termos

Spread com Volatilidade Zero

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:06/07/2021 às 05:51 - Atualizado 5 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é Spread de Volatilidade Zero?

Um Spread com Volatilidade Zero - também conhecido como Spread Estático, ou Z Spread - tem como objetivo equilibrar os fluxos de caixa diferentes efetuados por um ativo financeiro, para formar o que chamamos de spread constante.

Para compreender melhor a ideia de um Spread de Volatilidade Zero precisamos entender o que é um spread - mais conhecido conhecido como spread nominal, que significa a distância entre dois valores. Existem duas aplicações: no mercado financeiro e nos bancos.

No mercado financeiro, o spread é a diferença vigente entre o menor dos preços de oferta e o maior dos preços de demanda de um bem ou ativo, anunciados pelos participantes em um mercado.

Imagine, por exemplo, que o menor valor de venda de uma ação listada na B3 seja R$ 20,00 e o maior valor de compra seja R$ 15,00. Nesse caso, teremos um spread de R$ 5,00 como resultado de 20-15.

Existe também o spread bancário, que é a diferença apropriada pelo intermediário financeiro entre a taxa de juros cobrada ao tomador de um empréstimo, e a taxa de juros que remunera o aplicador de recursos.

Vamos supor que você coloque R$ 5.000 reais na poupança hoje e que o banco pagará para você um rendimento de 5% ao ano. Agora, imagine que uma outra pessoa precise fazer um empréstimo ao banco no valor de R$ 5.000.

O banco fará o empréstimo, mas cobrará juros de 10% ao ano. Isso significa um spread de 5% (10% - 5%). Essa é uma das maneiras que um banco terá lucro.

Ou seja, a função do spread é medir a diferença entre valores. Porém, enquanto o spread nominal calcula a diferença entre 2 valores em uma curva, o Spread com Volatilidade Zero calcula a diferença de diversos valores ao longo de um período.

Como o Spread com Volatilidade Zero funciona?

Caso um investimento oferece uma variação de fluxos de caixa ao longo de um período, é com o cálculo do spread com volatilidade zero que o investidor conseguirá tomar as suas decisões. Isto é, o Spread com Volatilidade Zero medirá os múltiplos ganhos de um investimento ao longo de um período, mostrando uma taxa de spread constante.

Entre outros fatores, esse cálculo ajudará a entender diversos fatores assumidos, especialmente ligados ao risco (como crédito ou liquidez, por exemplo).

Como calcular o Spread com Volatilidade Zero?

Ao calcularmos o Spread com Volatilidade Zero é necessário a utilização de uma fórmula para executar a análise dos futuros fluxos de caixa em um valor de spread presente.

Para realizar o cálculo do spread de volatilidade zero será preciso saber a taxa à vista de todos os vencimentos ao longo do período, porém, acrescentando o Spread com Volatilidade Zero. Após isso, utilizamos a taxa encontrada para fazermos o cálculo do preço final do título.

A formula do Spread com Volatilidade Zero para realizarmos o cálculo é 

P={C1(1+(r1+ Z)2)(2.n)}+{C2(1+(r2+Z)2(2.n)}+{Cn(1+(rn+Z)2(2.n)}

Onde:

P = Preço do ativo adicionado os juros acumulados;
C = Pagamentos de cupons do ativo (entradas de caixa);
r = taxa do Z Spread;
n = número de períodos (dias, meses, anos, etc.).

Embora a formula seja complexa, já existem planilhas e calculadoras financeiras que realizam de maneira rápida o cálculo para encontrar esse preço. Ufa!

Qual é a importância do Spread com Volatilidade Zero?

Como foi dito anteriormente no decorrer do artigo, a principal importância do Spread com Volatilidade Zero é possibilitar a medição de diferentes pontos de fluxo de caixa do investimento ao longo de um período, diferente do spread nominal.

Ou seja, o Spread com Volatilidade Zero é mais preciso que o spread nominal.

Sobre o autor
Equipe Mais RetornoA Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre

Inscreva-se em nossa newsletter

Ordem a mercado

Ordem a mercado

O que é ordem a mercado? Ao comprar ou vender ações na bolsa de valores, investidores geralmente têm as negociações mediadas por corretores particulares ou agências...

  CONTINUAR LENDO