Última modificação em 3 de fevereiro de 2021

O que é Haircut?

O termo haircut é um nome usado no mercado financeiro para representar a diminuição do valor de alguma dívida.

Imagine que um banco emprestou 5 bilhões de reais para uma empresa e após o prazo de devolução essa empresa informou que, por dificuldades financeiras, poderia pagar apenas 50% desse valor, ou seja, 2,5 bilhões de reais.

Nesse caso, o banco tem a opção de aceitar a diminuição do pagamento da dívida ou correr o risco de não receber nada. O haircut, portanto, se trata de um perdão de dívidas e ocorre em momentos de grave crise financeira.

Para que serve o Haircut?

Tanto o credor (empresa que empresta dinheiro) quanto o devedor podem sair ganhando - ou pelo menos diminuir as perdas - com o haircut.

Isso acontece porque, para se chegar a um estado de necessidade de um perdão de dívida, a empresa devedora precisa estar em uma grave crise financeira, como em uma recuperação judicial por exemplo - quando a empresa passa por reorganização financeira e administrativa para evitar falência.

Nesse caso, a empresa devedora terá um aumento do patrimônio líquido após o haircut (já que sua dívida diminuirá), dando um certo alivio financeiro e permitindo a continuidade dos seus serviços para tentar contornar a situação financeira, e a empresa credora terá parte da dívida paga.

Obviamente este cenário está longe de ser o melhor, uma vez que o pagamento total da dívida é melhor que o pagamento parcial. Porém, em situações assim a empresa credora precisa minimizar as perdas financeiras.

Quais são os exemplos de Haircut na prática?

Em meados de 2011, a Grécia passava por uma grave crise econômica que foi muito impactada pela crise de 2008 dos Estados Unidos, conhecida como “estouro da bolha imobiliária”.

O país precisou pegar centenas de bilhões de euros em empréstimos com o FMI (Fundo Monetário Internacional) e com o Banco Central Europeu para o pagamento de suas dívidas. Além disso, anunciou a necessidade de um haircut de 50% de suas dívidas com bancos.

Aqui no Brasil, a General Shopping é um dos exemplos na pratica de um haircut. A empresa que passa por uma situação financeira delicada, anunciou em 2015 um haircut de 49% de suas dívidas.

A Odebrecht, empreiteira brasileira que estava no epicentro do escândalo da lava jato, entrou em recuperação judicial em 2020. Dos aproximados 83 bilhões de reais em dividas, a empresa tinha apenas com o Banco do Brasil 4 bilhões a serem negociados.

O presidente do banco, Rubem Novaes, afirmou que mesmo com um haircut de 50%, ou seja, um abatimento de 50% dessa dívida de 4 bilhões de reais, sua empresa não seria prejudicada.

Em que momento um Haircut pode ser proposto?

É claro que o haircut, ou perdão parcial da dívida, não é feito a qualquer momento por/para qualquer empresa. Se fosse assim, as empresas devedoras poderiam deliberadamente pedir o perdão de dívidas a qualquer momento. Fácil demais, né?

O principal fator que permite a possibilidade do haircut é quando há o risco iminente de falência da empresa devedora ou grave crise financeira de um país.

Nesse caso, o credor (empresa que empresta dinheiro) da preferência a receber a quantia que estiver disponível pelo devedor no menor prazo possível, mesmo que esse valor seja menor em relação ao valor da dívida total.

É importe frisar que haircut não é a mesma coisa que renegociação de dívidas. Esse segundo é muito acessível para pessoas físicas e tem objetivo de facilitar o pagamento da dívida por meio de adiamento dos prazos de pagamento, parcelamento do valor total e diminuição dos juros.

Termo do dia

Oferta 476

A Oferta 476 é o conjunto de diretrizes ditadas pela CVM no que se refere ao acesso para o mercado de capitais. Confira mais detalhes sobre ela…