Última modificação em 3 de março de 2021

O que é noncallable?

Um noncallable (também chamado de não exigível ou não resgatável) é um título financeiro que não pode ser resgatado de forma antecipada pelo emissor. A única forma possível de realizar esse resgate seria por meio do pagamento de uma multa. Quem o adquire, aliás, fica sujeito ao risco de pagar taxas de juros.

Isso porque, na emissão, ele trava na taxa de juros que pagará até o vencimento do título. Se essas taxas caírem, o emissor deve continuar pagando a mais alta entre elas até que o título vença. A maioria dos títulos do tesouro e os municipais funcionam dessa forma, ou seja, podem ser considerados como noncallable.

Essa opção de título pode ser favorável para o investidor. Isso só é possível por conta do pagamento de juros, mesmo quando existe uma volatilidade no mercado. Em alguns casos, um título noncallable pode se tornar um callable (ou resgatável) depois de um determinado tempo após sua emissão. Esse período é conhecido como “de proteção”.

Como o noncallable funciona?

Toda vez que um título é emitido, carrega um prazo definido — que é o momento em que pode ser resgatado pelo valor total —, assim como uma taxa de cupom, que é o rendimento da taxa de juros a pagar ao comprador. Muitas vezes, esses títulos são resgatáveis, ou seja, quem os compra pode decidir resgatá-los antes da sua data de vencimento. Quando isso acontece, o valor principal e os juros são pagos até a data do resgate.

Já um título noncallable (não resgatável) não pode ser resgatado antecipadamente pelo emissor, independentemente do nível das taxas de juros praticadas no mercado. Seus detentores, então, permanecem protegidos contra perdas de receita causada por resgates prematuros.

Por conta disso, esse tipo de título tende a pagar aos investidores uma taxa de juros mais baixa que os títulos resgatáveis. Em contrapartida, os riscos se tornam menores, já que oferecem a garantia de pagar ao proprietário o valor da taxa de juros declarada pelo período de vigência.

Qual é a importância do noncallable?

Os títulos considerados como não resgatáveis podem ser considerados importantes para o investidor. Isso porque, mesmo ao retirar a flexibilidade em cancelar dívidas — ou mesmo reestruturá-las —, normalmente carregam uma taxa de juros bem mais baixa.

Mesmo assim, os emissores precisam ter certo cuidado antes de estruturar esse tipo de título, já que serão responsáveis por arcar com as taxas de juros por muito tempo. Se elas se moverem contra o investimento durante o prazo da dívida, o investidor pode ter que pagar uma taxa superior à do mercado por mais tempo do que espera.

Qual a diferença entre um título noncallable e callable?

Além das diferenças já citadas anteriormente entre os dois tipos de títulos, é possível encontrar mais algumas que os distinguem e se tornam decisivas no momento do investimento. Os títulos resgatáveis, por exemplo, já são emitidos com uma data de resgate como parte do contrato. Isso quer dizer que o emissor é proibido de fazer qualquer tentativa antes da data predeterminada. Em contrapartida, os não resgatáveis não podem ser recebidos até a data do vencimento.

Outra diferença entre os dois títulos é em relação à taxa de juros. O pagamento referente a das opções não resgatáveis está garantido até o seu vencimento. Para os resgatáveis, por sua vez, essas taxas são garantidas até a data do resgate. Além disso, o emissor pode reemitir novos títulos com uma taxa de mercado bem mais baixa.

Por fim, os títulos do tipo callable permitem que o investidor se proteja contra as taxas de juros decrescentes, mas isso vem com um custo, já que existe o risco de fazer o resgate do título antes de se beneficiar das altas taxas de juros. Já os títulos noncallable, como dito, oferecem uma taxa mais baixa porque ela já é fixada até a data do seu vencimento.

Termo do dia

Economia compartilhada

O que é Economia Compartilhada? A economia compartilhada é um conceito que faz parte do dia a dia da maioria das pessoas no Brasil e no…