Logo Mais Retorno

Siga nossas redes

  • Instagram Mais Retorno
  • Youtube Mais Retorno
  • Twitter Mais Retorno
  • Facebook Mais Retorno
  • Tiktok Mais Retorno
  • Linkedin Mais Retorno
termos

Câmara de Arbitragem

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:19/12/2019 às 20:24 -
Atualizado 5 anos atrás
Compartilhe:

O que é Câmara de Arbitragem

Uma Câmara de Arbitragem é um órgão privado voltado à resolução extrajudicial de conflitos. Em outras palavras, ele se dedica a oferecer uma alternativa para resolver disputas entre partes sem a necessidade de um processo judicial.

Pode ser considerado como uma espécie de "Justiça privada".

Como funciona uma Câmara de Arbitragem

 

Em uma Câmara de Arbitragem, árbitros são designados para analisar os casos trazidos pelos clientes e proferir uma decisão. Em geral, são três ou cinco árbitros atuando no caso.

Os árbitros são definidos de acordo com sua especialidade, de modo que os decisores sejam profissionais que entendem a questão em disputa.

Casos que podem ser tratados em Câmara de Arbitragem

Nem todas as disputas podem ser tratadas em uma Câmara de Arbitragem; apenas aquelas que tratam de direitos patrimoniais disponíveis, ou seja, direitos relativos ao patrimônio e sobre os quais o titular pode negociar.

Alguns exemplos de casos que não podem ser tratados em Câmara de Arbitragem são disputas familiares, tributárias e criminais.

Considerações importantes sobre a Arbitragem

A primeira consideração é que a decisão produzida na arbitragem é reconhecida pela Justiça. Depois que os árbitros chegam a uma decisão sobre o caso, ela é homologada pelo Poder Judiciário, e passa a ter o mesmo valor que a sentença de um Juiz.

A segunda consideração é que, embora a arbitragem seja um meio extrajudicial de resolução de conflitos, isso não significa que ela esteja totalmente livre de regulação. De fato, a arbitragem deve seguir as disposições da Lei 9.307 de 1996.

A terceira consideração é que, para escolher a arbitragem como meio para resolver as disputas, é importante incluir uma cláusula de arbitragem nos contratos. Nessa cláusula, já pode estar prevista a Câmara de Arbitragem que será utilizada pelas partes.

Vantagens da Câmara de Arbitragem

Levar um caso para a Câmara de Arbitragem, em vez de iniciar um processo judicial, traz três principais vantagens.

A primeira vantagem é a rapidez. Estatísticas do Centro de Arbitragem e Mediação Brasil-Canadá mostram que o tempo médio de uma arbitragem é de 16,2 meses. Enquanto isso, dados do CNJ mostram que a Justiça estadual leva, em média, 4 anos e 4 meses para proferir uma sentença de 1ª instância.

A segunda vantagem é o sigilo dos casos. Como regra, um processo judicial é público, o que significa que qualquer pessoa, mesmo que não tenha qualquer relação com o caso, pode ter acesso às informações. Enquanto isso, na Câmara de Arbitragem, os casos são tratados de forma sigilosa. Esse é um fator importante para empresas e pessoas que querem preservar sua imagem e reputação.

A terceira vantagem é a flexibilidade. As partes podem definir entre si muitos aspectos de como a arbitragem será realizada, ou podem escolher seguir as regras de uma Câmara de Arbitragem específica.

Desvantagens da Câmara de Arbitragem

E quanto às desvantagens? Antes de levar um caso à Câmara de Arbitragem, é preciso estar atento a três pontos negativos.

O primeiro ponto é que a arbitragem apresenta um custo elevado. Esse é um dos principais fatores para a prática ainda não ser muito difundida no Brasil.

O segundo ponto é que a Câmara de Arbitragem não tem poder de coação para garantir que sua decisão será cumprida. Em outras palavras, ela apenas produz a decisão, que depois precisa ser levada à Justiça para a fase de execução.

O terceiro ponto é que não é possível recorrer da decisão arbitral na Justiça. Dessa forma, mesmo que exista motivos para acreditar que a decisão dos árbitros está incorreta, se não houver uma maneira de recorrer dentro da própria Câmara de Arbitragem, será preciso aceitá-la.

Sobre o autor
Autor da Mais Retorno
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!

® Mais Retorno. Todos os direitos reservados.

O portal maisretorno.com (o "Portal") é de propriedade da MR Educação & Tecnologia Ltda. (CNPJ/MF nº 28.373.825/0001-70) ("Mais Retorno"). As informações disponibilizadas na ferramenta de fundos da Mais Retorno não configuram um relatório de análise ou qualquer tipo de recomendação e foram obtidas a partir de fontes públicas como a CVM. Rentabilidade passada não representa garantia de resultados futuros e apesar do cuidado na coleta e manuseio das informações, elas não foram conferidas individualmente. As informações são enviadas pelos próprios gestores aos órgãos reguladores e podem haver divergências pontuais e atraso em determinadas atualizações. Alguns cálculos e bases de dados podem não ser perfeitamente aplicáveis a cenários reais, seja por simplificações, arredondamentos ou aproximações, seja por não aplicação de todas as variáveis envolvidas no investimento real como todos os custos, timming e disponibilidade do investimento em diferentes janelas temporais. A Mais Retorno, seus sócios, administradores, representantes legais e funcionários não garantem sua exatidão, atualização, precisão, adequação, integridade ou veracidade, tampouco se responsabilizam pela publicação acidental de dados incorretos.
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos, ilustrações ou qualquer outro conteúdo deste site por qualquer meio sem a prévia autorização de seu autor/criador ou do administrador, conforme LEI Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.
® Mais Retorno / Todos os direitos reservados