Logo Mais Retorno
termos

Chamada de Capital

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:24/11/2020 às 14:05 -
Atualizado 3 anos atrás
Compartilhe:

O que é Chamada de Capital?

A chamada de capital é um tipo de processo pelo qual uma empresa passa quando quer aumentar o seu capital social. Para que esse processo aconteça, utiliza-se a estratégia de subscrição de ações.

Vamos do início para você entender:

Quando uma empresa, por alguma razão específica - contratar novos funcionários, comprar equipamentos, ampliar seu espaço - precisa aumentar seu capital, ela pode optar por distribuir parte dele no mercado financeiro, em formato de ações.

Os investidores que compram tais ações são responsáveis por injetar o capital que a empresa necessita para algum fim. Eles são conhecidos, portanto, como acionistas, e a empresa deverá reservar pelo menos 25% de sua lucratividade para o pagamento de dividendos.

Esse processo é conhecido como IPO - Initial public offering (Oferta Pública Inicial), quando uma empresa abre capital e coloca ações a venda no mercado financeiro pela primeira vez!

Agora, suponhamos que se passou um ano desde essa operação e a empresa necessita de mais capital. Será possível realizar a mesma estratégia para obter mais injeção de recursos financeiros?

Como a Chamada de Capital funciona?

Essa necessidade de mais recursos é o que chamamos de chamada de capital. Respondendo a pergunta do tópico anterior, sim, é possível obter mais dinheiro a partir da mesma estratégia! 

Só que dessa vez há um porém: ao abrir capital no mercado financeiro, as ações devem ser ofertadas preferencialmente a quem já é acionista da empresa. Esse processo é o que chamamos de subscrição.

Portanto, antes de disponibilizar as ações abertamente no mercado, elas devem ser oferecidas para aquelas pessoas que já são acionistas da companhia. Essas, por sua vez, poderão comprar as ações com desconto.

Ou seja, se no mercado em geral cada ação custará R$10,00, os acionistas da empresa poderão comprá-las com preferência e por um valor mais baixo - a R$7,00 ou R$8,00, por exemplo.

Essas duas vantagens - preferência e desconto - são excelente para os investidores e também a empresa, que terá a garantia de mais recursos injetados no seu negócio! 

É importante esclarecer que o acionista não é obrigado a comprar as ações que estão sendo subscritas. Pelo contrário, a empresa pode dar um prazo - normalmente de 1 mês - para que ele decida de vai aceitar a oferta ou não.

Caso ele não aceite, acontece o que chamamos de sobras de subscrição - as ações são ofertadas no mercado normalmente, pelo preço que a empresa em conjunto com o Bolsa de Valores determinam ser adequado.

Ao recusar a compra dessas novas ações que foram disponibilizadas, o investidor precisa estar ciente de que pode ter o seu lucro reduzido, já que agora ele será dividido entre mais títulos e possivelmente, mais pessoas.

Repare que a empresa não corre o risco de sofrer qualquer tipo de prejuízo, já que terá suas ações compradas de uma forma ou de outra - pelos acionistas ou pelo mercado em geral.

A Chamada de Capital é exclusiva do mercado financeiro?

Não. É comum que a chamada de capital também seja exercida por pessoas jurídicas que estejam fora do mercado acionário.

Um exemplo clássico é chamada de capital que pode acontecer em condomínios, em forma de rateio financeiro entre os moradores!

Mesmo que uma determinada parcela seja paga todos os meses para manutenção dos serviços essenciais do prédio, pode ser que a quantia não seja suficiente quando se deseja realizar uma obra ou investimento de grande porte. 

Para conseguir o dinheiro necessário, faz-se uma chamada de capital entre os condôminos, onde cada um deles deve contribuir com um valor acordado em assembleia e, assim, dar continuidade aos investimentos desejados.

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!
Mais sobre

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. Alguns cálculos e bases de dados podem não ser perfeitamente aplicáveis a cenários reais, seja por simplificações, arredondamentos ou aproximações, seja por não aplicação de todas as variáveis envolvidas no investimento real como todos os custos, timming e disponibilidade do investimento em diferentes janelas temporais. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados