Última modificação em 6 de abril de 2021

Quem é Roberto Teixeira da Costa?

Roberto Teixeira da Costa é o nome de um importante economista, muito conhecido por ter sido o primeiro presidente da CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Nascido em 1934 no estado do Rio de Janeiro, Teixeira passou boa parte da infância desejando se especializar e atuar no segmento da engenharia. Chegou a prestar dois vestibulares, mas infelizmente não obteve sucesso.

Então, como segunda opção, se empenhou para entrar na Faculdade Nacional de Economia – antiga Universidade Brasil e atual UFRJ – onde conseguiu concluir a graduação. Mesmo que não tenha sido a vontade da infância, o carioca já demonstrava muita habilidade com tudo relacionado ao mercado financeiro.

Em 1958, começou a trabalhar em uma gestora de crédito, financiamentos e investimentos pioneira do Brasil naquela época, a Deltec. Apenas 3 anos mais tarde, Roberto se mudou para São Paulo, onde recebera uma proposta de trabalho ainda mais interessante.

Ele passou a atuar como Vice-Presidente do Banco de Investimento do Brasil (BIB) - que mais tarde se tornou o conhecido Unibanco. Ficou no cargo até 1977, apenas um ano depois da publicação oficial da legislação que regularizava a CVM em território nacional.

Como Roberto Teixeira da Costa ganhou notoriedade no mercado financeiro?

O fim de sua jornada no BIB e a regulamentação da CVM não foram coincidência. Ainda em 1977, Teixeira recebeu um convite despretensioso para almoçar com o, até então, Ministro da Fazenda Mário Henrique Simonsen.

Simonsen convidou Roberto para ser o presidente da Comissão, e esse por sua vez já desconfiava das intenções do Ministro:

“Como desconfiava, a razão era efetivamente o convite. Havia preparado alguns argumentos contrários à minha escolha. Em vão, depois de alguns minutos o Ministro perguntou quando começaria. Não pude deixar de aceitar aquele desafio”, disse o economista em uma de suas muitas entrevistas.

A partir daí, mudou-se de volta para o Rio de Janeiro, onde passaria a atuar na antiga sede do IBMEC.

Como você já deve ter ouvido falar, a CVM é o órgão responsável por regulamentar, fiscalizar e intermediar todas as operações competentes ao mercado financeiro do país. É uma entidade autárquica, ou seja, possui patrimônio e receita próprios.

Roberto permaneceu no cargo até o ano de 1979. Em 2006, comentou sobre a ajuda que teve de toda a equipe, fazendo com que fosse o momento mais marcante de sua carreira:

“Ainda hoje quando olho para trás, me dou conta que nada teria conseguido se não fosse uma grande equipe de colaboradores. Aliás, se algum sucesso tive na vida como gestor, deve-se principalmente a escolha de pessoas certas e estimuladas no trabalho de equipe”.

Depois desse período, Teixeira atuou como presidente da assessora financeira Brasilpar entre os anos de 1980 e 1996. Além disso, foi também responsável por fundar o CEBRI – Centro Brasileiro de Relações Internacionais, posteriormente denominado de Consultoria Brasileira de Assuntos Internacionais.

Como se já não bastasse ter tido uma carreira marcante e notória, Roberto Teixeira da Costa dedicou parte de sua carreira a escrita. Para o economista, ensinar aquilo que sabia a geração do momento valeria tanto quanto ter atuado no segmento financeiro.

Alguns de seus títulos disponíveis no mercado são:

De fato, a trajetória de Roberto Teixeira da Costa foi marcante e inspiradora. Hoje, com mais de 85 anos de idade, ele ainda se dedica na escrita e na realização de novos cursos. Muitos economistas buscam referências e pedem seus conselhos sempre que precisam!

Termo do dia

COPOM

O que é o COPOM? COPOM é a sigla para Comitê de Política Monetária. Esse órgão foi criado na estrutura do Banco Central do Brasil, no…