Open Nav Logo Mais Retorno

O que é Mercado Futuro e como ele funciona?

Por:
10/12/2018
O que é Mercado Futuro e como ele funciona?
4.8 (95.29%) 17 voto[s]

No ano de 2017, foram negociados cerca de 463.4 milhões de contratos futuros no mercado financeiro brasileiro. Isso equivale a um movimento de cerca de R$ 46.4 bilhões.

Sim, é muito dinheiro negociado no Mercado Futuro!

Com esses números, você pode imaginar a importância desse mercado e a economia de forma geral é dependente dele. Muitos agentes utilizam o Mercado Futuro para tocar seus negócios do mundo real.

Hoje vamos entender um pouco mais do Mercado Futuro e como ele funciona.

Por isso, continue lendo para saber mais sobre:

O que é o Mercado Futuro
Agentes que fazem o Mercado Futuro
Ajuste Diário
Operações que o Mercado Futuro permite

O que é o Mercado Futuro

O que é Mercado Futuro

Primeiro é importante relembrar o que são derivativos, pois o Mercado Futuro é um tipo deles.

Derivativos são contratos feitos de forma a depender de algum outro ativo, ou seja, não são um ativo por si só, mas são influenciados pela variação de algum outro ativo final. Logo, “deriva” de algum outro ativo.

Bom, agora vamos efetivamente aos contratos futuros.

O nome é muito intuitivo, são contratos em que o investidor se compromete a vender ou comprar o ativo do qual ele “deriva” no futuro em uma data pré-definida. A data de vencimento é estabelecida na negociação do contrato.

Para facilitar a compreensão, vou dar um exemplo prático do contrato futuro mais negociado em bolsa e algo que mais gosto de falar: taxa de juros.

Esse contrato é chamado de “DI de um dia”, pois refere-se a taxa do CDI (equivalente a Selic, a grosso modo) e se refere a quanto essa taxa de juros estará valendo no dia de vencimento.

Existem diversos contratos de taxa de juros, a depender de quando ele irá vencer.

Por exemplo, o contrato para janeiro de 2021 hoje equivale a uma taxa de 7.81%. Isso significa que o vendedor do contrato irá se comprometer a entregar essa taxa ao comprador quando a data de vencimento chegar (janeiro de 2021).

Trata-se, assim, de uma aposta de quanto a taxa DI (ou a Selic) estará valendo nessa data. Ou seja, hoje o mercado “aposta” que a taxa subirá levemente dos níveis atuais (6.50%).

Digo que “aposta”, pois diversas pessoas negociam esse contrato no mercado tentando acertar o valor dele lá na frente com diferentes suposições. No entanto, o futuro é incerto.

Da mesma forma funcionam contratos futuros de Ibovespa, por exemplo. Trata-se de uma “aposta” de como estará o índice na data de vencimento.

Os contratos futuros mais negociados são os de taxa de juros, dólar e Ibovespa, mas também são muito negociados e importantes os contratos futuros de commodities, como boi gordo, café, milho, soja, etanol, etc.

Claro, o contrato futuro tem um preço diferente do seu ativo objeto, mas evolui em linha com o preço dele no mercado à vista (a negociação do ativo em si que acontece hoje mesmo).

Ou seja, no meu exemplo, o contrato de juros está mais elevado do que o nível atual, mas caso a Selic comece a aumentar mais de repente, o contrato futuro também tenderá a ter uma taxa mais elevada.

Além disso, as perspectivas econômicas influenciam muito o preço desses contratos como a inflação, o que a economia vai apresentar de crescimento, como o resto do mundo se comportará, nossa balança comercial, todos esses indicadores macroeconômicos irão influenciar como será o preço do ativo no mercado futuro.


Agentes que operam no mercado

Agentes que operam no Mercado Futuro

O Mercado Futuro, por suas peculiaridades, é formado por três agentes, segmentados pelo papel que desempenham. São eles o Hedger, o Especulador e o Arbitrador.

Hedger – é o agente que está interessado em utilizar o mercado futuro para minimizar sua exposição a variação de preço que o ativo objeto pode ter no futuro. Relembre como o hedge é feito aqui. De forma geral, ele utiliza o mercado futuro como uma proteção contra oscilações que o mercado de capitais sofre.

Especulador – é o agente que compra ou vende contratos com objetivo de fazer lucro com a operação. É ele que assume o risco que o hedger não quer correr. Justamente por isso, ele é o agente que dá liquidez ao mercado, afinal de contas graças a eles sempre haverá alguém querendo comprar ou vender contratos. Muitas pessoas tem um pé atrás com a palavra “especulador”, mas ele é uma parte muito importante, pois, sem esse agente o mercado não funcionaria visto que o hedger tem um posição estabelecida a longo prazo.

Arbitrador – ele opera as diferenças de preços em mercados diferentes, garantindo que eles sejam eficientes. Seu papel é encontrar inconsistências entre os preços dos derivativos e dos ativos objeto em si. Relembre a arbitragem aqui.

