Logo Mais Retorno
termos

Poder de Compra

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:06/03/2020 às 13:41 -
Atualizado 2 anos atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é Poder de Compra?

O poder de compra dos habitantes de um país pode variar ao longo do tempo, seja em questão de meses ou anos. Ele está associado à capacidade de adquirir bens e serviços com a moeda vigente e também à inflação, que mede o aumento dos preços.

O período dos anos 1990, também conhecido como a “década perdida”, foi marcante para os brasileiros quando se fala em alteração do poder de compra. Em meio a mudanças de moedas, congelamento de preços e liberação de atualização da tabela de produtos e serviços, a inflação aumentava expressivamente, reduzindo o poder de compra das famílias.

Pelo mundo, o poder de compra também é diretamente impactado pela inflação dos países. A Venezuela, por exemplo, registrou uma inflação anual de 254% em 2016, de acordo com o Banco Mundial.

Para que serve o poder de compra?

O poder de compra acaba por ser um dos indicativos sobre a saúde econômica de um país. Se a população compra menos do que antes ou se não consegue adquirir, com um salário mínimo, por exemplo, os itens de necessidade básica, é um indicativo de que os valores estão em desequilíbrio.

Da mesma forma, quando o poder de compra é grande, também pode gerar problemas para as empresas darem conta da demanda.

Câmbio

Entre países, o poder de compra não pode ser mensurado simplesmente pela conversão de uma moeda para outra. Isso porque a inflação é que determina se o poder de compra será maior ou menor em um território.

Há indicadores, no entanto, que são usados para avaliar a capacidade de aquisição e que usam uma mesma moeda para efeitos de comparação, como é o caso do dólar americano. Apesar do uso de uma moeda de referência, o cálculo considera o poder aquisitivo local antes da conversão monetária.

Finanças

Outra forma de acompanhar a flutuação do poder de compra está nas finanças pessoais. Se o salário permanece praticamente o mesmo durante meses, e até anos, é possível notar o quanto se deixa de comprar por conta da inflação. Neste cenário, é preciso cortar o orçamento. Por outro lado, o mesmo se observa diante da queda de preços de produtos e serviços.

Como funciona o poder de compra?

Ele representa, na prática, o que é que você consegue comprar com uma mesma quantidade de dinheiro. É possível saber se ele aumentou ou diminuiu se você consegue comprar mais ou menos de uma mesma mercadoria.

O índice que reflete o poder aquisitivo dos habitantes de um país é a inflação. Se ela aumenta, sinaliza que há redução da capacidade de compra.

Entretanto, o oposto da inflação é a deflação, que indica a queda dos preços, o que indica o aumento do poder de compra.

Além da inflação, há outras formas de avaliar o poder de compra de um país:

Paridade do Poder de Compra (PPC): desenvolvido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), ele compara o potencial de compra entre os países.

Índice Big Mac: é baseado no preço do sanduíche globalmente conhecido da rede McDonald's e mostra qual o poder de compra a partir de quantos sanduíches é possível adquirir com uma mesma quantia de dinheiro em cada país. Ele foi criado em 1986 pela revista britânica The Economist e usa o dólar americano como moeda de referência para comparação. A análise, no entanto, considera o poder aquisitivo em cada na moeda local.

Iphone Index: mostra qual o valor do smartphone pelo mundo. Os preços são separados por séries e modelos e usa o dólar americano como referência para fazer a comparação.

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!