Logo Mais Retorno
termos

Rúpia

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:10/05/2022 às 14:31 -
Atualizado 11 dias atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é Rúpia?

Rúpia é o nome da moeda utilizada em alguns países do Continente Asiático, como Índia, Nepal, Paquistão, Maldivas, Indonésia e Sri Lanka.

A primeira Rúpia foi introduzida na Índia pelo Império Mughal, no século XVII. Ela era derivada de uma peça de prata utilizada no governo de Sher Shah Suri, de 1540 a 1545, que pesava cerca de 12 gramas.

Rúpia Indiana

A Índia é um dos países de maior evidência do Continente Asiático. Até o ano de 2020, por exemplo, possuía 1,38 bilhões de habitantes, perdendo o primeiro lugar no pódio somente para China, com 1,402 bilhões.

No século XVII, a região que hoje compreende ao país era disputada entre França, Inglaterra, Portugal e Dinamarca. A Inglaterra levou a melhor e, durante muitos anos, a Índia foi colonizada pelos britânicos.

Entretanto, a Segunda Guerra Mundial causou grandes estragos na Inglaterra, que precisou reunir forças para se reerguer e acabou abrindo espaço para batalhas em prol da independência de sua colônia. Dessa forma, a Índia começou a caminhar para o que conhecemos hoje.

Na época, a economia girava em torno da agricultura. Uma série de artefatos eram produzidos a partir do algodão e da pele de animais, inclusive. Depois, com a descoberta da prata, o elemento químico passou a ser cunhado e utilizado como moeda de troca entre a população.

Atualmente, o código internacional da moeda é INR e seu símbolo – apenas na Índia – é “₹”. As moedas são de 50p, ₹1, ₹2, ₹5, ₹10, ₹20, enquanto as notas são de ₹1, ₹2, ₹5, ₹10, ₹20, ₹50, ₹100, ₹200, ₹500, ₹2000.

Relação da Índia com o Ouro

Além de ser famoso pela quantidade populacional, o país asiático também chama atenção por ser um dos maiores comerciantes de ouro do mundo, principalmente em formato de joias, utensílios domésticos, itens decorativos e peças religiosas.

Até 2012, obtinha cerca de 25% do ouro mundial. Em 2018, a revista Forbes classificou a Índia como 10º colocado no ranking de países detentores do precioso minério, com cerca de 560 toneladas representando 5,5% de reservas estrangeiras.

Estudos indicam que as temporadas de festivais religiosos e casamentos – que acontecem no verão, normalmente entre junho e setembro – são as que mais movimentam a economia do país, já que muitas pessoas adquirem itens de ouro e investem nessa modalidade.

Entretanto, quando falamos da moeda, a adoção da prata como fonte de fabricação resultou no declínio do valor da unidade se comparada a outros países, que utilizam o padrão-ouro em suas confecções.

Como é o Investimento em Rúpia?

A Rúpia esteve atrelada a Libra Esterlina por mais de 20 anos, mas, em 1975, atrelou-se ao Dólar. Fato curioso sobre sua flutuação é que, na Índia, o Banco da Reserva segue algumas exigências governamentais para gerenciar o valor da moeda.

Isso significa que nem sempre é possível importar, exportar ou investir em quantidades ilimitadas de Rúpia. De tempos em tempos, o governo controla e impões algumas restrições de movimentação para enfraquecer a taxa de câmbio.

Além de manter o câmbio equilibrado, essa ação faz com que a Rúpia seja um pouco mais valorizada e o país ganhe mais visibilidade econômica perante o mercado – além do ouro, como já mencionamos.

Para que investidores institucionais estrangeiros consigam aplicar ou retirar dinheiro do país, é preciso ter autorização do Banco de Reserva da Índia e seguir a regulamentação vigente.

Diversos fatores podem influenciar a taxa de câmbio da Rúpia, incluindo a alta ou baixa produção de prata, fluxos comerciais nacionais ou internacionais, até mesmo o preço do petróleo negociado no Oriente Médio.

Ficou com alguma dúvida? Fala com a gente!

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!