Última modificação em 12 de janeiro de 2021

O que é fundo passivo?

Um fundo passivo é um tipo de fundo de investimentos que tem como objetivo principal acompanhar ou replicar um benchmark, que é o nome dado a um indexador referencial. É o caso de CDI, Ibovespa ou IPCA, por exemplo.

Podemos dizer, portanto, que o fundo passivo tentará replicar na prática os resultados desses indicadores, sem criar uma estratégia própria ou personalizada. Ou seja, não há um objetivo de entregar resultados acima do seu benchmark, mas sim o mais próximo possível a ele.

Embora possa parecer pouco intuitivo em um primeiro momento, um fundo passivo traz a oportunidade de investidores replicarem um indicador ao mesmo tempo em que obtêm tanto uma excelente diversificação (por meio do uso de diversos ativos distintos), como ainda aproveitar o baixo custo, algo que não acontece em fundos de investimentos com estratégia especializada.

Como funciona um fundo passivo?

Um ótimo exemplo para entender como funciona um fundo passivo é olhar para a prática. Podemos elencar, por exemplo, o Ibovespa, que é o principal índice acionário da Bolsa de Valores do Brasil. Ele representa uma carteira fictícia das principais ações do país.

Você não consegue, diretamente, investir nesse índice, mas existem fundos que replicam o seu comportamento como o ETF BOVA11. Aqui, a gestão do fundo vai compor uma carteira de investimentos o mais próximo possível do próprio índice, algo que vai resultar em um desempenho extremamente similar ao Ibovespa.

Esse é, portanto, o grande objetivo de um fundo passivo: proporcionar ao investidor os resultados próximos a um benchmark predefinido. Assim, ao usar desse formato de fundo de investimentos, torna-se possível obter uma rentabilidade muito próxima ao objetivo inicial ao escolher o indicador.

Quais são as vantagens do fundo passivo?

A grande vantagem de um fundo passivo é a fácil diversificação de investimentos obtida neste formato. Como no exemplo que acabamos de ver sobre o Ibovespa, você contará, em um único aporte, com uma carteira de diversas ações.

Além disso, conhecendo bem o seu benchmark, você tem maior controle dos riscos visto que a movimentação das cotas vai obedecer o ambiente sistêmico. Ou seja, há menor impacto de uma ocorrência em um setor específico, uma vez que elas compõem uma pequena parte do portfólio de um fundo passivo.

Por fim, em razão do seu trabalho mais simples e que exige menor capacidade de análise do time de gestão, as taxas cobradas (administração e performance) tendem a ser mais baratas do que concorrentes com estratégias diversificadas e focadas em superar os resultados de um banchmark.

Quais são as desvantagens de um fundo passivo?

Por outro lado, também surgem algumas desvantagens de trabalhar com um fundo passivo. A primeira delas é a própria rentabilidade, uma vez que o objetivo é apenas replicar o desempenho do indicador selecionado. Isso, naturalmente, acaba por limitar os resultados que podem ser oferecidos aos cotistas.

Ademais, em alguns casos a estratégia pode ser demasiadamente simples, o que sugere que você poderia aplicá-la sem a necessidade de envolver um gestor especializado. Assim, fugiria das taxas cobradas pelo fundo.

Fundo passivo vs. fundo ativo: qual é a diferença?

O grande "concorrente" dos fundos passivos são os fundos ativos, modelo em que os gestores buscam superar o próprio benchmark. Aqui, contudo, você tem estratégias mais robustas e que exigem um custo maior por conta do trabalho do time de gestão.

Não há um formato melhor do que o outro, mas sim aquele que melhor se adapta ao seu perfil e ao seu objetivo com o investimento. Busque sempre entender o trabalho dos gestores e como os ativos selecionados podem entregar os resultados desejados de acordo com a própria estratégia.

Termo do dia

Dodd-Frank Act

O que é o Dodd-Frank Act? O Dodd-Frank Act, também conhecido como Lei Dodd-Frank aqui no Brasil, é um conjunto de regras estabelecidas especialmente para a…