Última modificação em 30 de junho de 2020

O que é Ativo Realizável a Longo Prazo?

Ativo Realizável a Longo Prazo (ARLP) é como se categoriza as riquezas que serão recebidas por uma empresa em um prazo superior a 12 meses e faz parte do chamado ativo não circulante. 


Entendendo o Ativo Realizável a Longo Prazo

O que diferencia o "ativo realizável a longo prazo" do "ativo realizável a curto prazo" é simplesmente o tempo que esses ativos devem levar para efetivamente cair na conta da empresa. 

Pense, por exemplo, em uma empresa que faz uma venda de R$ 24 mil, parcelados em 24 vezes de R$ 1 mil. 

As 12 primeiras parcelas entram no ativo realizável de curto prazo, porque o dinheiro chega às mãos da empresa em até 12 meses. As 12 parcelas seguintes, por sua vez, entram no ativo realizável de longo prazo, porque o dinheiro chega às mãos da empresa em mais de 12 meses.

Portanto, essa empresa tem R$ 12 mil em ativos realizáveis a curto prazo e mais R$ 12 mil em ativos realizáveis a longo prazo. Viu como é simples?

O que entra no Ativo Realizável a Longo Prazo?

Vários tipos de bens e direitos entram na conta do ARLP. Uma delas são as contas a receber por vendas realizadas a prazo, como no exemplo que foi apresentado anteriormente.

Se a empresa usou recursos que estavam disponíveis para realizar um investimento financeiro cujo prazo de vencimento, para resgatar os rendimentos, é superior a 12 meses, esse valor também entra no ativo realizável a longo prazo.

Outro exemplo do que entra no ARLP são materias-primas e equipamentos que foram comprados e pagos antecipadamente, mas que estão previstos para ser entregues somente após 12 meses.

Por exemplo, se uma indústria compra máquinas novas de um fornecedor, mas essas máquinas ainda estão em fase de desenvolvimento, estimando que elas vão ser produzidas e entregues em 380 dias, o valor dessas máquinas é contabilizado como ativo realizável a longo prazo.

Dessa forma, vemos que o ARLP não se limita a direitos de recebimento em dinheiro, mas também inclui bens, embora seja menos comum. 

Por que o Ativo Realizável a Longo Prazo é relevante?

O ARLP de uma empresa é relevante porque ele deve ser suficiente para cobrir o seu passivo exigível em longo prazo, ou seja, as obrigações financeiras de longo prazo que ela deve cumprir. Essas são obrigações cujo prazo de pagamento é superior a 12 meses.

Imagine, por exemplo, que uma empresa emita debêntures, comprometendo-se a pagar os debenturistas após 5 anos. O valor estimado do pagamento dessas debêntures é de R$ 10 milhões.

Se essa empresa não tiver um ativo realizável a longo prazo compatível com esses R$ 10 milhões, ela simplesmente não tem certeza de que poderá pagar os debenturistas. Isso não significa que ela não vai conseguir pagar: até o momento do vencimento dos papéis, ela ainda pode conseguir os recursos necessários para cumprir com essa obrigação. Porém, existe uma forte incerteza

É por isso que os gestores precisam estar sempre atentos à relação entre o ativo realizável a longo prazo e o passivo exigível em longo prazo. Se houver uma discrepância significativa entre eles, com o passivo superando muito o ativo, a empresa está em uma situação fragilizada e precisa realmente “correr atrás” para construir um ARLP que lhe permita cumprir suas obrigações, quando o momento do pagamento chegar.

Os investidores, é claro, também precisam acompanhar essa relação. Por exemplo, antes de comprar debêntures, como no exemplo anterior, é importante observar se a empresa está com uma posição de ARLP confortável para garantir o pagamento dos debenturistas.

Como Investir nos Melhores Fundos

Termo do dia

Eurasia

Confira como a empresa de consultoria Eurasia relaciona o cenário político aos rumos do mercado financeiro.

Veja outros termos