Última modificação em 2 de fevereiro de 2021

O que é Mercado Acionário?

Sabe aquela rotina de investidor, que está sempre comprando ou vendendo ações? Ou aquelas empresas que possuem uma centena de acionistas? Tudo isso precisa acontecer em algum lugar. Sim, estamos falando do mercado acionário!

Também conhecido como mercado de ações, esse é o ambiente onde os títulos ficam disponíveis para negociação de compra e venda.

Como o Mercado Acionário funciona?

Suponhamos que você possua uma empresa - se você realmente possuir, que ótimo, sucesso! - e por alguma razão esteja precisando aumentar seu capital. 

Pode ser pra investir em equipamentos, contratar mais funcionários, aprimorar o serviço de alguma maneira, expandir a rede, enfim. São diversas razões que podem demandar muito dinheiro.

Como uma forma de conseguir essa quantia de maneira imediata, você se reúne com os sócios da companhia, e todos vocês chegam a um acordo: abrir o capital da empresa no mercado acionário.

Isso significa, basicamente, colocar parte da empresa a venda! 

Ao abrir capital no mercado acionário, essa pequena parte da companhia será dividida em várias ações. Os investidores que comprarem essas ações automaticamente serão considerados acionistas do teu negócio, porque de certa forma, injetaram o dinheiro que você estava precisando.

Esse "lançamento" da empresa no mercado acionário é chamado de Initial Public Pffering (IPO), e ocorre num sub ambiente chamado de mercado primário.

Uma vez que as ações da sua companhia estiverem disponíveis no mercado, elas poderão ser negociadas em uma plataforma muito específica e conhecida, a Bolsa de valores - ou B3, como também é chamada.

A B3 é responsável por reunir todos os títulos disponíveis no mercado e intermediar as negociações de compra e venda. Então, caso algum investidor queira comprar uma pequena parcela da sua empresa, ele não tratará diretamente com você, mas sim, terá acesso ao seu título através da Bolsa de Valores.

"Ah, então o investidor precisa se cadastrar na B3, é isso?"

Não. Antes de chegar a essa plataforma, ele precisa estar cadastrado em uma corretora de valores! Aí sim, terá acesso as ações disponíveis para negociação através de um espaço virtual chamado home broker.

Esse sistema é disponibilizado por qualquer corretora de valores e garante acesso tanto ao mercado acionário, quanto aos outros tipos de mercados que existem - futuro, de capitais e assim por diante.

Uma vez que esse investidor tenha comprada uma ação sua, ele poderá revendê-la posteriormente. Aqui, começamos a falar sobre o mercado secundário, onde as ações que já foram adquiridas passam a ser negociadas novamente.

Veja, você só precisou abrir capital no mercado acionário uma vez, mas as ações poderão ser compradas e vendidas muitas vezes mais.

Mercado Acionário: quem ganha mais?

Até agora nós só falamos sobre as suas ações serem colocada no mercado e posteriormente negociadas, certo?

Entretanto, aquele investidor que comprou uma parcelas dos seus títulos também precisa ganhar alguma coisa! Afinal, ele não iria injetar dinheiro na sua empresa a troco de nada...

As maneiras que esse investidor, enquanto acionista da sua companhia, tem de lucrar são simples: através da valorização do negócio, ou da rentabilidade positiva ao longo do tempo.

Ou seja, para que essa pessoa ganhe com a ação que comprou, é preciso que a sua empresa tenha uma excelente performance no mercado em geral - comercialmente falando. É preciso que ela produza bem, venda bem e gere valor à população.

Se a sua empresa possuir uma boa lucratividade, você será obrigado a distribuir pelo menos 25% dos ganhos entre todos os acionistas envolvidos no negócio.

Caso contrário, você não precisará distribuir renda, mas as chances de que o investidor queira revender a ação é bem grande, afinal, ele não estará lucrando nada com a sua empresa.

Termo do dia

Carrier

O que é carrier? Carrier é a designação para uma pessoa ou empresa que transporta outras pessoas ou mercadorias. Geralmente, se anuncia como disponível para fazer…