Empresa

Em assembleia geral extraordinária, a Ultrapar apresentou aos acionistas a oferta de direito de preferência para a subscrição de ações resgatáveis e aquisição de ações alienadas de emissão da subsidiária Oxiteno, vendida em agosto para Indorama por US$ 1,3 bilhão.

Foto: Reprodução ultrapar
Posto Ipiranga / Ultrapar | Foto: Reprodução

Os acionistas terão 30 dias para, na proporção de suas participações, subscreverem no mínimo 36.457.574 e no máximo 42.891.264 ações emitidas e adquirir 35.102.127 ações alienadas.

Segundo a companhia, as duas transações têm que ser adotadas conjuntamente, ou seja, os acionistas não podem optar por uma ou por outra transação.

Negócio

O contrato para a venda da totalidade das ações da Oxiteno para a Indorama Ventures PLC envolveu o valor de US$ 1,3 bilhão, dos quais US$ 1,150 bilhão pagos no fechamento da transação, sujeito a ajustes usuais, como variações de capital de giro e da posição da dívida líquida, e US$ 150 milhões no segundo aniversário após o fechamento.

"Em consistência com os anúncios de desinvestimento da Extrafarma e da ConectCar, a venda da Oxiteno está alinhada à revisão de portfólio que a Ultrapar vem informando aos seus acionistas e ao mercado de capitais", afirma a empresa em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

"Com negócios mais complementares e sinérgicos, a Ultrapar conclui a fase de racionalização do seu portfólio e irá concentrar seus esforços em desenvolver oportunidades de investimentos nas verticais de energia e infraestrutura, com foco crescente na transição energética, alavancada pelo seu portfólio e expertise", finaliza.

A Ultrapar afirma que a Indorama e a Oxiteno possuem sinergias nos negócios de óxidos integrados e derivados, especificamente no portfólio downstream de tensoativos.

Além da posição relevante da Oxiteno na América Latina, acrescenta, a transação proporciona à Indorama acesso a "plataformas inovadoras em mercados finais e tecnologias atraentes, diversificação geográfica aprimorada e forte capacidade de inovação".

"Estamos satisfeitos que alcançamos este acordo com uma das empresas líderes globais na indústria química, com sinergias relevantes, que nos possibilitou alcançar um valor atrativo para a transação", comenta o diretor presidente da Ultrapar, Frederico Curado.

A combinação dos negócios criará um player relevante na produção de etoxilados nas Américas e o segundo maior do mundo. / com Agência Estado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja mais Ver mais