Última modificação em 8 de março de 2021

O que são T-Bonds?

O termo T-Bonds é uma abreviação de "Treasury Bonds", que representa uma modalidade de investimento em renda fixa americana. Além dos T-Bonds, também existem os T-Notes e os T-Bills. O conjuntos dessas modalidades é chamado de "Treasury Securities".

Ao investir em qualquer uma das Treasury Securities, o cidadão americano estará comprando títulos de dívidas públicas do governo estadunidense. Isso significa que ele estará emprestando dinheiro ao governo, com a promessa de que o valor será pago acrescido por juros.

Isso te lembra alguma coisa? Se você achou muito parecido com os investimentos em Tesouro Direito que possuímos aqui no Brasil, está certíssimo: os Treasury Securities são considerados o Tesouro Direto do governo americano!

Os T-Bonds são alguns tipos de títulos de dívida pública emitidos pelo governo americano com intuito de arrecadar recursos e financiar suas obrigações nacionais. A depender da taxa de juros estipulada no período do investimento, o cidadão que emprestou o dinheiro o receberá de volta com o acréscimo de determinada porcentagem.

É considerado um dos investimentos mais seguros do mundo, primeiro porque a negociação é feita com o governo do país, segundo porque não são títulos de valor flutuante - a rentabilidade depende, no máximo, da variação da taxa de juros ao longo do período estipulado.

Qual é a diferença entre T-Bonds, T-Notes e T-Bills?

Os três tipos de Treasury Securities são considerados títulos públicos a disposição do investidor, a diferença entre eles está no tempo de maturação do investimento.

Ao investir em T-Bonds, o cidadão americano só poderá resgatar o valor após um período de 10 anos (no mínimo). Ao investir em T-Notes, poderá resgatar seu dinheiro entre 1 a 10 anos, e no caso dos T-Bills, num período máximo de 12 meses.

Em outras palavras, o que diferencia os Treasury Securities são os prazos de vencimento do investimento - longo, médio e curto. Para facilitar:

Assim como no Tesouro Direto brasileiro, os investimentos realizados em Treasury Securities que permanecerem ativos por mais tempo terão uma rentabilidade maior em comparação as outras modalidades. Por essa razão que os T-Bonds são muito bem explorados pelos cidadãos norte-americanos!

Brasileiros podem investir em T-Bonds?

São muitos os investidores brasileiros que apostam no mercado internacional e se dão bem nas suas operações. Entretanto, para brasileiros em cadastro físico fica um pouco mais complicado...

Isso porque, para investir em T-Bonds, os Estados Unidos exige que o cidadão apresente o Social Security Number (SSN) - número de identificação pessoal semelhante ao que chamamos de CPF aqui no Brasil.

Sendo assim, caso você queira investir em T-Bonds mas não possui uma empresa, por exemplo, deverá recorrer a uma corretora de investimentos americana autorizada a trabalhar com traders estrangeiros.

O investimento, bem como o resgate do empréstimo, deve ser feito com a moeda local (dólar). Ou seja, você precisará converter seu dinheiro antes de aplicar e após recebê-lo também, para que possa utilizar normalmente em território nacional.

Os T-Bonds são recomendados para casos específicos?

Os T-Bonds são uma opção de investimento como qualquer outra. Não há uma recomendação específica pois alguns fatores devem ser levados em consideração, como o perfil do investidor, seus interesses pessoais, a composição da sua carteira e assim por diante.

É interessante estar sempre a par das variações econômicas em geral - valorização da moeda, queda da taxa de juros, taxa de inflação e demais informações que influenciam diretamente na rentabilidade do investidor.

Caso os T-Bonds estejam alinhados com os objetivos do cidadão, vale a pena investir, sim!

Termo do dia

ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial

O que é ISE? O ISE – sigla correspondente a “Índice de Sustentabilidade Empresarial” – é um recurso utilizado para mensurar qual o nível de sustentabilidade que as…