Ajuste diário

Ajuste diário do Mercado Futuro

O Mercado Futuro tem a característica de que pode ser operado sem a necessidade de comprar efetivamente o ativo, visto que a operação em si será realizada apenas no futuro, na data de vencimento dos contratos.

Claro, isso poderia gerar diversos problemas já que não sabemos a capacidade que o agente tem de honrar a operação quando ela for dada.

Com isso em mente, a bolsa exige que o investidor realize um deposito de margem, que é mais ou menos como um “cheque caução”, que dá segurança de que a operação será honrada.

Além disso, a bolsa faz um ajuste diário de todos ativos, visando também, diminuir o risco de inadimplência.

O ajuste diário é um acerto financeiro em relação a sua posição no ativo (comprado ou vendido a determinado preço) e como o preço desse ativo evoluiu de um dia para outro.

Os lucros ou prejuízos são creditados e debitados da conta do investidor todos os dias de acordo com a movimentação do preço do contrato que você detém.

O ajuste diário é simples. Trata-se da diferença entre o preço de ajuste e o preço que você está posicionado. A fórmula é a seguinte: AD = (PA – PC). Sendo que:

AD = Ajuste diário

PA = Preço do ajuste

PC = Preço do contrato

Cada mercado tem seus valores definidos para cada ponto do ajuste. Por exemplo, o contrato de mini-dólar tem determinado que cada ponto equivale a R$ 10 por contrato.

Dessa forma, imagine que você comprou 10 contratos de mini dólar na cotação de 3913.00 pontos e o preço do ajuste foi de 3915.00. Você receberá, portanto, R$ 200 pelo ajuste diário: (3913-3915) x 10 reais x 10 contratos = R$ 200,00.

O ajuste diário permite que o mercado flua sem que o desembolso seja feito totalmente apenas no vencimento, o que poderia acarretar problemas de liquidação.

Ou seja, com os ajustes feitos todos os dias, no vencimento do contrato será mais difícil que uma das partes não consiga honrar com o pagamento da operação.

Operações que o mercado futuro permite

Operações que o Mercado Futuro Permite

O Mercado Futuro permite que investidores realizem operações diversas. Para simplificar essas possibilidades para você, destaco as seguintes:

Apostar na queda de um ativo: o mercado futuro permite que o investidor tome posição de compra ou de venda do ativo no futuro. Dessa forma, é possível que o investidor aposte na queda dos preços desse ativo. Isso é obtido ao vender contratos futuros. Você estará apostando na baixa do mercado visto que se posicionará vendido.

Por exemplo, se a bolsa hoje está em 85 mil pontos e você acredita que ela irá cair nos próximos meses para 80 mil pontos, você pode vender contratos de índice futuro. Caso venda 1 contrato, você receberá R$ 5.000.00 se de fato a queda esperada se concretizar (dado que para o índice, cada ponto equivale a R$ 1).

Outra vantagem importante do mercado futuro é que é possível se alavancar.

Como não é necessário desembolso de dinheiro para comprar ou vender contratos futuros (apenas a margem de garantia é necessária), o investidor consegue potencializar seus ganhos.

Imagine um cenário em que a bolsa sobe 10%. Você poderia comprar contratos equivalentes a R$ 20 mil e lucrar R$ 2 mil (10% de R$ 20 mil) com uma fração desse valor, utilizando apenas a margem de garantia. Se essa margem fosse de, por exemplo, apenas R$ 2.000,00, então você teria conseguido 100% de lucro nessa operação.

Como você viu, você operou alavancado (não precisou desembolsar os R$ 20 mil, apenas a margem de garantia) e teve o seu ganho potencializado. É claro, da mesma forma que os ganhos são maiores, também as perdas podem ser bem maiores ao se operar alavancado.

Conclusão

O Mercado Futuro movimenta grandes valores financeiros e se trata de um importante instrumento que os investidores utilizam para se proteger de oscilações no preço dos ativos e também para angariar lucros maiores.

Além disso, com técnicas específicas, o Mercado Futuro permite que o investidor realize operações estratégicas como alavancagem e aposta na queda do mercado.

Você pode aproveitar essas operações para potencializar seus ganhos, mas o cuidado sempre é necessário pois as perdas também podem ser maiores.

Mas e aí, ainda ficou com alguma dúvida ou quer contribuir mais com o assunto? Comente abaixo!

Compartilhe esse conteúdo com mais investidores que você deseja ajudar obter Mais Retorno entendendo o funcionamento dos Mercados Futuros.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

O que é Mercado Futuro e como ele funciona?
4.8 (95.29%) 17 voto[s]

Leia também:

Sobre o autor

  • Vinicius Alves
  • Economista, atuou no departamento econômico de empresas de sell side no mercado financeiro. Já foi Top-5 de projeção de inflação de curto prazo do BC.

Deixe seu comentário aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


0 Comentários