Logo Mais Retorno
termos

Rublo

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:20/05/2022 às 16:56 -
Atualizado um mês atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é Rublo?

Rublo é o nome dado a moeda oficial da Rússia e da Bielorrússia. Tem sido utilizado desde o século XVI (16), seu símbolo é ₽.

A milhares de anos atrás existia na Rússia adornos de pescoço chamados de Grívnia, aos quais eram produzidos a partir de um instrumentos de corte chamado de Rublo. Tal nome pode ser traduzido como "cortar com machado".

Existia, ainda, uma nomenclatura específica para peles de animais selvagens: Kuna. Barris de Kuna eram comercializados em conjunto com Grívnias e mulheres escravas, assim a economia russa acontecia durante a Idade Média.

Anos mais tarde, chegando na era moderna, o território russo já estava delimitado, assim como os nomes já estavam devidamente distribuídos: Rublo para a moeda russa, Grívnia para a moeda da Ucrânia e Kuna para representar a moeda da Croácia. 

O Rublo ao longo da história...

Falar de qualquer moeda é o mesmo que se remeter a um passado historicamente geográfico e político. Se tratando da Rússia, então, isso se torna inevitável!

O maior país do globo - considerado por alguns como parte do continente europeu, por outros como parte do continente asiático - marcou presença em conflitos históricos que fundamentaram a Europa como a conhecemos hoje.

A Rússia participou da Primeira Guerra Mundial, da Segunda Guerra Mundial, da Guerra Fria e inúmeras outras batalhas. Economicamente falando, todos os conflitos resultaram em crises seríssimas para o governo russo.

Um ponto importante da história foi a fundação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, o simplesmente União Soviética (URSS), em 1922. A primeira cédula de rublo soviético foi emitido em 1961, com RUR como código internacional.

Entretanto, a politica socialista não apresentou bons resultados para o país - muito pelo contrário, fez com que a falta de recursos básicos fosse ainda maior, deixando o país próximo a uma miséria nunca vista antes.

Em 1991 a URSS chega ao fim, dando espaço para o início da política comunista. O país recebeu ajuda do FMI (Fundo Monetário Internacional) para se reestruturar e, a partir daí, apostou na iniciativa privada como forma de melhorar, modernizar e expandir sua economia. 

Em 1997 a primeira cédula de rublo russo foi emitida, agora com RUB como código internacional. Como você pôde perceber, a moeda passou por duas fases diferentes, cada uma delas com séries de emissões distintas entre si. 

Apesar disso, a primeira moeda de rublo já havia sido confeccionada em 1654 a partir das pratas utilizadas no continente europeu. O Banco Central da Federação Russa, por sua vez, só foi fundado em 1860, com sede em Moscou. 

Atualmente, o dinheiro russo é composto por cédulas de 5 ₽, 10 ₽, 50 ₽, 100 ₽, 200 ₽, 500 ₽, 1000 ₽, 2000 ₽ e 5000 ₽, e moedas de 1 ₽, 2 ₽, 5 ₽, 10 ₽ e 50 ₽. A Rússia foi o primeiro país do mundo a utilizar casas decimais em seu sistema monetário.

Uma vez que as crises tenham sido superadas, hoje o país usufrui de uma economia estável e fartura de recursos, sendo o petróleo, gás natural, carvão, minérios e agricultura como pontos fortemente explorados.

Além disso, a Rússia também participa ativamente de questões geopolíticas fazendo parte do famoso G8.

Como são feitos os investimentos em Rublo?

Os investimentos em rublo podem ser feitos através de ações comercializadas na Bolsa de Valores - principalmente de empresas líderes no setores descritos acima. Além disso, também podem ser feitos contratos futuros ou emissões de ETFs (Exchange Traded Funds) na moeda estrangeira.

Vale lembrar que todo investimento deve ser feito a partir de estudo prévio, principalmente sobre os níveis de segurança, rentabilidade e taxas tributárias que compõem a economia estrangeira. 

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!