Open Nav Logo Mais Retorno

Garantia Residual

O que é garantia residual?

A Garantia Residual é um dos três tipos existentes de operação underwriting (termo que também é conhecido como subscrição). Sua funcionalidade está atrelada a captação de recursos das empresas.

Através das intervenção de uma instituição financeira (bancos, por exemplo) as empresas lançam (ou relançam, a depender do caso) ações ao mercado, tendo tais agentes como colaboradores para trabalhar com as negociações frente aos investidores, durante um determinado período.

Para ficar mais prático, imagine que você abre um restaurante, tendo como suas “ações” os seus deliciosos pratos. Para conseguir atrair clientes (investidores) você contrata durante uma semana (determinado período) uma pessoa para entregar seus panfletos nas ruas (instituição financeira/agente colaborador) e colaborar com a divulgação.

Caso ele consiga atrair clientes com a entrega em uma semana, excelente!

Caso não, ele devolve os panfletos em suas mãos, sendo você o responsável pela divulgação dali em diante.

De maneira simples, é assim que a garantia residual funciona.


O que é underwriting?

Também chamado de subscrição, o termo comumente utilizado no mundo das finanças diz respeito ao processo de emissão de valores mobiliários por subscrição pública.

Nesse?processo, a empresa emitente dos títulos encarrega um representante da venda de suas cotas junto ao mercado.

Ou seja, o underwriting acontece quando uma companhia contrata um intermediário financeiro, que será o responsável pela colocação de uma subscrição pública de ações ou obrigações?na Bolsa de Valores.

Geralmente esse tipo de operação é organizado por um consórcio (também conhecido como pool) de instituições sob coordenação de uma ou mais instituições líderes.

Qual é diferença entre garantia residual, garantia firme e garantia de melhores esforços?

O underwriting oferece três modalidades de garantias ou facilidades para o emissor do título: a garantia residual (tema central do nosso artigo), a garantia firme e a garantia de melhores esforços.

Entender a diferença entre cada uma delas é, na nossa opinião, a melhor maneira de conhecer as suas singularidades.

Veja bem!

A Garantia Firme (underwriting puro ou underwriting firme)?é a garantia de lançamento em que a instituição financeira, ou consórcio de instituições financeiras, subscreve a emissão, colocando-se por sua conta e risco na operação.

Ele se situa no mercado junto aos investidores, tanto individuais?(o público em geral), como institucionais.

Neste tipo de operação, no caso de um possível insucesso, a empresa emitente dos títulos já recebeu previa e integralmente o valor correspondente às ações que foram emitidas.

Sendo assim, o risco é totalmente do intermediário financeiro que executa a?operação de underwriting.

O fato de uma emissão ser realizada por meio da Garantia Firme oferece uma salvaguarda adicional ao investidor, já que, se as instituições financeiras do consórcio estão dispostas a assumir o risco da operação, é?porque confiam no sucesso do lançamento.

Já a Garantia de Melhores Esforços (ou best-effort underwriting)?é?o tipo de lançamento de ações em que a instituição financeira assume unicamente o compromisso de fazer o maior esforço possível para levar o máximo de uma emissão para a sua clientela, nas melhores condições possíveis e em um período de tempo bem específico.

Dessa forma, as dificuldades de colocação das ações irão se refletir diretamente na empresa emitente.

E, por fim, a Garantia Residual (ou stand-by underwriting) consiste em uma forma de subscrição pública na qual a instituição financeira não se encarrega individualmente pela integração das ações emitidas.

Pelo contrário, nesse?tipo de underwriting, a instituição e a empresa emissora se unem e se comprometem a negociar as ações junto ao mercado. O mesmo, como percebemos, não se reflete nas demais modalidades de garantia.

Isso porque, se as ações fossem melões:

No caso 1, o revendedor compraria diretamente do produtor, pagando antes mesmo de vendê-los;

No caso 2, o revendedor receberia os melões, mas só repassaria ao produtor o valor daqueles que vendeu, devolvendo o restante;

No caso 3, produtor e revendedor montariam uma barraquinha juntos.

Ações, é claro, não são melões. Mas garantia residual tem sim muitos semelhantes no nosso dia a dia - até de cabo a rabo na feira de rua aí do seu bairro.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Nos ajude a melhorar o conteúdo desse texto! Envie um complemento ou correção por aqui para deixar esse conteúdo ainda melhor. Seu nome pode ser citado como revisor desse conteúdo com a sua permissão! ;)

Envie sua sugestão


Conheça também os termos relacionados