Última modificação em 2 de fevereiro de 2021

O que é Perpetuidade?

A palavra perpetuidade, por si só, é capaz de nos fornecer a ideia de longevidade; algo que vai durar ou existir por muito tempo, certo? Ao lembrarmos do termo "prisão perpétua", então, essa ideia fica mais evidente ainda...

A questão é, como a perpetuidade se aplica ao mercado financeiro? O que pode haver de tão duradouro assim no mundo dos investimentos ou no setor comercial?

De fato, não existem empresas ou ativos que durem para sempre. O que existem, na verdade, são companhias que atuam no mercado a anos - coisa de 50, 100 ou até mais tempo - e que buscam prever quanta renda poderão obter enquanto estiverem operando.

É possível estimar um tempo de vida útil para cada negócio, e mais ainda para um determinado ativo, mas, confiar na sua perpetuidade não é uma ação recomendada - até porque, o cálculo dessa longevidade estima muito mais o valor do negócio no presente do que no futuro.

Imagine: uma companhia que opera a mais de 50 anos e contribui assiduamente para a economia do país, certamente não será reconhecida pela capacidade futura de produção, mas sim por tudo que construiu e os impactos gerados até o presente momento.

Sendo assim, é possível realizar um cálculo e tentar prever um valor de renda futura sem necessariamente acreditar que a empresa ou a ativo serão infinitos no mercado - muito menos que seu reconhecimento está nas ações que ainda não foram tomadas.

Como é feito o cálculo de Perpetuidade?

O cálculo pode ser realizado de maneira muito simples, basta utilizar e respeitas a exigências da seguinte fórmula:

VP = FC1 / (r - g), sendo que VP representa o valor presente do ativo, FC1 representa o fluxo de caixa no tempo seguinte ao que projetamos, r é a taxa de desconto apropriada ao fluxo de caixa do ativo, enquanto g representa a taxa de crescimento desse fluxo de caixa.

O fluxo de caixa descontado se aplica perfeitamente a essa mensuração pretendida pelo cálculo de perpetuidade, umas vez que seu objetivo é trazer um valor futuro para o presente. Por exemplo, quanto será que R$ 100.000 do futuro valeriam hoje?

Digamos que a taxa de desconto seja de 15%, e façamos o cálculo: 

VP = VF / (1 + taxa)1

VP = 100.000 / (1 + 15)1

VP = R$ 86.956,52 

Qual é a vantagem de estimar Perpetuidade?

Conforme falamos anteriormente, não é possível estimar a perpetuidade de uma empresa e nem de uma ativo, já que não são instrumentos infinitos. Entretanto, é possível estimar um tempo de vida útil e uma determinada lucratividade ao longo do período futuro.

Para isso, utiliza-se os cálculos mencionados acima.

A principal vantagem é de que, com base na renda atual, é possível estimar um renda futura e assim direcionar melhor os investimentos naquele produto.

No caso de uma empresa, por exemplo, é possível que a gestão seja melhor desenvolvida sabendo do potencial que a companhia ainda tem pela frente.

Qual é o risco de estimar Perpetuidade?

O principal risco de estimar a perpetuidade de um negócio ou ativo está na falha do cálculo, além de possível contratempos devido intervenções externas.

Por essa razão, recomenda-se que um profissional habilitado no setor de contabilidade se responsabilidade por toda somatória e divisão exigidos pelas fórmulas mencionadas. Ou seja, é preciso que alguém realmente experiente faça os cálculos a fim de reduzir possíveis erros no resultado.

Além disso, o dono do produto deverá estar atento e sempre preparado a qualquer tipo de intervenção externa. Novamente, tomando uma empresa como exemplo, é importante que os gestores analisem os riscos futuros tanto quanto a lucratividade.

Podem acontecer acidentes, a companhia pode se envolver em algum escândalo e ter seu nome manchado, pode precisar reduzir o número de unidades operantes... Enfim, são inúmeras possibilidade que precisam ser avaliadas.

Termo do dia

Endomarketing

Você com certeza conhece o marketing, mas e o endomarketing? Descubra o que é e como ele se relaciona com o mercado financeiro!