Última modificação em 29 de março de 2021

O que é o rebalanceamento de calendário?

Rebalanceamento de calendário é o nome dado a uma das diversas de se realizar o rebalanceamento de uma carteira de investimento. Nesse caso, a realocação de ativos, que é feita regularmente com o objetivo de preservar a composição desejada da sua carteira, tem datas preestabelecidas para acontecer. 

Para ilustrar o processo (e facilitar o entendimento) vamos ilustrar de maneira bem simples: utilizando as suas resoluções de ano novo. Sim! Nós sabemos que você já pode tê-las esquecido a essa altura, mas ela vai servir de exemplo perfeitamente.

Imagine que, em janeiro, você escreveu num caderno 5 grandes resoluções para o ano a seguir. Provavelmente foi um momento muito inspirador e ali mesmo você já tomou providências para dar o pontapé inicial nesses projetos. Contudo, após escrever você tem duas opções: acompanhar as metas regularmente (por exemplo, a cada 2 meses) ou apenas quando sentir necessidade (ao encarar um cantinho da casa que você prometeu reformar, por exemplo).

Cada opção tem suas vantagens e desvantagens. Para quem desenvolveu pouco a disciplina ter uma data na agenda para sentar e avaliar os status das metas é uma mão na roda. Por sua vez, há quem consiga fazer ajustes no caminho sem se sabotar (apostando no exercício físico contínuo ao invés de se render à nova dieta da moeda, por exemplo).

Na realocação de carteiras de investimentos funciona de forma bem parecida. Não existe apenas uma única maneira de realizar essa "recalibragem" da carteira - depende muito do seu perfil e objetivos -, embora todos concordemos que ela precisa ser feita.

Por que o rebalanceamento de carteira é importante?

Antes de avançarmos um pouco mais no rebalanceamento de calendário vale a pena garantir que você entenda o porquê dos rebalanceamentos serem tão importantes para os investidores. 

A verdade é que, ainda que você estabeleça proporções fixas para os ativos da sua carteira (por exemplo, 25% de renda fixa e 75% de renda variável, sendo que dentro desses 75% você determina que metade será "ocupado" por ações) elas não serão estáticas.

Ativos diferentes têm rentabilidades diferentes - alguns se valorizam no mesmo período em que outros caem.

É possível que essa flutuação altere a composição da sua carteira e você precise realocar investimentos para trazê-la de volta ao arranjo original, garantindo a continuidade da sua estratégia.

Quais são as vantagens de se aplicar o rebalanceamento de calendário? E quais são as desvantagens?

Como dissemos nas seções anteriores, o rebalanceamento de calendário acontece de forma periódica. Quem define o prazo é o próprio investidor. Uma investidora pode preferir realizar a "calibragem" a cada ano, enquanto outra faz questão de executá-la de três em três meses sem falta. 

O rebalanceamento de calendário é reconhecido como vantajoso justamente pela sua previsibilidade, garantindo que o investidor tenha um compromisso fixado - sem perder o olho dos seus investimentos.

Por outro lado, aqueles que o criticam, o fazem justo por essa característica. Afinal de contas, é possível que essa "descalibragem" entre um período e outro de revisão crie prejuízos consideráveis que não poderão ser considerados até o próximo rebalanceamento. Como se é de imaginar, isso o impede de agir quase que imediatamente diante das oscilações de certos ativos que, no fim, desequilibram a carteira.

Termo do dia

Plano de Recuperação Judicial

O que é Plano de Recuperação Judicial? O plano de recuperação judicial, cujos requisitos para a realização estão dispostos na Lei Nº 11.101/2005, é um instrumento…