Logo Mais Retorno
termos

SERASA

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:17/05/2019 às 19:15 -
Atualizado 3 anos atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é o Serasa?

O Serasa (oficialmente Serasa Experian) é uma marca administrada pela empresa Serasa S/A, que fornece apoio às companhias em suas análises de crédito.

Para tanto, ela possui aquele que é considerado o maior banco de dados do mercado brasileiro a respeito do consumidor inadimplente, assim como de seu comportamento de consumo e as dívidas contraídas em outras companhias que comercializam bens e serviços.

Ambas (a marca e a empresa) surgiram ainda 1968, como uma iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), em parceria com a Associação de Bancos do Estado de São Paulo (Assobesp).

Desde de 2007, no entanto, é parte integrante do grupo Experian, uma multinacional irlandesa especializada na gestão de informações e bancos de dados em 44 países. A dimensão da importância do Serasa no Brasil pode ser levantada ao se analisar o valor da aquisição, que girou os 1,2 bilhão de dólares.

Ainda que desconheça o valor do Serasa em si, a maior parte da população a conhece. Afinal, qualquer consumidor que contraia dívidas corre o risco de, em algum momento da vida, ser incluído em seu cadastro de negativação - e, com isso, ter o acesso a várias linhas de crédito e a compras a prazo, negado.

Quais são os serviços oferecidos pelo Serasa?

A atuação do Serasa acontece em duas frentes: uma ligada às empresas e outra ligada aos consumidores.

No que tange às empresas, o Serasa estabelece uma linha constante de comunicação bilateral com as companhias dos mais diferentes setores.

O objetivo central é que, ao passo que elas fornecem ao Serasa a relação completa de todos os clientes que deixem de arcar com as suas dívidas, o Serasa disponibilize o seu amplo banco de dados para checagem.

Ou seja, se você deixa de pagar um boleto da empresa X, ela envia as suas informações para o Serasa, que as inclui no seu acervo. Assim que você solicitar crédito em outra corporação (um banco, por exemplo), ele entra em contato com o Serasa e pode negar o seu pedido.

Essa relação, é claro, depende de um contrato ter sido firmado entre todos os envolvidos, visto que é uma relação comercial.

Já quando se trata do cliente, o Serasa também fornece um grupo de soluções pertinentes ao consumo. Entre as principais delas estão:

  • A consulta ao CPF: considerada uma medida antifraude, o consumidor pode checar se o seu nome está sujo e qual foi a loja responsável pela inserção da dívida do banco de dados;
  • A renegociação de dívidas: conhecido como “limpa nome”, é uma ferramenta onde o cliente entra em contato com a credora e renegociar os seus débitos;
  • O cadastro positivo: uma “negativação às avessas”. Isto é, enquanto o consumidor inadimplente tem cadastro negativo, aquele que paga em dia e tem um ótimo histórico de compras pode se cadastrar no Serasa como um bom pagador;
  • O score: uma pontuação de 0 a 1000 que avalia o consumidor de acordo com o seu histórico de consumo e relacionamento bancário. É possível conferir o seu gratuitamente no site da empresa, após um breve cadastro.

Quais são as diferenças entre o SPC e a Serasa?

É comum que ambas as empresas sejam usadas juntas em uma única frase, como “o meu nome está sujo no SPC-SERASA”. Ainda assim, elas são totalmente independentes uma da outra e, de certa forma, concorrentes, visto que oferecem um serviço semelhante.

Enquanto o SERASA possui uma clientela mais focada nos bancos (que o consultam ao conceder empréstimos, por exemplo), o SPC está mais ligado ao comércio.

De qualquer forma, o mais comum é que ao ser incluído na base de dados de uma das duas, o seu perfil também seja atualizado na outra - veja que é o “comum” e não o obrigatório.

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!