP-M é um dos principais e mais importantes índices de inflação do país, embora não seja considerado o oficial pelo governo federal, possuindo suas diferenças em comparação ao IPCA.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Avalie este post