Última modificação em 3 de dezembro de 2020

O que é cheque em branco?

Um cheque em branco, em seu sentido mais literal, é uma das folhas de um talão de cheques que não tem nenhum valor monetário escrito, mas que já está assinada por quem o possui. Por ainda não ter sido utilizado, essa expressão é comumente usada pelo fato da folha não ter sido preenchida, como ocorre no seu uso normal.

No sentido figurado, a expressão pode ter alguns significados diferentes. Para empresas, pode significar uma situação em que os donos dão aos seus gestores um cheque em branco para que pensem em estratégias ousadas, sem limite de orçamento. Já no que envolve a literatura, o significado é praticamente o mesmo, em que alguém deposita extrema confiança em outra pessoa — mas sem precisar haver envolvimento de dinheiro.

Em um contexto voltado para as finanças, porém, o significado dessa expressão também pode mudar. Quando uma empresa é denominada “de cheque em branco”, significa que ela ainda está em desenvolvimento e que, por esse motivo, ainda não tem um plano de negócios específico — como acontece com outras empresas que já são fundadas com um planejamento detalhado.

O cheque em branco é seguro?

Como a recomendação a quem redige um cheque é especificar o valor exato antes de assiná-lo, emitir um cheque em branco pode não ser uma ideia tão segura. Isso porque quem o obtiver pode emitir qualquer quantia em dinheiro e sacá-lo, se a conta contiver fundos suficientes para completar essa operação.

Quem assina um cheque em branco precisa confiar muito em quem vai recebe-lo. Pense, por exemplo, em um proprietário de uma pequena empresa que sairá de férias por alguns dias e apenas assina alguns cheques para que um funcionário responsável possa fornecer todas as informações corretas para fazer pagamentos comerciais na ausência do patrão. Trata-se de um controle interno bastante deficiente, uma vez que o funcionário pode emitir um cheque de qualquer valor ou outra pessoa pode preenche-lo e roubar o dinheiro.

Existem, no entanto, outras formas mais seguras de trabalhar com cheque. Uma delas é o cheque nominal, um instrumento financeiro que traz o nome do beneficiário do pagamento — a pessoa que está autorizada a receber o dinheiro em questão. Esse pequeno detalhe é extremamente útil para evitar fraudes e roubos.

Quais são os riscos de um cheque em branco?

O maior risco de um cheque em branco, como citado anteriormente, está nas pessoas mal-intencionadas que pode utilizá-lo para aplicar golpes. Por esse motivo, é desaconselhável deixar folhas do talão previamente assinadas. Outra dica é mantê-lo sempre em locais seguros ou só sair de casa com talões assinados se tiver a absoluta certeza de que eles serão utilizados.

Para trabalhar com cheques, de forma geral, é preciso muito cuidado, principalmente no que diz respeito ao preenchimento das folhas — como já foi bastante mencionado até aqui. É necessário ter atenção redobrada para que as informações inseridas não estejam incorretas ou com rasuras. Também é recomendado não deixar espaços em branco antes ou depois dos números inseridos, porque um fraudador pode alterá-los com facilidade para valores mais altos.

Qual a diferença entre um cheque em branco e outros tipos de cheque?

Independentemente do tipo de cheque, qualquer um deles pode ser deixado em branco. Entre eles, porém, existem algumas opções distintas que podem fazer a diferença na escolha. A primeira delas é o cheque visado, em que o banco certifica ou apenas atesta que a conta em questão tem fundos suficientes para fazer o pagamento.

Outro tipo de cheque é o endossado, que ocorre quando alguém recebe um cheque nominal e o repassa para outra pessoa. Já o cheque ao portador é apenas uma expressão utilizada para as situações em que a folha em questão não é nominal, ou seja, quem pegar o cheque pode descontá-lo ou fazer o depósito na sua própria conta.

Termo do dia

AFAC

O que é AFAC?  AFAC (Adiantamento para Futuro Aumento de Capital) é um dos instrumentos que podem ser empregados para injetar capital em uma empresa, sendo que…