termos

Break even point

Autor:Equipe Mais Retorno
Data de publicação:29/11/2021 às 14:36 - Atualizado 2 meses atrás
Compartilhe:
  • Facebook
  • Linkedin
  • Twitter Mais Retorno
  • Telegram Mais Retorno
  • WhatsApp Mais Retorno
  • Email Mais Retorno

O que é break even point?

O break even point (BEP) é um índice para um investimento ou negociação que é determinado pela comparação do preço de mercado de um ativo com o custo original. Ou seja, ele é alcançado quando os dois preços são iguais.

No que diz respeito à contabilidade corporativa, a fórmula do ponto de equilíbrio é determinada pela divisão dos custos fixos totais associados à produção pela receita por unidade menos os custos variáveis. Nesse caso, os custos fixos se referem aos que não se alteram em função da quantidade de unidades vendidas.

Também chamado de ponto de equilíbrio, ele é utilizado em várias áreas de negócios e de finanças. Em termos contábeis, ele se refere ao nível de produção em que a receita total da produção seja igual aos custos totais de produção. No investimento, é o ponto em que o custo original é igual ao preço de mercado.

Quais são algumas das maiores considerações sobre o break even point?

O break even point pode ser aplicado a uma variedade de contextos. O BEP em uma venda de imóveis, por exemplo, seria quanto dinheiro o proprietário precisaria gerar com a venda para compensar exatamente o preço líquido de compra, o que inclui custos de impostos, seguro, juros e outros impostos. A esse preço, ele iria alcançar o ponto de equilíbrio, sem ganhar nem perder dinheiro.

Traders também aplicam os BEPs em suas negociações ao calcular o preço que um título precisa atingir para que cubra exatamente todos os custos associados, como taxas de administração, impostos, comissões e assim por diante. O break even point de uma empresa também é calculado da mesma forma: é só dividir o valor dos custos fixos pelo percentual da margem de lucro bruto.

Como o break even point funciona no comércio de opções?

Para a negociação de opções, o break even point é o preço de mercado que um ativo subjacente precisa alcançar para que o comprador da ação evite uma perda se ele a exercer. Para quem compra uma call, o BEP é alcançado quando o subjacente é igual ao preço de exercício mais o valor do prêmio pago. Já para uma posição de venda, ele é alcançado quando o subjacente é igual ao preço de exercício menos o prêmio pago.

Aqui, é importante frisar que o break even point geralmente não leva em consideração os custos de comissão — mesmo que essas taxas podem ser incluídas, se for o desejo dos envolvidos.

Para exemplificar, suponha que um investidor pague R$ 5 por uma opção de compra de ações de uma empresa X com preço de exercício de R$ 170. Isso significa que ele tem o direito de comprar 100 ações a R$ 170 por ação a qualquer momento antes que elas expirem. O break even point nesse caso seria o preço de exercício somado ao valor do investimento, ou seja, R$ 175. Se a ação estiver sendo negociada abaixo disso, o benefício não excedeu seu custo.

Como é o cálculo do break even point?

Geralmente, para calcular o break even point, os custos fixos são divididos pela margem de lucro bruto. Esse cálculo tem como resultado um valor X, que é a quantia que uma empresa precisa alcançar para atingir o seu ponto de equilíbrio. Em relação a ações, se uma fosse comprada a R$ 200 e depois de nove meses ela atingisse novamente esses R$ 200 após cair de R$ 250, teria atingido seu break even point.

Em uma negociação de opções, considere o seguinte exemplo. Um investidor paga R$ 10 por uma opção de compra de ações e o preço de exercício é R$ 100. O break even point seria igual ao valor de R$ 10 mais o preço de exercício, ou seja, R$ 110. Por outro lado, se o mesmo conceito fosse aplicado a uma opção de venda, o BEP seria calculado como o preço de exercício menos o valor pago pela opção, o que totalizaria R$ 90.

Sobre o autor
A Mais Retorno é um portal completo sobre o mercado financeiro, com notícias diárias sobre tudo o que acontece na economia, nos investimentos e no mundo. Além de produzir colunas semanais, termos sobre o mercado e disponibilizar uma ferramenta exclusiva sobre os fundos de investimentos, com mais de 35 mil opções é possível realizar analises detalhadas através de índices, indicadores, rentabilidade histórica, composição do fundo, quantidade de cotistas e muito mais!