Última modificação em 31 de maio de 2021

O que é trava de baixa?

A trava de baixa é uma das operações que podem ser executadas no mercado de opções que, em resumo, é uma forma de aproveitar as oscilações de preços de um ativo sem precisar comprá-lo efetivamente.

O mercado de opções é um formato de investimento associado a um ativo-objeto. Isto é, ele replica o desempenho desse ativo, que pode ser uma ação, um índice, commodities, entre outros. A esse tipo de mercado dá-se o nome de derivativo.

Há também uma variedade de posições que podem ser adotadas nesse mercado de opções. Você pode comprar ou vender opções de compra (Call) ou opções de venda (Put), que acordam um valor em que as ações podem ser negociadas em um preço fixado previamente, mas em data de vencimento futura.

Neste contexto, a trava de baixa é uma das estratégias que podem ser adotadas usando as opções. Ela é praticada quando o investidor tem a expectativa de uma queda no preço do ativo-objeto.

Como funciona a trava de baixa?

Se você já conhece o mercado de opções, então certamente já ouviu falar sobre a volatilidade que ele oferece aos investidores. Não por acaso, muitas pessoas acabam perdendo dinheiro na expectativa de lucrar rapidamente.

No entanto, não é esse o intuito da trava de baixa. Muito pelo contrário: a estratégia consiste na compra simultânea de uma compra de Call e uma venda de Call de modo a proteger o investimento realizado.

Ou seja, o intuito aqui é montar uma margem para que o preço do ativo possa variar, mas com proteção sobre as principais oscilações. Em outras palavras, há um limite de prejuízo, assim como um limite de ganho.

A estrutura da trava de baixa exige que o investidor trabalhe com duas faixas de preços diferentes para as suas Calls. Como a expectativa é pessimista para o preço do ativo (isto é, espera-se queda), é necessário que a venda da Call seja posicionada em um preço de strike inferior à compra da Call, formando esse espaço de preços que mencionamos anteriormente.

Quais são as vantagens da trava de baixa?

A principal vantagem de executar a trava de baixa está na redução do risco. Ao comprar apenas uma opção isolada, você terá uma alta volatilidade, em especial quando esse ativo se aproximar da sua data de vencimento.

Já na trava de baixa, como vimos, é montada uma operação com posições antagônicas, de modo a buscar o lucro dentro de uma faixa de preço. Essa posição pode ser mais próxima, reduzindo os riscos, mas também os ganhos, como mais distantes.

Além disso, outro ponto que pode ser considerado como positivo está no cenário econômico. Como a estratégia é aplicada em um ambiente pessimista, trata-se de uma forma de obter lucro mesmo com a queda dos ativos.

Quais são os riscos da trava de baixa?

Embora possua o benefício de permitir ganhos em um cenário desafiador para a economia, isso não representa que não existam riscos. A começar pelo fato de que sempre há a possibilidade de uma análise incorreta e que não há qualquer certeza ou garantia que o preço do papel não possa subir até a data de vencimento da opção.

Além disso, existem os riscos do próprio mercado de opções como a volatilidade (que, embora reduzida pela operação estratégica montada, ainda existe) ou a distância entre os preços da trava de baixa (é preciso ter domínio do mercado para posicioná-los da melhor maneira).

Por fim, há também um risco para o investidor iniciante de acreditar que essa é uma operação segura. Não se esqueça de que o mercado de derivativos é um dos mais voláteis e é necessário entender todos esses riscos antes de abrir qualquer posição.

Termo do dia

Endomarketing

Você com certeza conhece o marketing, mas e o endomarketing? Descubra o que é e como ele se relaciona com o mercado financeiro!