Última modificação em 2 de março de 2021

O que é long put?

Long put é uma opção de venda que se refere à compra de uma opção de venda que, normalmente, opera na expectativa de uma queda do ativo subjacente. O termo “long” (ou longo, em português), não tem nada a ver com o período de tempo antes do seu vencimento, mas sim com a ação do corretor em ter comprado a ação com a esperança de vendê-la por um preço mais alto em um outro momento no futuro.

Nesses casos, um trader, por exemplo, poderia comprar uma opção de venda por motivos especulativos e apostar que o ativo subjacente cairá — o que aumenta o valor do long put. Essa opção de venda também pode ser utilizada para cobrir uma posição longa no ativo subjacente. Sendo assim, se ele cair, o valor da opção de venda aumenta e, consequentemente, ajuda a compensar a perda no subjacente.

Aqui é preciso frisar que, se um negociador desejar utilizar o seu direito de vender o subjacente ao preço de exercício, ele exercerá essa opção. Isso porque o exercício não é obrigatório. Em vez disso, o investidor pode simplesmente sair da opção a qualquer momento e vendê-la antes do seu vencimento.

Como o long put funciona?

Uma opção de venda long put dá a quem a adquiriu o direito de vender as ações subjacentes a um preço determinado. Caso não existissem opções de venda, a única maneira que o vendedor teria de se beneficiar de um movimento de baixa no mercado seria vender as ações a descoberto. O problema desse tipo de venda é que quem a pratica fica exposto a um risco — teoricamente — ilimitado se o preço das ações subir.

Quando são utilizadas opções de venda como alternativa às ações vendidas, porém, o risco fica limitado a apenas o custo dos contratos de opções. Se o stock subir — o que seria o pior cenário nesse caso —, não será necessário entregar ações, como seria feito com ações a descoberto. O melhor a fazer é permitir que as opções de venda expirem sem valor ou vende-las para fechar a posição, mas só se elas ainda valerem alguma coisa.

É preciso ter cuidado, principalmente, com as opções de venda Out Of Money de curto prazo. Se muitos contratos de opções forem comprados, o risco será aumentado, na realidade. As opções podem, então, expirar sem valor e o investidor pode perder tudo o que investiu.

Como seria um exemplo de long put na prática?

Vamos supor que as ações de uma empresa estejam sendo negociadas a R$ 40. Um contrato de opção de venda com esse mesmo preço de exercício, expirado em um mês, está sendo cotado a R$ 2. O investidor acredita que as ações cairão drasticamente em um futuro bem próximo e, por conta disso, pagou R$ 200 para comprar uma única opção de venda da empresa em questão de R$ e cobriu 100 ações.

Hipoteticamente o investidor estava certo e o preço de cada ação em questão cai para R$ 30 na data de vencimento da opção. Com o valor da ação subjacente agora em, também, R$ 30, a opção de venda estará In The Money com um valor intrínseco de R$ 1 mil — o que significa que ela pode ser vendida por esse valor.

Como o valor pago foi apenas R$ 200, o lucro líquido para toda a negociação, então, é de R$ 800. Caso o investidor tivesse errado na avaliação primária e o preço da ação subisse para R$ 50, a opção de venda expiraria sem valor e a perda total seria de R$ 200, o que foi o valor pago para comprar a ação.

Termo do dia

ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial

O que é ISE? O ISE – sigla correspondente a “Índice de Sustentabilidade Empresarial” – é um recurso utilizado para mensurar qual o nível de sustentabilidade que as…