O que é call?

Se você jogar em alguma ferramenta de tradução, perceberá que call é o termo em inglês que representa "ligar" ou "chamar". No mercado financeiro, esse é o conceito utilizado para representar uma chamada de operação dentro do mercado de opções.

De maneira mais objetiva, uma call é uma opção de compra de um ativo objeto. Há também a possibilidade de adquirir uma opção de venda, neste caso chamada de put.

Quando falamos em um ativo objetivo, ele pode englobar uma série de categorias distintas. É o caso de ações, commodities, índices ou qualquer outro mercado negociável.

Como Investir nos Melhores Fundos

Como funciona uma call?

A opção de compra, embora pareça complexa, tem um formato relativamente simples no mercado financeiro. Como o próprio nome já sugere, trata-se de uma oportunidade de comprar, mas não a obrigação.

Isso significa que, ao adquirir essa call, você obtém o direito de comprar um ativo a um preço futuro fixado com antecedência. Assim, na data firmada pelo instrumento como vencimento, você pode obter a vantagem de comprar esse ativo por um preço menor do que é praticado no mercado.

Importante observar, no entanto, que não há obrigação de executar a sua opção de compra. Se por algum motivo o preço do ativo no mercado for inferior ao que foi firmado na call, você pode abrir mão do seu direito.

O contrário não se aplica: o proprietário do ativo que acordou o preço de venda na data de vencimento é obrigado a realizar a operação caso você decida exercer o seu direito.

Qual é a função de uma call?

O uso de uma opção de compra é mais comum em dois cenários. O primeiro deles é a proteção, isto é, a garantia de que você poderá comprar um ativo a um preço definido anteriormente, reduzindo o risco.

Essa é uma estratégia bem comum para negócios que possuem algum risco em relação ao preço de ativos — como é comum em relação à cotação do dólar, por exemplo. Assim, o mercado de opções é uma forma de garantir a negociação de um ativo a um valor predefinido, tornando o cenário mais seguro.

Imagine que você tenha uma operação cujo produto principal é importado e, portanto, pago em dólar. O que aconteceria se a moeda americana se valorizasse muito? O preço pago para comprar a sua matéria-prima seria mais alto, aumentando o seu risco e afetando o seu lucro. Assim, usar do mercado de opções como instrumento de Hedge é uma das formas de atuação nesse mercado.

O outro cenário em que uma call pode ser utilizada é por uma oportunidade de especulação. Por vezes, o investidor pode identificar que um ativo oferece um bom potencial de valorização.

Assim, pode ser interessante ter uma opção de compra a um preço menor, pois esse instrumento permite que ele compre, em data futura, esse ativo de maneira mais barata, obtendo uma vantagem no mercado financeiro.

Vale a pena operar no mercado de opções?

Call e put são, portanto, dois dos formatos de operações do mercado de opções. Você pode tanto comprá-las, como vendê-las — lembrando que, no caso da venda, há obrigatoriedade caso o comprador exerça o seu direito.

A recomendação para o uso do mercado de opções tem uma relação direta com o seu objetivo dentro o mercado. Como instrumento de proteção, por exemplo, é uma ótima estratégia. No entanto, ela não visa lucro.

Já para os especuladores, o mercado de opções permite sim a obtenção de excelentes lucros. No entanto, junto com a rentabilidade vem o risco. É preciso entender bem como funciona a volatilidade de uma call caso você queira atuar com especulação, pois as perdas também podem ser consideráveis. 

Termo do dia

Lei Kandir

A Lei Kandir foi uma das iniciativas do legislativo para incentivar a exportação, porém, causou muita polêmica. Saiba mais!