Renda Variável

A lista de empresas da Bolsa de Valores contempla várias companhias que possuem grande impacto, força e tamanho no mercado onde atuam. A Oi e suas ações são um dos ativos mais procuradores por traders e investidores nos últimos meses. 

Desde de sua recuperação fiscal, a Oi se tornou alvo de investidores que visualizaram uma oportunidade de negócio. Diante das oscilações do mercado, muitos investidores se perguntam se vale a pena investir na Oi. Neste artigo, você vai entender melhor o contexto da empresa, tipos de ações da Oi, qual rendimento atual e motivos para investir ou não. 

O que é a Oi?

Fundada em 1998, ainda sob o nome de Telemar, a Oi é uma empresa do segmento de telecomunicações com sede no Rio de Janeiro. Em 2002, a empresa passou por uma reestruturação e recuperação fiscal e se expandiu. A partir daí, ela passou a se chamar Oi, oferecendo os seguintes serviços:

A Oi atua em todo território Nacional e é considerada a principal operadora de telefonia fixa do Brasil e uma das principais no setor de telefonia móvel. Além disso, a companhia é uma referência em telefonia no exterior e recebe aportes do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), via empréstimos e fundos de pensão de estatais. 

O controle acionário da Oi sem esteve nas mãos das empresas Andrade Gutierrez e La Fonte (Jereissatis). Além disso, outros grupos nacionais e estrangeiros fazem parte da carteira de acionistas da empresa: BNDESPAR, Petrobras, Caixa (Funcef), Solus, Brookfield, York Global Fund, Goldentree, entre outros. 

Tipos de ações

A Oi possui dois tipos de ações que são negociadas na Bolsa de Valores: OIBR3 e OIBR4.

Ações OIBR3

As ações OIBR3 são as ações ordinárias da Oi. Elas garantem ao investidor que ele participe das decisões da companhia, por meio de reuniões entre acionistas e votos em assembleias. Mas essa participação depende da quantidades de pápeis que você terá. Entre outras palavras, quanto mais ações da Oi o investidor tem na sua carteira, mais poder de influência nas decisões da empresa ele vai exercitar. 

Uma das principais vantagens de adquirir ações OIBR3 é a possibilidade de comprar novas ações ordinárias. Isso pode acontecer quando ocorre alteração no controle acionário por um preço menor ao comercializado na Bolsa. Nesse momento, os gestores da companhia são obrigados a ofertar as açoes ordinárias que encontram-se sob o controle dos acionistas minoritários, de forma pública. Com isso, as ações OIBR3 são mais valorizadas. 

Ações OIBR4

As ações OIBR4 são ações preferenciais. Como o próprio nome diz, esse tipo de ações dá preferêcia aos acionistas em diversas compensações como recebimento de dividendos. 

Para os investidores que tenham como único objetivo adquirir ações para receber dividendos, precisam levar em considerçaão que a Oi não paga dividendos desde 2014. A empresa ainda encontra-se em recuperação judicial e financeira, reestruturando contas e quitando dívidas. 

A vantagem das ações preferenciais é que esses pápeis têm boa liquidez, pois sofrem mais com os impactos da volatilidade do mercado. Dessa forma, as ações OIBR4 são excelentes oportunidades para quem deseja operar a curto prazo. 

Onde as ações da Oi são negociadas?

As Ações da Oi (OIBR3) são negociadas na principala bolsa de valores do Brasil – Bovespa. Além disso, desde 2001 as ações da companhia também são negociadas na bolsa de valores de Nova Iorque, nos Estados Unidos, por meio de ADRs – recibos depositários americanos. Com isso, investidores estrangeiros também podem negociar suas ações. ´

Há duas formas de se ganhar dinheiro com as ações da Oi: Dividendos e Trade. Conforme dito anteriormente, os dividendos da Oi não são pagos há 8 anos. A partir da aquisição de ações da Oi, o investidor pode aguardar as ações se valorizarem durante um período determinado de tempo, que pode ser curtou ou médio. Após esse prazo, ele consegue vendê-las com um preço maior do que o adquirido. 

O trade tem três prazos:

Day trade – é a operação que começa e finaliza no mesmo dia. 

Swing trade – é a operação de venda das ações que acontece num período entre dois a 15 dias. 

Position trade – é a operação de venda das ações que movimenta o mercado durante semanas até meses. 

Histórico das ações da Oi

Quando as ações da Oi começaram a ser negociadas na Bolsa de Valores do Brasil em 2012, o seu custo unitário era de aproximadamente R$ 12,00. Ao longo de quase 10 anos, a trajetória da companhia contribui para que as ações se desvalorizassem. 

Alguns fatores são preponderantes nesse cenário de deterioração. Confira os principais:

Investimentos

A empresa não consegue investir em inovação, pois precisa gastar o caixa para operacionalizar o plano estratégico. 

Dívida

A dívida da Oi gira em torno de R$ 71 bilhões. Isso demanda um contínuo esforço para pagar e honrar seus compromisso, principalmente em virtude dos altos juros. Em 2019, a Oi teve um prejuízo líquido de quase 7 bilhões de reais. 

Retenção de caixa

A empresa gasta muito dinheiro para pagar multas com a ANATEL – Agência Nacional de Telecomunicações, ações fiscais e trabalhistas e depósitos judiciais referentes à regulamentação. 

Condições mercadológicas

Nos últimos anos, o segmento de telefonia fixa foi um dos mais afetados pela tecnologia e inovação. As operadoras desse setor precisaram alterar seu foco de atuação e incluir serviços como internet, telefonia móvel e TV paga. Com isso, a concorrência aumentou e o mercado se tornou cada vez mais competitivo. 

