Última modificação em 9 de novembro de 2020

O que são CFDs?

CFDs são um instrumento existente no mercado financeiro que corresponde ao termo, em Inglês, Contracts for Difference. Em tradução livre, encontramos algo como "Contratos por Diferença" em Português.

O seu nome é bastante intuitivo em relação ao que esse instrumento oferece ao investidor: a possibilidade de negociar a movimentação de preço de um ativo. O objetivo é apostar na valorização ou na desvalorização desse preço, lucrando caso essa aposta esteja correta.

Importante mencionar que, ao contrário de outros mercados da Bolsa de Valores, no caso dos CFDs você não compra um ativo. O investimento é feito em um derivativo originado neste ativo, configurando-se em um acordo de negociação entre você e uma corretora.

Como funcionam os CFDs?

Os Contratos por Diferença podem ser aplicados em diversos mercados. Além das ações, muito utilizadas neste formato de investimento, você pode trabalhar também com índices, moedas ou commodities, por exemplo.

O funcionamento é similar em todos esses mercados: um derivativo de preço no qual você investe na valorização ou desvalorização em relação a sua precificação de mercado. É um comportamento similar ao que temos em operações com contratos futuros.

Por característica, os CFDs são muito mais utilizados pelos traders do que pelos investidores de longo prazo. Os ganhos financeiros dependem da capacidade que o comprador ou vendedor desses contratos tem de identificar a tendência correta para o ativo.

Quais são as vantagens dos CFDs?

Embora ofereçam operações altamente arriscadas aos seus investidores, os CFDs também apresentam algumas vantagens interessantes, especialmente para quem gosta de atuar com grande potencial de retorno.

O primeiro grande benefício da categoria é o custo. Como você não está adquirindo um ativo em si, mas sim um instrumento derivativo, pode pagar muito menos por ele e aproveitar dos seus ganhos (ou lidar com a sua desvalorização). Esse preço pode ser até dez vezes menor.

Além disso, assim como outros ativos utilizados pelos traders, há a possibilidade de operar alavancado. Essas duas vantagens tornam os CFDs muito atrativos para aquele investidor que não possui tantos recursos para trabalhar inicialmente.

Quais os riscos dos CFDs?

Por outro lado, além dessas vantagens, temos alguns riscos elevados nas operações com CFDs. Um deles é a própria alavancagem que, assim como potencializa os ganhos, pode afetar seriamente a sua gestão de capital. É preciso estar consciente deste cenário para não se perder com o recurso.

Outro ponto de atenção está na volatilidade dos CFDs, que é bastante elevada. Neste sentido, esse instrumento é muito semelhante ao mercado de opções — e o investidor precisa entender bem os riscos antes de comprar ou vender qualquer posição.

Vale a pena investir em CFDs?

Diante de todo contexto dos CFDs, surge a dúvida clássica de qualquer tipo de investimento: vale a pena operar no mercado com os Contratos por Diferença? Como quase sempre acontece, a resposta é: depende.

Em primeiro lugar, avalie quais são os seus objetivos. Se você é um investidor de longo prazo ou ainda está começando na Bolsa de Valores, tome cuidado com a categoria. Os resultados são extremamente voláteis.

Por outro lado, os CFDs permitem que você opere tanto em momentos de alta do mercado, como também em período de recessão por meio de venda a descoberto. Sendo assim, para quem consegue identificar as oportunidades, é um multiplicador de possibilidades.

Desta forma, o "valer a pena" em relação aos investimentos com CFDs depende diretamente do entendimento desse cenário de vantagens e riscos. Em um primeiro momento, não recomendamos que você explore esse mercado. Com mais experiência e com uma parcela adequada do seu capital, pode ser sim uma alternativa interessante.

Termo do dia

Moldagem

O que é a Moldagem? Moldagem é o nome dado a um tipo de função mental diretamente ligada à memória e aos chamados vieses cognitivos. Por…