Interferência política

Mesmo após sua privatização em 1998, a interferência política continou circulando a empresa por anos, com solicitações que inverteram a lógica do negócio de telefonia. 

Instalação de antenas e serviços de telefonia em municípios que não visavam ao lucro foram alguns dos pedidos que foram atendidos para atender interesses políticos. Com isso, a Oi começou a perder competividade e rentabilidade. Com os anos, os principais serviços da companhia como telefonia fixa, que valiam ouro na época da privatização, tornaram-se sucatas. 

A partir do surgimento e consolidação de outras operadoras, a Oi acumulou dívidas até junho 2016, quando solicitou recuperação judicial. 

Queda brusca

Além do setor financeiro,os problemas enfrentados pela Oi também afetaram todos seus acionistas. Nos últimos oito anos, quem tinha ativos preferenciais ou ordinários da Oi pode acompanhar a cotação dos papéis despencar. 

Em 2012, os papéis da Oi eram negociados no valor de R$ 100,00. Em maio de 2016, antes do pedido de recuperação judicial, as ações da empresa chegaram a valer somente R$ 0,58. 

No segundo semestre de 2017, os papéis da Oi eram negociados ao valor de R$ 4,00 aproxidamente. Em agosto de 2019, o preço da OIBR3 chegou no seu nível mais baixo, custando R$ 0,73. Em 2020, durante a pandemia de Covid-19, os ativos da OI chegaram numa mínima histórica de R$ 0,43. Ao final do ano passado, as ações da Oi fecharam em torno de R$ 2,00.

Com esse histórico, os papéis da Oi são muito procurados por investidores. Muitos acreditam que os ativos da empresa vão se valorizar a longo prazo. Mas a pergunta é que fica é se vale a pena investir na Oi realmente?

Vale a pena investir na Oi em 2021?

Como apontado acima, a Oi está em recuperação judicial e financeira e tem feito movimentações para tornar a empresa mais rentável e responder a pergunta de vários investidores que desejam saber se vale a pena investir na Oi.

Em 2016, a Oi pediu recuperação judicial como objetivo de se proteger judicialmente contra a falência e negociar dívida que girava em torno de R$ 65,5 bilhões. Desde final de 2019, as ações da compahia em subindo. Em 2020, a Oi alterou sua proposta de restruturação, prevendo venda de torres, data centers, rede móveis e parte da rede de fibra ótica, que garante um valor de quase 23 bilhões. 

Em dezembro do ano passado, a Oi vendeu seus ativos móveis para um consórcio formado pelas operadoras Claro, Tim e Vivo pelo favor de R$ 16,5 bilhões. Esse recurso foi utilizado para pagar dívidas antecipadamente, principalmente custos de telefonia móvel. 

Fase 3

Atualmente, a Oi está na terceira fase da recuperação judicial, numa tentativa de voltar com suas contas “no verde”. A companhia optou por um planejamento, transformando sua linha de atuação. Com a venda de ativos, transição para um novo modelo e redução de custos, a Oi está focada na infraestrutura de fibra ótica, seu segmento de maior potencial. 

A aposta da fibra ótica representa um caminho de crescimento para as ações da Oi. No primeiro momento, estima-se que a empresa consegue atender 32 milhões de usuários com essa tecnologia. Pensando a longo prazo, a Oi pode se valorizar até cinco vezes em relação ao preço atual.

Retomada dos lucros

Analistas do mercado de ações apontam que o novo de plano de reestruturação da Oi é bastante favorável, pois reduz o medo dos investidores se a empresa pagará as dívidas. Com a venda de data centers e torres, a Oi poderá focar num segmento que trará maior rentabilidade para ela – o de fibra ótica. Com a venda dos ativos aumentando, a empresa começa a entrar num rumo positivo e numa retomada de lucratividade. 

O mercado indica que as incertezas que existiam sobre o plano de recuperação da Oi estão ficando para trás. Com isso, muitas empresas, incluindo estrangeiras, estão interessadas nos ativos da companhia, como a rede de fibra ótica. Isso pode influenciar de forma positiva a cotações das ações OIBR3 e OIBR4.

Para alguns especialistas mais pessimistas, a lucratividade da Oi ainda pode levar mais tempo. Muitos acreditam que o EBITDA da Oi só será positivo em 2024. 

No geral, analistas apontam que investir na Oi vale a pena a longo prazo, mas não curto prazo. Atualmente, a Oi é detendora da maior de fibra ótica do país. Essa tecnologia tem baixo risco de substituição, pois mesmo que haja competição com o 5G, a sua expansão depende rede de fibra ótica extensa. Atualmente, ela é considerada a coluna vertebral da internet em todo mundo. 

Mesmo com as dificuldades financeiras que a Oi enfrentou, o seu futuro é promissor. Os investidores que até o momento compôem a carteira da empresa visam ganhos ao longo prazo. Diante do crescimento da fibra ótica, os investidores acreditam que a situação da Oi pode gerar caixa e pagamento de dividendos, ao longo prazo. 

Para investidores com perfil arrojado, a operação a curto prazo também pode ser uma boa estratégia, desde que o investimento nos papéis da companhia seja pequeno. O futuro da Oi ainda é uma incógnita muito grande para o mercado, por isso, é importante encontrar um equilíbrio ao investir. 

Avisos importantes

Antes de investir na Oi, é importante que você tenha em mente alguns pontos:

Então, você esta pronto para investir na Oi?

Imagem do autor

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Visualizar Comentários

Índices e Indicadores
Renda Variável
Finanças Pessoais
Fundos Imobiliários
Veja mais Ver mais